Refúgio Tatu-Bola será pauta de mais uma reunião no Recife

2

reunião denise AMMA tatu bola

A polêmica acerca do Refúgio Tatu-Bola será, mais uma vez, pauta de uma reunião agendada para amanhã (29) no Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema). Na ocasião a gestora da Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA), Denise Lima, deve apresentar aos demais membros do Consema um documento assinado pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Petrolina e região, da Câmara de Vereadores e secretarias ambientais do município e também de Lagoa Grande e Santa Maria da Boa Vista, no Sertão do São Francisco, a ser encaminhado ao Governo de Pernambuco. O objetivo é solicitar a revogação do decreto que institui a reserva ambiental, criada em agosto do ano passado.

A carta reflete o posicionamento das comunidades sertanejas que alegam não terem sido ouvidas no processo de construção da Reserva, e que serão diretamente atingidas por suas diretrizes.

Esta semana, agricultores e representantes de localidades de Petrolina, bem como lideranças políticas e comunitárias, reuniram-se novamente na sede do STR, na Avenida das Nações, para deliberarem sobre o assunto. A população dos três municípios de abrangência do parque não é contra a criação de uma unidade de conservação. O que a maioria defende é que o processo seja feito de maneira que haja um equilíbrio entre os sertanejos e o meio ambiente.

“Levando em consideração que temos cerca de 20 mil pessoas que integram as áreas que estão dentro do entorno do refúgio que foi criado, e que estas pessoas alegam não terem sido ouvidas antes e não possuem informações sobre como será a possibilidade de continuarem trabalhando suas culturas de plantio e de criação de animais, dentre outros aspectos, sugerimos a revogação do decreto. É importante ressaltar que a conservação do meio ambiente deve ser feita em equilíbrio com o bem estar do homem”, pontua Denise Lima.

Área

De acordo com o projeto inicial, o refúgio abrange uma área de 110 mil hectares, compreendendo trechos de Petrolina, Lagoa Grande e Santa Maria da Boa Vista. Somente este ano, o Consema colocou a proposta de mudança de nomenclatura de Refúgio para Área de Proteção Ambiental (APA), mas nas ocasiões em que o assunto foi discutido não houve quórum para a deliberação. (foto: Ascom AMMA/divulgação)

2 COMENTÁRIOS

  1. Com tanta miséria no nosso Estado! Os politicos estão preocupados com o tatu bola, e esquecendo do certanejo. Só quero ver a onde vão esses certanejos desalojados. Com certeza mendigar nas cidades.

  2. Quando existia o tatu-bola, não preservaram, quando a espécie foi extinta, estão querendo criar uma reserva. É hilária a coisa. Uma reserva pra uma espécie extinta. Falta do que fazer

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome