Zona Franca do Semi-Árido já esta na CCJ da Câmara

por Carlos Britto // 24 de fevereiro de 2009 às 11:50

Objetivado viabilizar o Projeto da Zona Franca do Semi-Árido Nordestino (ZFS), já está na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, uma emenda à reforma tributária que tramita no legislativo, a qual tem por finalidade possibilitar todos os incentivos fiscais e tributários, além da doação de áreas de terra, possibilitando a instalação de 8 pólos industriais, beneficiando os Estados que fazem parte do Polígono das Secas, com várias atividades industriais.

A emenda foi apresentada pelo Deputado Federal do PMDB da Paraíba, Wilson Santiago, já contando com apoio do presidente do Congresso Nacional, Senador José Sarney, a quem foi apresentado o Projeto pelo presidente da União Brasileira de Municípios, Leonardo Santana, que idealizou a ZFS para a Região mais seca do país, em recente encontro no Senado, por ocasião do Encontro Nacional de Prefeitos e Prefeitas.

Para Leonardo, a Zona Franca do Semi-Árido, significa o maior passo para a redenção econômica e social do Nordeste, uma Região, segundo ele, discriminada ao longo dos tempos, com uma população carente de políticas públicas suficientes para manter o homem no campo, com geração de emprego e renda, ocasionando o abandono da cultura local, além de sufocar ainda mais os grandes centros.

Na proposta original da UBAM, lançada em 2005, num encontro de prefeitos, realizado em João Pessoa (PB), o Projeto da Zona Franca do Semi-Árido estabelece incentivos fiscais por 30 anos para implantação dos pólos industriais, instituindo, dessa forma, um novo modelo de desenvolvimento econômico para o Nordeste.

Visando integrar a toda Região Nordeste à economia do País, bem como interiorizar o desenvolvimento sustentável, a ZFS vai gerar meio milhão de novos postos de trabalho, além de projetar a Região para a condição de mais desenvolvida do Brasil, já que a idéia é facilitar a industrialização de produtos que são fabricados em países como a China, Japão, Coréia e Taywam.

Alguns municípios já estão sendo analisadas para sediar os pólos industriais, a exemplo de: Soledade, Sousa, Cajazeiras (na Paraíba), Mossoró e Caicó (no Rio Grande do Norte), Serra Talhada, Garanhuns e Santa Cruz do Capibaribe (Pernambuco), Juazeiro do Norte, Catarina e Sobral (Ceará), Arapiraca (Alagoas) Vitória da Conquista e Paulo Afonso (Bahia), Própria (Sergipe), Picos (Piauí) e Diamantina (Minas Gerais), onde existem 86 municípios que fazem parte do Polígono das Secas e são assistidos pela Sudene.

Fonte: Paraiba.com.br

Zona Franca do Semi-Árido já esta na CCJ da Câmara

  1. Harisson Juazeiro, cidade-dinamismo no Nordeste disse:

    Cade o a regiao que mais cresce no Nordeste? Petrolina- Juazeiro com certeza deveriam estar nessa lista!!! Cabe agora aos politicos regionais lutarem para trazer a ZFS para ca…. aqui ela daria muito mais lucro!!

  2. O Macaco disse:

    Já existe um projeto anterior pra cá. O que passou, morreu?

  3. eu disse:

    após os 20 anos, quando começar a cobrar os impostos e consequentemente diminuem os seus lucros, as empresas juntam suas tralhas e vão embora, e o povo que se lixe…

  4. Harisson Juazeiro, cidade-dinamismo no Nordeste disse:

    O “eu” tem razao, mas ainda afirmo que se fosse implatada na nossa regiao seria mais proveitoso… nenhuma empresa mesmo que privada se arrendeu de investir aqui!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *