Três cidades devem ter novas eleições em 2009

por Carlos Britto // 17 de dezembro de 2008 às 20:02

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) deve realizar novas eleições em pelo menos três municípios pernambucanos. O pleito já é certo em Pombos, no Agreste, onde a Justiça indeferiu a candidatura de Cleide Jane Sudário Oliveira (PR). Em Lagoa Grande, no Sertão, e em Caetés, no Agreste, a tendência é de que ocorra o mesmo. Os prefeitos eleitos dessas duas cidades, Jorge Roberto Garziera (PMDB) e José Luiz de Sá Sampaio (PSB), respectivamente, tiveram os registros cassados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e esperam o julgamento dos últimos recursos cabíveis.

Garziera sofreu outra derrota ontem no TRE. O desembargador Francisco Julião de Oliveira Sobrinho concedeu liminar contra a diplomação do peemedebista e do vice-prefeito eleito, Manoel da Silva Rego (PPS), prevista para amanhã. Sem o diploma da Justiça, esclareceu o desembargador, Garziera não pode assumir o mandato em janeiro. A liminar, passível de recursos, acatou os argumentos do mandadode segurança impetrado pelo candidato a vice-prefeito derrotado, Ademar Nonato Barbosa (PT). A chapa do petista era encabeçada por José Robson Ramos de Amorim (PSB).

Eleito em Caetés, com 54,26% dos votos, José Luiz de Sá Sampaio (Sampainho) teve a candidatura cassada em primeira instância. Essa decisão foi rejeitada pelo TRE e acatada pelo TSE. Se os ministros do TSE mantiverem as cassações em Caetés e Lagoa Grande, novas eleições devem ser realizadas. A legislação eleitoral determina que os pleitos sejam promovidos de 20 a 40 dias após a decisão definitiva. Mas a intenção do presidente do TRE, desembargador Jovaldo Nunes, é aguardar por novos julgamentos do TSE e ver a possibilidade de organizar eleições conjuntas.

Também corre o risco de perder o mandato, o prefeito eleito de Araçoiaba, Hildemar Alves Guimarães, o Cuscuz (PSB). Mas em Araçoiaba, na Região Metropolitana, pode não ocorrer eleições. Isso porque o socialista obteve 40,2% dos votos e, segundo a legislação eleitoral, um novo pleito somente deveacontecer se metade mais um dos votos forem considerados nulos com a cassação do registro. Cuscuz aguarda o julgamento de um recurso extraordinário do TSE. Se confirmado o indeferimento, quem assume é Severino Alexandre Sobrinho (PMDB), atual prefeito.

Três cidades devem ter novas eleições em 2009

  1. LUCIANO disse:

    É UMA VERGONHA PARA A DESEMBARGADORA MARGARIDA CANTARELI DO TRE DE PERNAMBUCO DAR LIMINAR PARA O PREFEITO DE CAETES QUANDO O MESMO JÁ FOI CASSADO PELO TSE É UMA DEMONSTRAÇÃO DE QUE O TSE NÃO TEM AUTORIDADE EM SUAS DECISÕES

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.