Pedro Acântara: “Não me arrependo”

por Carlos Britto // 15 de janeiro de 2009 às 10:36

Depois de rasgar na tribuna do plenário da Assembléia Legislativa uma cópia do Projeto de Lei 17.710/08 (PL) que regulamenta o transporte alternativo na Bahia, o deputado Pedro Alcântara (PR) disse em entrevista, não ter se arrependido. “Eles disseram: ‘rasga, rasga!’. Aí eu rasguei”, explicou Alcântara. “Eu queria fazer uma coisa mais forte, por isso segui a dica dos kombeiros”. Disse ele se referindo aos apelos do cerca de 700 manifestantes da categoria que estavam na Assembléia.

Alcântara disse que não agiu de má fé e nem quebrou o decoro da Casa. “Tenho o direito de fazer o que eu quiser com uma cópia que é minha, e foi ela que rasguei. Mas jamais rasgaria o projeto de lei original”, pontuou o deputado. Segundo ele após a assembléia recebeu uma ligação do Governador  Jaques Wagner garantiu que o projeto só volta para casa depois de ser rediscutido.

A principal divergência da categoria com a proposta do governo está no artigo 15 do projeto. De acordo com Alcântara, este item impede que os “kombeiros” operem linhas economicamente viáveis.

Pedro Acântara: “Não me arrependo”

  1. ELE ESTÁ CERTO disse:

    Na realidade Pedro só queria que a inclusão de emprego fosse respeitada. Não podemos aceitar o monopolio no transporte coletivo…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.