Agrovale investe em novo equipamento para reduzir fuligem de queima da palha de cana

por Carlos Britto // 18 de maio de 2021 às 09:00

Após o anúncio sobre um recente investimento da ordem de R$ 5 milhões na colheita mecanizada, a Agrovale divulgou nesta segunda-feira (17) mais uma aquisição que vai diminuir a queima controlada da palha da cana-de-açúcar, reduzindo a incidência de fuligem. A empresa, que responde pela maior produção de açúcar, etanol e bioeletricidade da Bahia, adquiriu um triturador de fardos de palha de cana HG6000E geração II, de tecnologia norte-americana, com capacidade de processamento de 52 mil toneladas de palha por ano.

De acordo com o gerente geral industrial da Agrovale, Adevan Feliciano, o triturador – que custou R$ 2,5 milhões – traz, além do benefício ambiental, um ganho substancial na geração própria de energia elétrica da empresa.

A partir desta solução tecnológica, iremos melhorar o aproveitamento da biomassa da cana, ampliando a geração de energia com mais  20.000 mwh, o que representa o consumo de 1 mês de uma cidade com 200 mil habitantes, com energia limpa de fonte renovável“, ressaltou.

A aquisição do triturador e de duas máquinas colhedoras e implementos, faz parte do programa da empresa, com custos anuais de R$ 40 milhões, que vem adequando agronomicamente os terrenos visando tornar os campos compatíveis com a colheita mecanizada. A empresa hoje já conta com sete máquinas colhedoras. Os investimentos visam à diminuição da queima controlada da palha da cana e a redução da incidência de fuligem, que vem ocorrendo em menor proporção em comparação a anos anteriores.

Agrovale investe em novo equipamento para reduzir fuligem de queima da palha de cana

  1. O PENSADOR. disse:

    Nada mais justo. Embora essa estória de aquecimento global seja uma tremenda farsa, que a fumaça provocada pela queima inadequada da palha causa o efeito estufa, outra mentira deslavada, não é de bom alvitre a queima ao tempo, pois além de se perder o potencial gerador de energia elétrica, enfeia as duas cidades além de adoecer a população.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *