Reservatório de Sobradinho tem a sua vazão reduzida para cerca de 800 metros cúbicos por segundo

2
Foto: arquivo/Blog do Carlos Britto

A vazão da Barragem de Sobradinho (BA) passou a ser de cerca de 800 metros cúbicos por segundo (m³/s) desde a quarta-feira (21). Antes disso, estava em 1,3 mil m³/s. A redução afeta todos os agricultores que captam, diretamente, a água do São Francisco para a produção e estão abaixo do Lago de Sobradinho. “É um absurdo o que o sistema elétrico faz com a gente. É uma falta de respeito. Todos que não estão nos perímetros irrigados terão que mudar os seus pontos de captação”, comentou o presidente da Associação dos Produtores Hortifrutigranjeiros do Vale do São Francisco (Valexport), José Gualberto. O Vale do São Francisco é um dos principais polos de fruticultura irrigada do País. Segundo técnicos do setor, não há risco de racionamento de energia. 

José Gualberto argumentou que há um mês a vazão estava em 1,7 mil m³/s. “Não sou contra a gestão do lago, mas nada justifica mudanças tão bruscas. Isso traz muita insegurança aos agricultores”, comentou. E, nesse caso, a insegurança pode resultar em menos investimentos na região. O empresário revelou que a diminuição da vazão traz mais custo aos produtores por paralisarem os seus processos, por um ou dois dias, para readaptarem os sistemas de irrigação.

A redução da vazão foi feita pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) a pedido do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) -que faz a operação do sistema elétrico do País – e num momento de baixa dos reservatórios do Centro-Sul é importante poupar a água de Sobradinho, que responde sozinho pelo armazenamento de cerca de 60% de toda a água destinada à produção de energia no Nordeste. A diminuição ocorreu porque os reservatórios das principais hidrelétricas do Centro-Sul estão apresentando redução na quantidade de água armazenada devido à estiagem que ocorre nessas regiões.

As chuvas este ano foram boas na região da caixa d’água que abastece o Rio São Francisco. O percentual de armazenamento de Sobradinho foi de 61,21% de seu volume útil na quarta-feira (21) e nesse mesmo dia, no ano passado, esse percentual estava em 33,4%. Neste ano, Sobradinho ultrapassou os 90% do seu volume útil, o que não ocorria há mais de 10 anos. O período seco para a Bacia do Velho Chico ocorre entre os meses de maio e outubro. Já o período úmido (chuvoso) acontece entre os meses de novembro a abril. De acordo com a Chesf, não haverá impacto na produção de energia das hidrelétricas da estatal, pois a pequena diminuição de geração ocasionada pela redução da vazão de Sobradinho é compensada pelas hidrelétricas que utilizam a água antes de chegar ao grande reservatório. (Fonte: JC Online)

2 COMENTÁRIOS

  1. Se não existisse a barragem, não haveria energia suficiente para rodar os motores das bombas e nem água também. Então o que deve haver é um planejamento em consonância com os produtores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome