Agronegócio tem perspectivas positivas para 2019 na Bahia; Juazeiro é destaque

6
Empresa Agrovale. (Foto: Carlos Laerte/CLAS Comunicação)

Com plantios iniciados, cultivos em andamento, máquinas em campo e próximas safras já projetadas, a agropecuária segue um calendário próprio. O ano agrícola começou faz tempo em muitas áreas rurais da Bahia. Os agricultores estão no meio da safra de soja no Oeste, colhendo uvas no norte do Estado, e regando outras frutas em vários municípios do Baixo Sul.

Entre safras e entressafras, o jornal Correio da Bahia trouxe, nesta segunda-feira (7), um painel dos frutos gerados pelo campo em 2018, e destaca as expectativas de alguns segmentos para 2019. As principais estimativas indicam que este ano será um ano promissor para a maioria dos setores agrícolas, caso não haja grandes variações climáticas inesperadas. O cenário internacional e a valorização das commodities trazem uma tendência de vantagem para os produtores brasileiros.

Segundo o Ministério da Agricultura, cinco produtos, que lideraram a produção agropecuária nacional, devem continuar se destacando no próximo ano. Fazem parte deste grupo a soja, cana-de-açúcar, milho, algodão e o café. Juntos, eles geraram 80% do valor bruto de produção das lavouras este ano. É neste contexto que a Bahia segue beneficiada, afinal o estado tem grandes produtores nestes segmentos.

Cana-de-açúcar, uva e manga

Em Juazeiro, a Agrovale – uma das maiores produtoras de açúcar, etanol e bioeletricidade do Brasil – pretende aumentar a produção em aproximadamente 20% em 2019. A empresa está investindo na modernização das operações agrícolas para chegar a uma produtividade média de 120 toneladas de cana por hectare, cerca de 5% a mais do que o patamar obtido este ano.

A Agrovale vem investindo cada dia mais em pessoas e tecnologias. Isso nos garante a segurança para que em 2019 possamos aumentar nossa produtividade, seja na geração de açúcar, etanol ou bioeletricidade, de maneira sustentável, sólida e atenta às responsabilidades social e econômica da região em que está inserida”, pontua o diretor e vice-presidente da empresa, Denisson Flores.

A fruticultura, claro, continua sendo destaque na região, com as uvas e mangas voltadas para exportação. (Fonte: Correio da Bahia)

6 COMENTÁRIOS

  1. Graças ao Rio São Francisco , ainda de por ser tão maltratado, esgotos caindo no rio desde a nascente, como esquecem que o principal riqueza do nordeste é este abençoado rio. A burguesia somente se aproveitam desta nobre riqueza que é o abençoado Rio São Francisco. Vamos torcer no desenvolvimento do VALE SÃO FRANCISCO, seja lá ou cá, não importa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome