Sobradinho atinge capacidade máxima e garante abastecimento de energia por dois anos

por Carlos Britto // 01 de maio de 2009 às 17:43

A barragem de Sobradinho (BA) está cheia. Por isso a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf) abriu uma parte das comportas para liberar água. De acordo com a Chesf, com esse acúmulo de água, a geração de energia está garantida para os próximos dois anos.

O reservatório de Sobradinho, na Bahia, é o maior lago artificial da América Latina e o segundo do mundo: são 320 quilômetros de extensão, podendo armazenar 34 bilhões de metros cúbicos de água. Com as chuvas dos últimos meses, o reservatório chegou a sua capacidade máxima.

Pela comportas de fundo estão sendo liberados 3.500 metros cúbicos de água por segundo. Como o lago está com 100% da sua capacidade, a geração de energia está garantida pelos próximos dois anos, sem a necessidade de novas chuvas.

De acordo com o superintendente de operações da Chesf, João Henrique Franklin, não será necessário abrir as comportas superiores. “A vazão máxima do reservatório de Sobradinho é quatro mil metros cúbicos por segundo”, afirmou. “A tendência agora é de redução. Para esse patamar de vazão não existem perspectivas de abertura das comportas de superfície”.

Por causa da liberação da água, a paisagem nas cidades ribeirinhas começou a mudar. Em uma ilha, em Petrolina, os banhistas precisavam andar 50 metros para ter acesso ao rio. Agora a água disputa o espaço com as barracas.

O Corpo de Bombeiros de Petrolina e a Agência Fluvial de Juazeiro realizaram uma vistoria nas ilhas para verificar as condições de navegabilidade e o acesso dos banhistas.

“O que aconselhamos é que eles façam a navegação dentro das marcações do canal, porque há muitas pedras submersas e bancos de areia”, explica o capitão-tenente Adroaldo Amorim, da Agência Fluvial de Juazeiro. “O condutor que não é habilitado não tem conhecimento disso e pode vir a encalhar ou bater em uma pedra”.

Texto e foto: pe360graus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *