Sem mágoas, Domingos de Cristália desabafa ao retornar à Casa Plínio Amorim: “Entrei pela porta da frente, não pelos fundos”

4
Foto: Blog do Carlos Britto

Adotando um discurso sem ranço, o vereador Domingos de Cristália deixou estampada a sua alegria ao retornar à Casa Plínio Amorim na primeira sessão plenária do semestre, nesta terça-feira (6), após o recesso parlamentar de julho. Cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) por unanimidade dos desembargadores, no último dia 9 de julho, sob a acusação de abuso de poder econômico e político nas eleições de 2016, Domingos conseguiu junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) uma liminar favorável, após mandado de segurança impetrado pela sua assessoria jurídica.

A decisão saiu na noite de ontem (5) e, já nesta manhã, o presidente do Legislativo de Petrolina, vereador Osório Siqueira (PSB), foi notificado. O assunto, aliás, dominou as atenções na reabertura dos trabalhos plenários da Casa.

Em rápida entrevista à imprensa, Domingos beirou a emoção. “Sempre acreditei (que retornaria), principalmente na justiça divina. A gente só tem a agradece às pessoas que sempre nos deu apoio, ao povo de Petrolina, aos nossos advogados, a Dr.Julio, que foi uma pessoa que nunca me abandonou, aos meus filhos, irmãos…a todos que me acompanharam”, declarou.

Perguntado se percebeu a alegria de muitas pessoas presentes à sessão em vê-lo de volta, o vereador disse que sim, atribuindo o fato ao seu trabalho em Petrolina. “Quando a gente faz o bem, mesmo as pessoas não conhecendo a gente, essa corrente vai pra frente. Eu entrei pela porta da frente, e não pela porta dos fundos. Fui eleito o 14º vereador mais votado, tive 70% dos votos válidos em Izacolândia, e isso é um sentimento de gratidão. As pessoas sabem que não cometi nenhum erro, nenhum ato ilícito pra ser punido dessa forma”, ponderou.

Desafeto

Em relação ao líder comunitário Júlio César Monteiro, autor da denúncia no Ministério Público de Pernambuco (MPPE) que originou o julgamento de Domingos no TRE-PE e o qual revelou estar jurado de morte, o vereador foi categórico ao justificar que não tem nada a ver com isso. “Não tenho a esconder de ninguém, minha vida é um livro aberto. Com relação à liderança dele, vocês têm de ver a liderança na comunidade onde ele mora. Pra mim, ele é um candidato derrotado, toda vez que disputou comigo perdeu a eleição e não aceita”. Sobre o suplente Alvorlande Cruz (PSL), que ocupou  sua vaga na Casa, Domingos assegurou que tem uma relação amistosa com o colega de legenda.

4 COMENTÁRIOS

  1. A CORDA BAMBA DE TODOS OS LADOS. JUSTIÇA FEITA. VEREADOR NOBRE TEM DE VOLTAR MESMO. PARABÉNS! E MAIS TRABALHO PARA A COMUNIDADE DE IZACOLÂNDIA. O JULIO CESAR VÁ PROCURAR TRABALHO E DEIXE OS DEMAIS TRABALHAREM.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome