Senado decide hoje destino de Demóstenes Torres

por Carlos Britto // 11 de julho de 2012 às 07:14

Está marcada para as 10h desta quarta-feira (11) o início da sessão do Senado que decidirá sobre a manutenção ou perda do mandato do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO). A votação no plenário da Casa é a etapa final do processo disciplinar aberto em maio no Conselho de Ética, que recomendou a cassação por unanimidade, sob o entendimento de que o senador quebrou o decoro parlamentar ao tentar beneficiar o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Desde o início das denúncias, Demóstenes alega que sua relação com Cachoeira, revelada em gravações da Polícia Federal, se limitaria à amizade e que não sabia de qualquer atividade ilegal. Cachoeira foi preso em fevereiro, sob acusação de comandar uma rede de casas com máquinas caça níqueis em Goiás e de corromper agentes públicos.

Caso tenha a cassação aprovada, Demóstenes terá seus direitos políticos suspensos por oito anos a contar do fim de seu mandato parlamentar, que encerraria em 2019. Se isto ocorrer, Demóstenes só poderá voltar a disputar eleições a partir de 2027, quando tiver 66 anos.

Outra consequência é que, sem o mandato de senador, ele deixa de ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal. Como é procurador de Justiça do Ministério Público de Goiás, Demóstenes teria como foro o Tribunal de Justiça de Goiás.

Sessão

Para que a cassação seja aprovada, é preciso o voto favorável de 41 dos 81 senadores. A votação é secreta, mas vários senadores já manifestaram a intenção de revelar verbalmente suas posições. O Senado registrará apenas o placar, mas o voto de cada permanecerá oculto.

Antes da votação, porém, todos os senadores da Casa presentes terão direito de falar na sessão, que será presidida por José Sarney (PMDB-AP). O primeiro falar será o relator do processo no Conselho de Ética, Humberto Costa (PT-PE), que terá 10 minutos para falar.

Ontem (10), Humberto afirmou que vai fazer um “discurso de improviso”, mas está confiante na cassação do colega. Em seu relatório, que considera “equilibrado“, ele conclui que Demóstenes percebeu “vantagens indevidas” e “praticou irregularidades graves no desempenho do mandato”.

“Tenho a convicção que a maioria dos senadores vai votar pela cassação. Esta decisão não deixa ninguém feliz, mas é uma satisfação que precisa ser dada”, disse. Depois dele, subirá à tribuna o senador Pedro Taques (PDT-MT), relator do processo na Comissão de Constituição e Justiça. Pelo tempo de 10 minutos, ele defenderá a tramitação do processo contra Demóstenes. Em seu parecer, ele considerou o rito correto, com direito a ampla defesa, direito de produzir provas, assistência de advogados e notificação de todas as etapas. (Do G1 c/foto)

Senado decide hoje destino de Demóstenes Torres

  1. Coco seco disse:

    Pizza…

  2. Manoel Augusto Rosas Cavalcanti disse:

    Amigos,
    Este pobre rapaz é inocente.
    Gente, ele é tão bobo que, tira catota do nariz com luva de boxe e da grandes beliscões nos azulejos do seu banheiro na sua humilde casa.
    Abraços.
    Manoel Agusto.

    1. Manoel Augusto Rosas Cavalcanti disse:

      Caso tenha a cassação aprovada, Demóstenes terá seus direitos políticos suspensos por oito anos a contar do fim de seu mandato parlamentar, que encerraria em 2019. Se isto ocorrer, Demóstenes só poderá voltar a disputar eleições a partir de 2027, quando tiver 66 anos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *