Senador FBC lança manifesto em defesa do isolamento social contra pandemia do novo coronavírus

6
Foto: divulgação

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) divulgou nesta segunda-feira (30) um manifesto em defesa do isolamento social como a medida mais eficaz para minimizar os efeitos da pandemia do coronavírus. Segundo o documento, assinado por diversos líderes partidários no Senado, somente o isolamento social será capaz de promover o “achatamento da curva” de transmissão da Covid-19 no Brasil.

A experiência dos países que estão em estágios mais avançados de disseminação da doença deixa claro que, diante da inexistência de vacina ou de tratamento médico plenamente comprovado, a medida mais eficaz de minimização dos efeitos da pandemia é o isolamento social. Somente o isolamento social, mantidas as atividades essenciais, poderá promover o ‘achatamento da curva’ de contágio, possibilitando que a estrutura de saúde possa atender ao maior número possível de enfermos, salvando assim milhões de vidas, conforme apontam os estudos sobre o tema”.

No documento, os líderes lembram que “ao Estado cabe apoiar as pessoas vulneráveis, os empreendedores e segmentos sociais que serão atingidos economicamente pelos efeitos do isolamento”.

Por fim, reiteram o apoio ao isolamento social. “O Senado Federal, através da maioria expressiva dos seus líderes, se manifesta de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde e apoia o isolamento social no Brasil, ao mesmo tempo em que pede ao povo que cumpra as medidas ficando em casa”.

6 COMENTÁRIOS

  1. Quero ver o senhor abrir mão de suas verbas de gabinete, assim como os outros parlamentares.

    Enquanto a população se humilhar para conseguir alguma coisa, os politicos ficam calados sobre os privilégios e suas vernas de ganinete que poderiam estar a serviço da população.

    Os judiciario também poderia dar sua contribuição, mas o que vejo são todos calados em suas casas super confortaveis e dispensas cheias de comida e bebidas caras.

  2. É muito fácil pedir ao povo ficar em casa. Quando se tem sobrando.
    Vocês estao tao precupados com a populaçao que ninguem faz nada ao ver centenas de pessoas amotinadas nas portas das escolas pra pegar uma esmola chamada cesta básica. É muita hipocrisia.
    Votei em você senador.
    O isolamento vertical deve ser pensado sim. O presidente tem razão.
    Ha muito é falta de orientaçao.
    A própria OMS que nao é confiável fala isso.

  3. Em entrevista coletiva da Organização Mundial de Saúde (OMS), o diretor-geral, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que os lockdowns (ou quarentenas) podem comprar tempo, mas devem levar em conta que cada país é diferente.

    A fala de Ghebreyesus é encarada como um “recuo” da OMS em relação ao isolamento de pessoas saudáveis durante a pandemia do vírus chinês, que impacta diretamente na economia e no sustento de famílias.

    “Se estamos fechando ou limitando o movimento, precisamos pensar nelas [as pessoas]. O impacto na economia tem a ver com vários fatores, mas precisamos saber o que isso significa para o indivíduo que precisa sair para sobreviver. Venho de uma família pobre e sei o que significa se preocupar com o que comer amanhã”.

    Ainda de acordo com o diretor da OMS, os governos têm de levar em conta a população que precisa trabalhar para garantir seu pão diário.

    O afrouxamento das medidas de isolamento já vem sido defendida pelo presidente Jair Bolsonaro, que recebe inúmeras críticas. Em diversos estados, está proibida, sob pena de multa, a abertura do comércio. As pessoas foram privadas do direito de garantirem seu próprio sustento.

    “Se fecharmos ou limitarmos as movimentações, o que acontecerá com essas pessoas que têm que trabalhar todos os dias e têm que garantir seu pão de cada dia todos os dias?”, questiona Tedros. “Cada país, baseado em sua situação, deveria responder a esta questão”, acrescentou.

    Até a OMS está afrouxando a rigorosidade do confinamento. É mole pedir para o povo ficar em casa quando o meu tá garantido, né, senador? Em Petrolina, vivemos uma “epidemia” de 02 casos, em uma população de 350.000 habitantes, que corresponde a 0,0005% da população, enquanto isso quantas pessoas perderão o sustento por causa desse confinamento? A epidemia que veremos será a do desemprego, da fome e violência! Saliente-se que só temos 02 casos há 04 dias, e que os tais não foram de transmissão comunitária. È como dizem: “A diferença do remédio para o veneno está na dose”

    Isso não quer dizer que não devamos nos preocupar com o vírus, mas os dados estatísticos não justificariam as medidas tomadas na nossa região. Poder-se-iam abrir o comércio com algumas restrições, como ocorre nos supermercados e nas demais atividades essenciais. Obras civis poderiam ser retomadas, e com isso minimizar os efeitos desastrosos na economia que se desenha no curto prazo.

    Mas parece haver um interesse que as coisas estejam desta forma. O caos, a crise econômica, a histeria e medo da população são ingredientes perfeitos para implementação de mudanças que, de outra sorte, seriam muito difíceis de serem implementadas; resta esperar pra ver quais serão tais mudanças.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome