Programa Globo Rural destaca chuvas no sertão de Pernambuco

por Carlos Britto // 20 de abril de 2009 às 15:38

Nem todos estão preocupados com o período de chuvas na região. Se na cidade os temporais causam transtornos, na zona rural a água que vem do céu é celebrada como uma benção pelo homem do campo. É o que mostrou, por exemplo, uma reportagem do programa Globo Rural, na sua edição de hoje (20). Confira a reportagem na íntegra:   

Na região de Petrolina, em Pernambuco, a chuva veio no tempo e na medida certa. E garante uma boa colheita para os agricultores do sertão.

Sorrisos de alegria. A chuva veio do jeito que o agricultor mais gosta. “No ano passado, choveu muito, mas choveu de uma vez. Neste ano, choveu controlado do começo até agora”, disse o agricultor Antônio Valentino da Silva.

Os quatro hectares de milho que seu Antonio plantou no início de março servirão para alimentar toda a família. A mulher, os filhos e netos ajudam na colheita do feijão. No ano passado não foi tão bom quanto agora.

“No ano passado, foi fraco. Eu trabalhei muito e não deu quase nada. Esse ano, graças a Deus, trabalhei menos e vou ter mais”, falou seu Antônio.

O milho ainda não está bom para colher. A previsão é para junho. Se depender das espigas da roça, a mesa de comidas típicas de São João será farta. O agricultor Constantino Araújo planta cinco hectares de milho todos os anos. O risco de ter ou não uma boa colheita não preocupa o agricultor.

“Deus é bom que manda chuva no tempo certo. Quando Ele manda, a gente planta”, contou seu Constantino.

Todos os anos é tradição no Nordeste o pequeno agricultor plantar milho e feijão e esperar a chuva. Este ano, choveu o suficiente para garantir a safra de grãos. É felicidade para muitas famílias, que terão nos próximos meses uma boa alimentação.

Os grãos colhidos pela família ficam armazenados. É comida garantida para o ano todo. Hoje, o feijão já da colheita deste ano foi direto para a cozinha da casa. Panela no fogo e almoço farto.

“Quem disser que passa fome aqui está mentindo. Graças a Deus, ninguém passa fome. Eu já passei muita fome quando era nova. Mas agora já estou velha e não passo mais”, disse a agricultora Terezinha Antônia de Souza.

A previsão da Conab é que em todo o Estado de Pernambuco a atual safra de feijão seja quase 30% maior que a do ano passado.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *