Programa de monitoramento a hipertensão e diabetes acompanha quase 9 mil homens em Juazeiro

por Carlos Britto // 03 de novembro de 2022 às 07:47

Foto: João Pedro Soares/Ascom PMJ/Sesau

Em Juazeiro (BA), quase 9 mil homens estão sendo acompanhados atualmente pelo Programa ‘HiperDia’ – coordenado pelas equipes de Saúde da Família das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município. A ação realiza um acompanhamento dos pacientes com hipertensão e diabetes das comunidades para garantir um controle das doenças e garantir melhor qualidade de vida a estes usuários.

Sendo monitorados pela existência de alguma das doenças (ou as duas), o público masculino passa a ter um contato maior com as equipes das unidades e, com isso, acaba voltando a atenção para os cuidados com a saúde de modo geral. De acordo com o médico das UBSs de Massaroca e Juremal, Rodrigo Mota, os homens, historicamente, são mais resistentes à procura pelo atendimento médico.

Normalmente os homens procuram a Atenção Básica influenciados por alguém da família ou com o agravamento agudo de alguma doença. Como eles demoram mais, as doenças cardiovasculares agravam mais nos homens e é comum a gente encontrar homens com alguma sequela de doença cardiovascular“, destacou o médico especialista em Saúde da Família.

O mês Novembro Azul, apesar de ter as atenções voltadas para a prevenção do câncer de próstata, acaba sendo uma excelente oportunidade para que o público masculino tenha um cuidado maior com a própria saúde de modo geral. “O Novembro Azul é importante, pois a propaganda feita por causa do câncer de próstata acaba ajudando a gente a fazer a procura por outras doenças“, frisou Mota.

O programa

Acompanhados pelas equipes das UBSs, os pacientes do HiperDia são monitorados sobre a doença e medicações necessárias, por exemplo. Segundo o médico, o paciente do programa realiza visitas regulares para acompanhamento da hipertensão e/ou da diabetes. “É saudável que este paciente vá de três a seis meses, para este acompanhamento mais de perto. Mas se não ocorrer, a equipe precisa fazer a busca ativa, provocando a ida do paciente à unidade“, explicou o médico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.