Taxistas de Petrolina minimizam polêmica com aplicativos de transporte e alegam apenas querer evitar serviço clandestino

4
Foto: Blog do Carlos Britto

A controvérsia envolvendo os motoristas de aplicativos de transporte individual de passageiros levou a Associação dos Taxistas de Petrolina (Astape) a se manifestar. Em entrevista ao Programa Carlos Britto, na Rural FM, na última sexta (9), o presidente da entidade, José Nilton de Souza, e o diretor Jandicley Lunarino, minimizaram a questão ao justificarem que a Astape “não tem nada contra” a categoria.

De acordo com José Nilton, a única coisa que os taxistas exigem é a regularização dos motoristas de aplicativos, uma vez que não aceitarão que esse serviço seja feito clandestinamente na cidade, já que os taxistas são legalizados e pagam devidamente os tributos cobrados pelo município.

Ele explicou que o decreto 022/19, assinado pelo prefeito Miguel Coelho, já vigora há um ano. Portanto, segundo ele, houve tempo hábil suficiente para os profissionais de aplicativos se adequarem à lei. “O decreto já tinha dado um prazo de 90 dias para os motoristas de aplicativos. Acontece que eles mudaram de lideranças, e toda liderança que chega quer postergar, exigindo mais prazo. Só que um ano é prazo suficiente para aqueles que não estão dentro das regras já terem se encaixado”, ponderou.

Para Jandicley, o decreto é imprescindível para separar os profissionais sérios dos clandestinos. “Petrolina perdeu o controle em cima dos aplicativos, com a chegada dos clandestinos. Hoje, se você analisar, tem mais motorista trabalhando fora da plataforma do que na plataforma”, revelou.

Concorrência

Os representantes da Astape disseram ainda que, para fazer frente à concorrência dos aplicativos, também passaram a oferecer serviços similares para atrair clientes. Além disso, segundo José Nilton, o cliente que se utilizar de um táxi pode negociar com o profissional um valor “mais em conta” na hora em que for pagar pela viagem. Em relação à Astape, o presidente informou que os taxistas também são cobrados e, se infringirem alguma norma, ele é o primeiro a dizer que esses profissionais devem ser punidos. “Se estamos prestando um serviço para a população, temos de prestar um serviço de qualidade”, pontuou.

4 COMENTÁRIOS

  1. ATÉ TENTEI USAR ESSE APLICATIVO. DE SEIS TENTATIVA SÓ CONSEGUI USAR 2 VEZES. OS PROFISSIONAIS NÃO ATENDEM AS CHAMADAS. NO MEU PONTO DE VISTA NÃO IMPORTA O PERCUSO SE VAI DAR LUCRO OU NÃO. CHEGUEI DE VIAGEM NUM DOMINGO SOLICITEI UMA CORRIDA QUE DAVA 10,00 PELO SIM TAXI E NÃO APARECEU UM. LIGUEI PRA TELE TAXI FOI RAPIDO MAS A CORRIDA DE 10,00 PASSOU PRA 16,00. VAI MUITO PRA FRENTE ESSE SIM TAXI SE CONTINUAR DESSE JEITO.

  2. A grande maioria dos motoristas de aplicativos querem trabalhar na legalidade, mas a quantidade de imposições que a prefeitura está colocando, acaba por levarem muitos a não quererem se cadastrar.
    Motorista de plicativo não tem os descontos generosos que o taxista tem, e eles só pagam as taxas uma vez por ano. Já quem trabalha nos aplicativos terão que pagar mensal e não tem direito a descontos na compra de seus carros.

    Uma das mais absurdas é a distância de certos locais para poder pegar os passageiros que é impossível de ser praticada.

  3. Parabéns vereadores, por atrapalhar a iniciativa privada da nossa regiao!!!! 2020 esta chegando, a resposta vira das urnas!
    Por que em vez de regulamentar os motoristas de aplicativo, nao desregulamenta os taxistas? Essa ação iria trazer mais competição e preços justos, alem de receita para os cidadaos e a cidade.
    Mas eles preferem tirar a liberdade do povo. A direita precisa acordar nessa cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome