PCB elege direção provisória em Petrolina

5

654d38a525120ec2e38da5a5e4186abaCom auxílio da direção estadual, o PCB elegeu esta semana a direção provisória do partido em Petrolina. O grupo, que é formado por nove membros, já está afinando o discurso e tem como principal bandeira a reorganização da classe trabalhadora. Em nota divulgada à imprensa, a direção explica as movimentações do partido.

Acompanhem:

Demos mais um passo no processo de construção do PCB (Partido Comunista Brasileiro) no Município de Petrolina. Com auxílio da direção estadual do Partido, elegemos a direção provisória da nossa organização. Estamos muito felizes e orgulhosos em participar do processo de reconstrução revolucionária do PCB. Por vários motivos, sobretudo porque o Partido vem pautando debates e tomando posições que nós avaliamos como fundamentais para a (re)organização da classe trabalhadora.

Entre os debates e as posições, destacamos, sobretudo, o empenho na compreensão da formação social brasileira, na definição e na luta pela concretização da estratégia de revolução socialista, pois presenciamos, nos últimos anos, um gradativo amoldamento a ordem, por parte de organizações, que outrora negavam a sociedade capitalista. Isto é, o abandono de um projeto de sociedade alternativo ao capital. Contribui, para esse cenário, o fato de que predomina, entre a maioria das organizações, um desprezo pela formação marxista.

Mesmo entre organizações que se reivindicam de esquerda e falam em transformação social, por exemplo, há um descaso com a análise da formação social brasileira, para a definição da estratégia e das mediações táticas a serem adotadas.

A ênfase em processos eleitorais, na ocupação de cargos no parlamento, conduziu muitos a abandonarem os projetos da classe trabalhadora, e essa postura manteve a exploração dos trabalhadores pelo capital, em vez de sua organização autônoma, com projeto próprio, na luta de classes.

Nesse sentido, estamos contentes com o fato de o PCB estar realizando essa tarefa, pela importância que ela representa, de compreendermos a especificidade do desenvolvimento do capitalismo em nosso país; o atual estágio de acumulação do capital; o Estado; a dinâmica histórica da luta de classes; o processo que, nos últimos anos, conduziu os trabalhadores a um certo apassivamento e dominação por um projeto que não atendia mais aos seus próprios interesses; e, assim, o Partido tem buscado se inserir nas lutas da classe trabalhadora, para que ela se apresente com projeto próprio, com independência de classe, no cenário político.

Dessa forma observamos, no PCB, qualidades essenciais de um partido radical da classe: determinação, comprometimento com a transformação social, engajamento na luta dos trabalhadores e consistência na formação política da militância. O Partido tem clareza sobre a dimensão hercúlea e urgente dessa luta. Para nós, o socialismo, hoje, é mais do que um projeto, é uma necessidade. O sistema do capital não tem nada a oferecer para a classe trabalhadora, a não ser a sua destruição. As necessidades humanas só podem ser colocadas em primeiro plano, a partir da superação do capitalismo.

Nessa perspectiva, resolvemos organizar o PCB no Município de Petrolina-PE, com o objetivo de contribuir no processo de luta da classe trabalhadora, na construção do poder popular, rumo ao socialismo.

A direção

5 COMENTÁRIOS

  1. “Contribui, para esse cenário, o fato de que predomina, entre a maioria das organizações, um desprezo pela formação marxista.”

    Desprezo? As universidades, de onde saem as “cabeças pensantes”, estão impregnadas de marxismo. Papai Gramsci está super feliz.

    Mas qual foi o país comunista que deu certo mesmo?
    E qual os 5 primeiros lugares no ranking da OCDE em educação? Tem algum país comunista?

Deixe uma resposta para Rodrigo Cancelar resposta

Comentar
Seu nome