Pílula do câncer é sancionada sem vetos por Dilma

7

pilula do câncer

A presidente Dilma Rousseff sancionou, sem vetos, a lei que autoriza o uso da fosfoetanolamina sintética por pacientes diagnosticados com neoplasia maligna. O produto, que ficou conhecido como “pílula do câncer”, poderá ser usado pelos pacientes, “por livre escolha”, desde que tenham laudo médico que comprove o diagnóstico e assinatura de termo de consentimento e responsabilidade dos próprios pacientes ou de seus representantes legais. O texto está publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (14).

A decisão de sancionar a íntegra do texto que passou, em votação relâmpago, pelo Congresso em março traz um caráter político, e não técnico, ao ato de Dilma. Segundo o Estado informou na terça (12), a Casa Civil recomendou à presidente liberar o uso da fosfoetanolamina sintética antes do registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na tentativa de evitar qualquer ameaça de desgaste, e de perda de votos, às vésperas da votação do impeachment.

A sanção, portanto, não levou em consideração pareceres técnicos preparados pelos Ministérios do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Saúde, Ciência, Tecnologia e Inovação e também pela Anvisa e Advocacia-Geral da União. Todos sugeriam que a presidente vetasse integralmente o projeto. O principal argumento desses pareceres é que o composto poderia representar uma ameaça à saúde dos pacientes, abalar a imagem do controle sanitário do Brasil e, consequentemente, a imagem de produtos vendidos.

De acordo com a lei, a opção pelo uso voluntário da fosfoetanolamina sintética não exclui o direito de acesso do paciente a outras modalidades terapêuticas. O texto também define como de “relevância pública” o uso do produto.

Excepcionalidade

A lei permite a produção, manufatura, importação, distribuição, prescrição, dispensação, posse ou uso da fosfoetanolamina sintética, independentemente de registro sanitário, em caráter excepcional, enquanto estiverem em curso estudos clínicos acerca dessa substância. Além disso, “a produção, manufatura, importação, distribuição, prescrição e dispensação da fosfoetanolamina sintética somente são permitidas para agentes regularmente autorizados e licenciados pela autoridade sanitária competente”. (Fonte: Estadão/foto reprodução)

7 COMENTÁRIOS

  1. E muito triste ver as pessoas morrendo por falta de tratamento adequado… medicamentos e tratamentos caríssimos só destroem ainda mais as família que tem alguém com essa doença… QUAL MAL MAIOR PODE ACONTECER COM UM DOENTE QUE USA ESSE MEDICAMENTO, SE ELE JÁ ESTARIA FADADO A MORTE… PERMITIR UMA ESPERANÇA A ESSA PESSOA JÁ É ALGO IMPORTANTE. AINDA MAIS QUANDO NÃO SE ESTÁ PAGANDO CARO POR ISSO…. TALVEZ POR ISSO A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA E A ANVISA ESTEJAM TÃO COLÉRICOS COM ISSO!!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

2 + quinze =