Dr.Pérsio ironiza Lossio ‘sanfoneiro’ enaltecendo Edinaldo pelo Facebook: “Está na mesma sintonia do governo”

dr pérsioA repercussão de um vídeo do prefeito de Petrolina, Julio Lossio (PMDB), em seu perfil no Facebook, no qual parece tocando uma sanfona e defendendo seu pré-candidato à disputa majoritária, vereador Edinaldo Lima (PMDB), ganhou ironias do integrante da bancada de oposição, Dr.Pérsio Antunes (PV).

Ex-aliado do prefeito, Dr.Pérsio disse que o som desafinado da sanfona de Lossio “está na mesma sintonia” do seu governo. Em tom mais sério, o oposicionista disse que o estilo espalhafatoso do peemedebista já faz parte de sua estratégia. “Ele tem a maneira de fazer a política dele”, afirmou.

Quanto ao nome de Edinaldo para disputar a prefeitura nas eleições deste ano, Dr.Pérsio disse que prefere falar da pré-candidatura do indicado do seu grupo, o deputado estadual Miguel Coelho (PSB). Perguntado se pode sair na vice do socialista, o vereador foi bem claro. Disse que trabalha para renovar seu mandato na Casa Plínio Amorim, mas está à disposição do grupo se for convocado “para uma missão maior”.   

Justiça manda desbloquear serviço do WhatsApp

whatsappUma decisão desta quinta-feira (17) do Tribunal de Justiça de São Paulo determinou o restabelecimento do aplicativo de mensagens WhatsApp no Brasil. As operadoras de telefonia móvel ainda vão ser notificadas da determinação.

De acordo com a decisão do desembargador Xavier de Souza, “em face dos princípios constitucionais, não se mostra razoável que milhões de usuários sejam afetados em decorrência da inércia da empresa” em fornecer informações à Justiça.

Cumprimos a ordem para bloquear e para desbloquear. Independentemente de termos prejuízo em relação à nossa imagem, por cumprir tudo que a justiça brasileira determina”, diz Eduardo Levy, presidente do SindiTeleBrasil, ao G1. As empresas vão cumprir imediatamente o que a Justiça determinou. Usuários de Claro, Tim e Vivo relataram o retorno.

Em nota publicada no site do Tribunal de Justiça de São Paulo, o desembargador afirma ainda que considera o aumento do valor da multa uma solução adequada, “para inibir eventual resistência da impetrante”.

Isso porque, segundo o TJ-SP, o WhatsApp não atendeu a uma determinação judicial de 23 de julho de 2015. A empresa foi notificada mais uma vez em 7 de agosto, com uma multa fixada em caso de não cumprimento.

O WhatsApp não atendeu à determinação novamente, de acordo com o TJ-SP. Por isso, “o Ministério Público requereu o bloqueio dos serviços pelo prazo de 48 horas, com base na lei do Marco Civil da internet”.

O caso

Na quarta-feira (16), as principais operadoras de telefonia móvel do Brasil foram intimadas pela Justiça a bloquear o WhatsApp em todo o território nacional por 48 horas. O bloqueio começou a valer à 0h de quinta (17).

O recebimento da determinação judicial foi confirmado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal, o SindiTelebrasil, que representa as operadoras Vivo, Claro, Tim, Oi, Sercomtel e Algar.

A Justiça em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, determinou a derrubada do WhatsApp por 48 horas por causa da investigação de uma quadrilha de roubo a banco e caixas eletrônicos, de acordo com o SPTV.

Segundo o SPTV, a determinação judicial foi uma punição ao Facebook, dono do WhatsApp, que não liberou mensagens usadas pelos criminosos no aplicativo para a investigação policial. A quadrilha é investigada há dois meses.

A Justiça havia autorizado a interceptação das conversas pelo WhatsApp para investigar a facção criminosa que também tem envolvimento com o tráfico de drogas. A decisão foi da  juíza da 1ª Vara Criminal de São Bernardo, Sandra Marques, que tinha autorizado e determinado o grampo oficial e ainda estabeleceu multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

Como o WhatsApp não se manifestou, a multa já estaria em R$ 6 milhões, de acordo com o SPTV. Diante disso, a polícia e o Ministério Público (MP) pediram a interrupção do serviço à Justiça, que concordou.

Histórico

Essa não é a primeira tentativa de bloquear o WhatsApp no país. Em fevereiro, um juiz de Teresina (PI) determinou que as operadoras suspendessem temporariamente o acesso ao app de mensagens. O motivo seria uma recusa do WhatsApp em fornecer informações para uma investigação policial que vinha desde 2013. (fonte: G1/foto reprodução)

Site revela motivo por trás do bloqueio do WhatsApp

whatsapp_2_900_451_90_s_c1_smart_scale_0A rede social WhatsApp teve operações bloqueadas no Brasil por não ter quebrado o sigilo para fornecer informações a uma investigação criminal que acontece em segredo de Justiça em São Bernardo do Campo (SP). É o que revelou o site de tecnologia Gizmodo.

De acordo com um documento obtido site, a origem do documento vem do Grupo de Combate às Facções Criminosas (GCF). No documento enviado às operadoras, a ordem pede que elas bloqueiem acesso a domínios e subdomínios do WhatsApp, e também façam tudo “o que for necessário para a suspensão do tráfego de informações, coleta, armazenamento, guarda e tratamento de registro de dados pessoais ou de comunicações entre usuários da rede”.

A decisão do Supremo se deu por excesso de prazo. De acordo com o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), a polícia pediu ao Facebook, que é dono do WhatsApp, para quebrar o sigilo de investigados, mas não obteve resposta.  Após notificação, que também não foi respondida, houve uma nova notificação, acompanhada de uma multa pelo não pronunciamento, e aí sim o bloqueio.

O fundador do Facebook e atual dono do aplicativo, Mark Zuckerberg, criticou o bloqueio na manhã desta quinta-feira (17). Na publicação, em seu perfil no Facebook, ele disse que está trabalhando duro para reverter a situação e que “este é um dia triste para o país”. (fonte:NE10)

Prefeito de Salgueiro presta queixa contra denúncias em rede social sobre suposto pagamento de propinas

Marcones_640x427O prefeito de Salgueiro (PE), Marcones Libório de Sá (PSB), prestou queixa na Delegacia de Polícia Civil local e encaminhou medida judicial para que o responsável por acusações publicadas na rede social Facebook apresente provas sobre o pagamento de propinas, pelas quais acusou a administração municipal.

O gestor também quer o nome (ou nomes) dos culpados, se a denúncia for verídica. Caso não passe de calúnia, Marcones pede que o autor da publicação no Facebook seja responsabilizado.

“O que o prefeito deseja é tão somente a verdade dos fatos”, diz a nota enviada pela assessoria da prefeitura sobre o caso.

‘Não me enterrem’: apelo de menino ferido se torna símbolo contra a guerra no Iêmen

farred

Um vídeo de um menino do Iêmen (país Árabe) deitado em uma cama de hospital sendo atendido por médicos após um ataque com míssil foi visto mais de 50 mil vezes no Facebook e virou um símbolo do custo humano da guerra em seu país. O vídeo mostra Fareed Shawki, de seis anos, com lágrimas nos olhos, pedindo aos médicos: “Não me enterrem”. (mais…)

Ex-deputada Isabel Cristina desabafa: “Lalau, Georgina, Anões do Orçamento…e olhem que nem havia PT”

isabel cristinaNo dia da mobilização em defesa da presidente Dilma Rousseff, a principal liderança do PT no Sertão pernambucano, ex-deputada Isabel Cristina, fez um desabafo nesta quinta-feira (20) pelas redes sociais.

Em seu perfil no Facebook, Isabel diz não entender toda essa indignação com os supostos casos de corrupção no partido, como se tudo isso tivesse nascido agora, com o PT. E afirmou que são “hipócritas” os que se mostram perplexos.

“A corrupção do PT (da qual existindo sou contra), porém todos sabem que a corrupção reina nos quatro cantos do país, desde a propinazinha pra furar uma fila às grandes negociações com parlamentares de todas as instâncias, dos executivos que têm repasse de tudo, de um simples emprego etc. Portanto assombrar (em relação ao PT) é pura hipocrisia”, declarou.

A ex-deputada disse ainda que em vários setores do país as coisas só funcionam “à base de propina” e não adianta quererem tudo ao partido. “Esta chaga não cola. Quando me entendi já tomava conhecimento de escândalos em série neste país: Lalau, Georgina, Anões do Orçamento, Mandioca…e olhem que não existia PT”, ressaltou.

Maria Elena lamenta condições de postos de saúde em Petrolina

posto saúde petrolinaEnquanto estão de recesso parlamentar, os vereadores de Petrolina aproveitam o tempo para percorrer a cidade. É o caso de Maria Elena (PSB), que ontem (14) e hoje (15) andou visitando alguns postos de saúde na periferia e nos núcleos irrigados. E o que viu a deixou desolada. (mais…)

Artigo do leitor: “A intolerância é intolerável”

download (2)Neste artigo enviado ao Blog, o radialista Omar Torres faz uma reflexão sobre os episódios recentes envolvendo o apresentador Jô Soares que sofreu ameaças após entrevistar a presidente Dilma Rousseff no último dia 12.  Babá comenta sobre a “intolerância ao direito do outro” e lembra que várias pessoas vêm sendo vítimas de ameças semelhantes nas redes sociais.

Acompanhem:

Em pouco mais de uma semana, no asfalto em frente ao prédio onde mora o apresentador Jô Soares, 77 anos, foi pichada a frase “Jô Soares, morra”. O Facebook estampou sobre Fernando Morais:  “Por favor, alguém mate esse lixo humano”, e a menina Kaylane Campos, de 11 anos, foi apedrejada no Rio de Janeiro. Ainda sobre Fernando Morais, publicaram no Facebook: “esse Fernando Morais é mesmo um grande filho da puta, como todo bom esquerdista”;  é “autor do livro MENTIROSO, sobre a vida da comunista de merda Olga”, em referência a Olga Benário. Motivo das agressões: Jô Soares entrevistou a Presidenta Dilma, Fernando Morais exerceu o direito constitucional de criticar a desastrada visita de senadores à Venezuela, com alto custo ao erário público. Portanto, pago por nós brasileiros, e Kaylane Campos  participou de uma festa de candomblé.

Se por um lado a menina Kaylane não é uma celebridade, Jô Soares e Fernando Morais são consagrados jornalistas e escritores, que há décadas contribuem com a cultura e a formação intelectual do país. Mas grandeza e reconhecimento, até internacional, não são suficientes para inibir agressores. Ao invés do embate das idéias, da manifestação legítima da visão crítica ou contrária, pedem morte. Busca-se a legitimação do argumento da força, ante a ausência da força do argumento.

Se até o Papa Francisco, o representante de São Pedro aqui na terra, por suas lúcidas e corajosas posições, é acusado de comunista e recebe por isso críticas e repúdios, imagine os pobres mortais filhos de Eva!  Atenção caçadores de plantão, não estou me insinuando para as fileiras das celebridades, não. Sou plenamente consciente da minha pequenez, ante tantas grandezas. Apenas me sinto incluído entre os milhares de agredidos com bullying eletrônico.

Por defender a democratização dos espaços públicos, criticar a negação de direitos de cidadania na nossa urbe e chamar a atenção para os ataques ao Papa Francisco, fui xingado de comunista e herege que anda em Cuba, que deveria estar ao lado do ditador coreano e, por fim, sugerido que comprasse uma passagem só de ida para uma sociedade comunista. Por expressar o que penso, há quem defenda a minha expulsão do país. Hoje não se critica o escrito, e sim o escritor. Não se contrapõe argumentos ou pontos de vista às idéias defendidas por alguém.

Simplesmente desqualifica-se e agride-se quem as defende. Fico me perguntando se no Brasil de hoje sobreviveriam importantes cronistas como Machado de Assis, Lima Barreto, Rubem Braga, Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos, Nelson Rodrigues, Carlos Drummond de Andrade, Clarice Lispector, Vinicius de Moraes, Antonio Maria, Sérgio Porto e outros que nos ajudaram a crescer intelectualmente e nos embeveceram por décadas com seus escritos.

Eles eram críticos, consequentemente polêmicos, alvos perfeitos para as agressões que hoje se pratica. Provavelmente nos tempos atuais já teria sido sugerida a morte dos “mulatos” Lima Barreto e Machado de Assis, pelas contundentes críticas dos costumes e valores, o “pornográfico” Nelson Rodrigues já teria levado muita porrada, pelo reconhecido mau humor, Rubem Braga estaria impedido de viver na bela cobertura da alegre e descontraída Ipanema, se exigiria rigorosa ação da justiça contra Drumonnd de Andrade pelo “imoral” amor à sua filha Maria Julieta, Clarice Lispector já teria sido execrada nas redes sociais como ”prostituta”, teria sido decretado  o ostracismo do “bêbado” Vinicius de Moraes, pedido  o internamento e tratamento para o “deprimido” Antonio Maria e, no mínimo,  incurso na Lei Afonso Arinos o “racista” Sérgio Porto (Stanislaw Ponte Preta) pelo seu Samba do Crioulo Doido.

A brilhante obra de cada um deles seria também obscurecida pela insanidade daqueles que, por não terem inteligência suficiente para contestá-los, optam pelo caminho fácil da agressão moral e física, pois, se inteligentes fossem, também teriam substância para mostrar, ao invés de se beneficiarem do anonimato para permanecerem no terreno rasteiro das ofensas.

Conheço muita gente que se encolhe e cala por não estar disposta a se expor a agressões ou difamações de quem se afirma com um “não li e não gostei”, enquanto esgrime intelectualidade  googliana.  Muita gente que poderia contribuir enormemente nos debates sobre o momento que vivemos não o faz para se poupar desses dissabores.

Recomendo voltar no tempo e olhar atentamente o exemplo da  Alemanha, que mesmo sendo  uma sociedade progressista e civilizada, em determinada época permitiu uma intolerância que descambou para a perseguição e culminou com o extermínio de judeus, comunistas, homossexuais, ciganos e até deficientes físicos. O resultado, sabemos, foi um desumano conflito de proporção mundial que matou cerca de cinquenta milhões de pessoas. Tudo começou com a simples intolerância ao direito do outro.

Omar Babá Torres/Radialista

Artigo do leitor: “Aonde vamos parar?”

ROBSON PATRICIONeste artigo enviado ao Blog, o leitor Robson Patrício lamenta o fato de as redes sociais – a exemplo do Facebook e WhatsApp – serem utilizadas, atualmente, para propagar a banalização da violência.

Confiram:

Queria aqui compartilhar com vocês a minha tristeza, sabe aquele sentimento de que tudo caminha pra um abismo e você pouco pode fazer pra ajudar.

Algo me chama a atenção e nossos governos, nossos psiquiatras e psicólogos ainda não tomam partido. Por isso, vejo que a cada dia tem se tornado algo normal assistir a cenas pelas redes sociais (WhatsApp, Facebook etc)  de atrocidades como chacinas, queimando, torturando, esquartejando pessoas como se isso fosse algo normal; aplausos é o que não faltam quando se propaga algum vídeo que retrate vingança.

Acho que estamos indo num caminho que em pouco tempo iremos tratar os nossos como assim tratamos os animais, “ignorando”. A morte já nem mais intimida, o mal é visto como normal; aí sim, teremos o fim de uma sociedade civilizada.

Assim como os programas sensacionalistas, que só têm audiência porque o ser humano sente atração pelos problemas dos outros, tão logo também estaremos viciados nessa bebida chamada violência, numa busca desenfreada de “quero mais”.

Há certo tempo venho chamando a atenção das pessoas quanto a compartilhamento nas redes sociais de cenas desnecessárias de violência, quando na verdade temos tantos bons exemplos que poderiam estar sendo compartilhados no intuito de influenciar as pessoas a praticarem o bem, ao invés de incentivar o mal.

Talvez alguns possam ler esse texto e interpretar como um desabafo, quando na verdade é apenas uma tristeza, de saber que não estamos tão longe de um precipício, chamado de inversão de valores numa sociedade, onde ser honesto é vergonhoso, onde ser um bom filho é desnecessário, onde o cuidado com os semelhantes é banal.

O tempo passa e o que não faltam são histórias de um tempo bom já bem distante e que não volta mais. Ficamos apenas com uma certeza: de que nossa sociedade possa, diante da aflição de uma destruição de conceitos, tornar a reconstruir o que de melhor temos em nossos corações, o amor. Esse por muito dorme em nossa alma, mas apenas à espera do nosso despertar. Abraços. E que Deus nos proteja.

Robson Patrício/Tecnólogo em Recursos

Jovens de Dormentes repudiam comentários preconceituosos nas redes sociais referentes à Caprishow

Um grupo de jovens de Dormentes (PE), no Sertão do São Francisco, rechaçou os comentários preconceituosos referentes à 10ª Caprishow, realizada no último final de semana na cidade.

Pelo Facebook, alguns adolescentes referiram-se de forma pejorativa à tradicional festa. Um dos comentários dizia o seguinte: “vou aqui na Caprishow só de zoas…ué, isso é uma festa ou um curral?”. Outro comentário fazia a seguinte afirmação: “beijei uma guria de Dormentes ontem. Acordei com bafo de bode, afff!”.

Na nota de repúdio – assinada por Danilo Cavalcanti, Gilmar Macedo, Túlio Macedo, Jaiane Castro, Leonardo Cavalcante e Gessika Priscila – os jovens criticam veementemente os comentários.

Confiram:

Nós, da juventude de Dormentes, manifestamos todo nosso repúdio e de toda a população dessa importante cidade aos comentários preconceituosos, maldosos e sem propósito emitidos na rede social Facebook por Erpo Araújo, André Nunes, Joamerson Lima, Narayanne Dias e Jefferson Junnior. Essas pessoas, norteadas pelo preconceito, o mesmo que muitas vezes o nordestino sofre por parte de alguns poucos desinformados do sul e sudeste, proferiram inúmeras palavras para denegrir nossa maravilhosa cidade.

Não sabem eles a importância de Dormentes. Não sabem que Dormentes é a maior cidade produtora de caprinos e ovinos do Estado, que produz muitas riquezas. Essa é uma cidade feita de homens e mulheres honrados, fortes, trabalhadores, empreendedores, que têm participação imprescindível no crescimento e desenvolvimento da região, inclusive da cidade de Petrolina, na qual os jovens moram.

São pessoas que não medem esforços para falar mal daquilo que sequer conhecem direito. Pessoas que, sendo nordestinas, sendo sertanejas, jogam suas origens familiares no lixo ao se referirem de forma jocosa às características rurais que estão ao nosso redor. No entanto, nossa cidade é maior que isso e continuará sendo um lugar maravilhoso do qual temos muito orgulho. Além do mais, Dormentes não depende dessas pessoas e lamentamos muito que um dia elas tenham sonhado em estar em nossa cidade. Reconhecemos, sim, e agradecemos a presença das dezenas de milhares de pessoas de Petrolina, Juazeiro e toda região, que com educação e gentileza prestigiaram mais uma vez a nossa Caprishow.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br