Prefeitura inaugura casa de acolhimento para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade em Afrânio

3
(Foto: MPPE/Divulgação)

O município de Afrânio (PE), no Sertão do São Francisco, agora conta com um espaço de acolhimento para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade: a Casa de Acolhida Anjo. O alojamento, inaugurado nesta semana, irá funcionar 24 horas por dia para atender a demanda local, que antes era encaminhada para o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS).

Há dois anos vínhamos lutando pelo equipamento, através de procedimentos e ações”, explicou o promotor de Justiça do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Bruno Veiga. A casa é composta por quartos, separados por gênero; copa; cozinha; sala de estar; e espaço para recreação. Segundo Veiga, ela será mantida pelo município.

A intenção é que só sejam encaminhados para lá casos de extrema vulnerabilidade social, de crianças e adolescentes que não possuam membros da família extensa. No local, terão apoio de uma equipe multidisciplinar, composta por psicólogos, assistentes sociais, para que possam levar uma vida normal e frequentem a escola”, comentou o promotor.

Essa modalidade de acolhimento é de fundamental importância, haja vista que, na região, somente Petrolina disponibilizava esse serviço”, destacou o coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça da Infância e da Juventude (Caop Infância e Juventude), promotor de Justiça Guilherme Lapenda.

Capacitação

Após a inauguração, o coordenador do Caop Educação, Sérgio Souto, capacitou os integrantes da rede presentes quanto às etapas do Projeto Voltei (Verificação Oficial Limitadora de Taxas de Evasão e Infrequência), que visa ao combate à evasão e abandono escolar.

O evento contou com a presença dos coordenadores dos Caops Educação, Infância e Adolescência, além de representantes da prefeitura; das Secretarias de Assistência Social e de Educação; do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente; da Polícia Militar; dos Poderes Judiciário e Legislativo municipais; dos conselheiros tutelares do município; integrantes do CRAS e do Centro de Referência de Assistência Social (CREAS); vereadores; entre outros.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome