Novo filme do Coletivo Trippé estreará nesta quinta-feira

por Carlos Britto // 11 de agosto de 2021 às 22:00

Foto: Karen Lima/divulgação

Definido como “um vídeo documental dançante”, o novo filme do Coletivo Trippé estreará nesta quinta-feira (12). O projeto faz parte das comemorações de 10 anos de atuação do grupo e pretende registrar as memórias de seus bailarinos, contando com depoimentos, trechos coreográficos e fotos que retratam um pouco dessas histórias. O vídeo fica disponível no canal do Youtube do Trippé e no IGTV (@trippecoletivo), a partir das 10h.

Respondendo questões sobre quais suas danças, como começaram a dançar e o que move suas coreografias, os bailarinos participantes contam suas histórias em torno da linguagem do movimento. “Neste trabalho estamos ligados às memórias afetivas, de histórias individuais e coletivas relacionadas com a Dança, com o movimento. Fomos buscar nas nossas memórias, em histórias e fotografias, a nossa essência na Dança, de uma certa forma aquilo que nos motivou a estar movendo até hoje“, explica a diretora e bailarina, Mary Ane Nascimento.

Essa nova criação é também realizada e transmitida de forma remota, como os últimos trabalhos do coletivo, por conta da pandemia. “Não está sendo muito difícil se adaptar a uma nova forma de comunicação corporal, na verdade essa ferramenta já era bem potente. Acredito que a ideia é como conseguimos deixar nossos corpos tão verdadeiros quanto quando estamos em palco com uma plateia próxima. Somos humanos e o contato é uma coisa fascinante, não ter esse momento é inquietante, mas esse novo olhar de uma lente que nos transmite é um espaço a mais que ocupamos“, comenta a diretora.

A criação coletiva, além da direção de Mary Ane Nascimento, conta com roteiro de Adriano Alves, que também atua como bailarino junto à Julia Gondim e Rafaedna Brito. A edição de vídeo e áudio é assinada por DJ Werson e a produção de Nilzete Miranda pela Pipa Produções.

Apoio

O projeto é uma realização do Coletivo Trippé com produção da Pipa Produções. O projeto foi aprovado pelo edital da Lei Aldir Blanc – Petrolina, contando com o incentivo da prefeitura municipal e do governo federal através da Secretaria Especial da Cultura e do Ministério do Turismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *