Uneb de Senhor do Bonfim emite nota sobre confronto entre espadeiros e PMs; estudante atingida por bala de borracha perde a visão

1
(Foto: Divulgação/Uneb)

A Universidade do Estado da Bahia (Ueb)/Campus Senhor do Bonfim, no norte do estado, enviou nota sobre o confronto entre espadeiros e policiais militares no último final de semana. Uma estudante da instituição, identificada como Fabíola de Jesus Cardoso, foi atingida por um disparo de bala de borracha em um dos olhos e teve que ser removida para um hospital de referência no Recife (PE), onde segundo a família dela, foi confirmado o diagnóstico da perda de visão.

Acompanhe a nota, na íntegra:

A Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Campus VII de Senhor do Bonfim, vem a público lamentar profundamente a ação violenta da Polícia Militar da Bahia na noite de São João deste ano na cidade de Senhor do Bonfim-BA.

Fabíola de Jesus Cardoso, estudante do curso de Enfermagem desta Instituição, foi vítima de um disparo de bala de borracha em um dos olhos e teve que ser removida para um hospital de referência em Recife-PE.

A Universidade acompanha preocupada a situação de Fabíola. E, infelizmente, conforme informações da família foi confirmado o diagnóstico da perda de visão.

O cumprimento de uma ordem judicial, fruto de provocações, no mínimo, questionáveis do Ministério Público do Estado da Bahia, não pode justificar tais barbaridades.

O momento exige lucidez das autoridades envolvidas já que a prática quase centenária de tocar espadas em Senhor do Bonfim, agora criminalizada, nunca registrou fatos dessa natureza.

A cultura de um povo não pode ser alvo de um tratamento que, não bastassem os prejuízos imateriais, ameaçam a integridade física das pessoas.

A Uneb, portanto, toma a iniciativa de propor um inadiável e amplo diálogo entre a população, as autoridades e as instituições, no sentido de se buscar soluções para esse impasse, que já dura três anos, com enfrentamentos que, se não resolvidos, trarão consequências ainda piores do que este golpe sofrido por Fabíola e sua família.

Senhor do Bonfim, 25 de junho de 2019.

Universidade do Estado da Bahia, Campus VII, Senhor do Bonfim, Bahia.

1 COMENTÁRIO

  1. O comando da polícia deve no mínimo punir o responsável. Atirar no rosto, por que não atira no corpo? Eram pessoas festejando suas tradições. Arte não é crime. Cultura não é crime. O Estado é que é um criminoso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome