Temendo opinião pública, vereadores ignoram parecer que considerava inconstitucional projeto de Geraldo da Acerola sobre cobrador nos ônibus

1

parecer-projeto-geraldo-acerola

Temendo a pressão da opinião pública, os vereadores da Casa Plínio Amorim decidiram ontem (24) ignorar por ampla maioria (12 votos a um), o parecer jurídico do Legislativo, que considerava inconstitucional um projeto de lei de autoria de Geraldo da Acerola (PT). O vereador propõe que o cargo de cobrador de ônibus seja mantido no transporte coletivo de Petrolina.

A matéria, que já rendeu até uma audiência pública, aguardava o posicionamento do setor jurídico da Casa para que o projeto, que aguarda o parecer das comissões, pudesse ter andamento. Se o parecer jurídico fosse aprovado ontem, o projeto de Geraldo estaria enterrado de vez.

A justificativa emblemática na sessão de ontem foi dada pelo vereador Ronaldo Cancão (PTB). Mesmo reconhecendo a inconstitucionalidade do projeto, Cancão afirmou que votaria pela derrubada do parecer, alegando que não seria conivente com o aumento do desemprego na cidade por conta das eventuais demissões dos cobradores, cuja função passaria a ser exercida pelos motoristas. “Eu estou errado. O projeto é inconstitucional, mas vou votar pela derrubada do parecer”, afirmou.

1 COMENTÁRIO

  1. Se querem manter os cobradores, então deixem as empresas ajustar o valor das passagens o quanto for necessário para custear as despesas trabalhistas. Não querem manter os empregos, pois que paguem por isso! Obs: eu não ando de ônibus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome