Prefeitura de Petrolina lança campanha para garantir calçadas livres

3
Secretário Giovanni Costa acompanha início da primeira etapa do Programa 'Calçada Livre'. (Foto: Divulgação)

Como forma de melhorar o ordenamento público de Petrolina, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS) deu início nesta terça-feira (21) à primeira ação do ‘Programa Calçada Livre’. A ideia é conscientizar pedestres, comerciantes ambulantes e lojistas sobre a importância da desobstrução dos passeios públicos.

A entrega de panfletos com informações importantes sobre a legislação urbanística que trata do uso das calçadas, realizada hoje, integra a primeira etapa de uma série de ações de conscientização. Após o período educativo, a SEDURBS vai realizar o cadastramento dos comerciantes de rua, assim como a realocação deles para áreas pré-determinadas onde o comércio informal será permitido.

Sabemos que existe uma grande demanda das pessoas sobre o ordenamento público no Centro da cidade. Por isso, estamos iniciando este trabalho para que, assim como orientou o prefeito Miguel Coelho, possamos ter uma cidade mais organizada. Para isso, será fundamental a colaboração de todos aqueles que hoje utilizam as calçadas do Centro”, destaca o secretário da SEDURBS, Giovanni Costa.

3 COMENTÁRIOS

  1. Duvido muito! Uma cidade onde carroças puxadas por jumentos trafegam livremente em suas principais avenidas. Calçadas tomadas por mesas, cadeiras, colchões, fogões etc, como se as calçadas fossem extensões das lojas e bares. Duvido muito que algo mude. Nossa ORDEM PÚBLICA não tem poder para peitar ninguém.

  2. Espero que essa ação tenha sucesso, pois nós pedestres que precisos das calçadas andamos no meio da rua disputando espaço com os veículos por que as calçadas estão ocupadas, espero que todos se conscientizem.

  3. Sobre a suposta ORDEM PÚBLICA. Essas pessoas que compõem esse grupo, deveriam tomar um curso de RELAÇÕES HUMANAS, passar por psicólogos, para que não venham a extrapolar suas funções como donos do direito e da cidade, (como visto em situações anteriores), que utilizam da força bruta e da animalidade, agredindo cidadãos que estão buscando a sobrevivência da sua família, que por falta de oportunidades no mercado de trabalho ou por falta de qualificação buscam este tipo de trabalho informal.E que as mercadorias que forem apreendidas não sejam desviadas por esses funcionários para outros fins.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome