Secretários de saúde do Nordeste cobram verba para ajudar a combater o coronavírus

3
Foto: Ilustrativa/ Fernando Frazão

Durante reunião virtual ontem (12), os secretários de saúde dos Estados do Nordeste avaliaram a situação da pandemia de coronavírus na região e chegaram à conclusão unânime de que o Ministério da Saúde deve ser mais efetivo na garantia e liberação imediata de recursos para os Estados. Segundo André Longo, secretário de Pernambuco, os recursos precisam chegar com urgência para que se possa agir antes que onda de contágio se torne gigantesca. “Precisamos garantir a compra ou receber do Ministério EPIs, insumos para exames laboratoriais e recursos para contratação de leitos de UTI. Isso não pode chegar daqui a 4 meses”.

Ficou decidido que todos os Estados farão um levantamento das principais necessidades comuns para apresentar ao Ministério da Saúde. E cogitou-se a possibilidade de realizarem compras conjuntas de materiais e insumos necessários para esta ação, através do Consórcio Nordeste.

Os secretários também recomendaram que a população tome cuidado e tenha atenção na realização de eventos públicos de massa, mas afirmaram que por enquanto não indicam proibição indiscriminada deles. Há um entendimento que isso poderia aumentar desnecessariamente a comoção pública e, assim, desorganizaria a demanda por atendimento, aumentando ainda mais a pressão sobre hospitais e Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

Por fim, além de destacar a necessidade de garantia dos estoques de Tamiflu em todos os Estados para enfrentamento dessa pandemia, os secretários de saúde dos Estados do Nordeste decidiram fazer nova reunião na próxima quinta-feira (19), em São Luís (MA). Até lá, haverá um comitê de acompanhamento permanente da situação.

3 COMENTÁRIOS

    • Pura verdade. É exatamente isso que acontece. Mas com fé em Deus a gente vai mudar o nordeste tbm e tirar nossa região sofrida, das mãos desses canalhas, hipócritas e ladrões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome