Reitor da Federal de Campina Grande polemiza sobre novo Enem

por Carlos Britto // 17 de maio de 2009 às 08:30

A polêmica sobre o novo modelo de vestibular para as universidades brasileiras promete continuar por um bom tempo ainda.

Um leitor do Blog nos enviou um comentário feito pelo reitor da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Thompson Mariz, chamando a atenção sobre a possibilidade do novo Enem aumentar as desigualdades regionais.

Segundo Mariz, os estudantes das capitais vão ocupar todas as vagas dos chamados “cursos da elite” das universidades do interior e regiões periféricas, reduzindo as oportunidades de quem mora na região.

O reitor da UFCG afirma o seguinte: “A gente não pode tratar de forma igual aquilo que é desigual. Não é tão deletério defender o regionalismo. Os alunos do Nordeste vão ser condenados aos cursos de pouca demanda”, resumiu.  

Reitor da Federal de Campina Grande polemiza sobre novo Enem

  1. Raimundo Francisco Filho disse:

    É pertinente a preocupação do reitor, pois não se pde tratar igualmente os desiguais, isso é um corolário. Ou será que essa desigualdade ainda não foi percebida pelos demais reitores? Ou será que eles não estão preocupados com isso?

  2. Feeling disse:

    Tudo é politica e envolve muito dinheiro… eles – os donos da nova medida – estão pouco preocupados com nós estudantes!

  3. Opara disse:

    Polêmica! onde está a polêmica. Somente os pró-PT é que não querem enxergar. Está na cara que os alunos das regiões que tiverem as melhores notas no ENEM vão tomar as vagas dos outras regiões. Então por que os reitores aceitaram o novo ENEM? porque o governo federal condicionou o envio de verbas à adesão… como os reitores gostam de movimentar dinheiro, não podia ser outra a decisão, senão aderir a chantagem do Governo Federal.
    Mas existe uma saída: a Univasf poderia estabelecer cota social apenas aqueles colégios públicos que fiquem dentro do polígono do semi-árido nordestino.

  4. Feeling disse:

    Cotas, cotas e mais cotas… oh mania incompetente de resolver o problema educacional, esse assunto já deu o que falar… pelo visto não é apenas o país que pensa pequeno, seus habitantes são do mesmo jeito assim nada vai para frente!

  5. Pedra Linda disse:

    Meu caro Opara, a qualidade do ensino público é a mesma coisa em todo o país. Por favor, faça uma análise no resultado do ENEM 2008 e você verá que não existe diferença.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *