Coletivo vai reforçar reivindicação por livre acesso a Ilha do Fogo

5

Coletivo da ilhaO Coletivo Amigos da Ilha do Fogo soltou nota pública à imprensa informando que nada de concreto ainda aconteceu e que a ilha continua com acesso negado à população. No entanto, os integrantes garantem que movimento não vai parar.

Confiram:

Após um ano da memorável audiência pública realizada na Ilha do Fogo, proposta pelo Coletivo de Amigos da Ilha e realizada pelas duas câmaras municipais, nada do que se discutiu foi efetivamente feito por quem se comprometeu a fazer.

A ilha continua fechada para a população e turistas terem acesso as suas praias. A população pobre da região, que tinha a ilha como única forma de lazer, teve que se submeter a tomar banho, do lado Juazeiro, na prainha da marinha. Um local insalubre, sujo, sem as mínimas condições de banho.

Do lado de Petrolina, a coisa ainda é pior. Correndo a céu aberto, tem um esgoto bem ao lado onde a população e comerciantes utilizam as águas do rio na orla. Dois sérios problemas de saúde pública e da falta de compromisso de quem deveria ao menos zelar pelo bem estar da população.

Toda mobilização feita pelo Coletivo popular pela Ilha do Fogo resultou em várias conquistas para a reocupação da ilha pelo povo. Foram frustrados os planos do possível hotel de trânsito para os oficiais e autoridades, os banhos regulares que alguns militares e civis estavam fazendo na ilha; a fantasiosa ocupação da ilha para implantação de uma base militar, que serviria de apoio às obras de transposição; a utilização da ilha como base de treinamento militar e como uma base militar que serviria de apoio ao esdrúxulo projeto de revitalização do rio, feito pelo Exército Americano (que ainda se encontra estudando o rio).

Na outra ponta das ações foi criado um Grupo de Trabalho que tem se reunido a cada quinze dias, desde o mês de janeiro, para a elaboração do Projeto de Urbanização da Ilha. O GT é coordenado pela Univasf, e tem a participação de várias entidades da região (IF sertão, Codevasf, Comitê popular, Prefeituras, Coletivo da Ilha e Associação de Pescadores). Membros do GT têm regulamente visitado a ilha com engenheiros, arquitetos e topógrafos para realizar o levantamento de informações técnicas.

O objetivo é finalizar o projeto executivo no mês de agosto, quando haverá uma nova audiência pública para apresentá-lo e discutir com as duas comunidades e os parceiros formas de tornar a ilha com a infraestrutura necessária para ser um local aprazível e de referencia turística e cultural para a região.

A ilha é do povo, e para o povo a retornará!

 Coletivo Amigos da Ilha

5 COMENTÁRIOS

  1. a perda da ilha fogo embora estivese servindo para alquns como ponto de droga, mais tinha frequentadores em busca da nutureza do ar livre. finalizando concluo com a perda da ilha para o exercito mostrou que as duas cidades não tem prefeitos e se tem não tem prestigio pois bastaria uma conversa para com o ministro do exercicito pronta estaria resolvido , mais onde fica a palavra onde esta os lideres ,francamento petrolina e juazeiro não tiveram dois gestores fracos como esses prefeitos atuais

  2. Qual o turista que frenquentava aquele lugar, povoado de drogados \? Qual a família que frequentava aquele lugar com seus filhos, dando um exemplo de como se prostituir e se jogar nas drogas? Se não houve um projeto firme de revitalização, é melhor que o Exército permaneça por lá.

  3. Nas manifestações que eu fui pude observar uma coisa, todos os momentos de hostilidade e violência que existiram nas manifestações, sempre eram causados por ex frequentadores da ilha do fogo e diga-se de passagem, só olhando para eles a gente realmente percebia que se tratavam de pessoas que usam drogas, vão procurar o que fazer bando de desocupados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome