Morre o ex-governador da Paraíba Ronaldo Cunha Lima

por Carlos Britto // 07 de julho de 2012 às 15:27

Faleceu na manhã deste sábado (07), em João Pessoa (PB), aos 78 anos, o ex-governador da Paraíba Ronaldo Cunha Lima. A notícia foi divulgada no Twitter pelo filho dele, o senador tucano e também ex-governador, Cássio Cunha Lima. Ronaldo estava sedado desde ontem, quando houve piora em seu quadro de saúde, que se tornou irreversível.

Ele vinha sofrendo internações sucessivas em decorrência de um quadro moderado de derrame pleural, diagnosticado no início do ano, consequência de um câncer descoberto em 2011. Ronaldo morreu em casa, em um condomínio em João Pessoa, assistido pela família e por seu médico particular. O sepultamento do político foi marcado para este domingo em Campina Grande, no interior da Paraíba, terra natal do ex-governador.

Além de governador, Ronaldo foi senador e deputado federal representando a Paraíba. Chegou a ser cassado pelo regime militar, em decorrência de sua militância contra a ditadura. Além de cargos públicos importantes, Cunha Lima carregava em seu currículo o fato de ter atirado e quase matado o seu antecessor e desafeto Tarcísio de Miranda Burity. O fato aconteceu ainda enquanto Ronaldo era governador, em 1993.(fonte: Diário PE)

Morre o ex-governador da Paraíba Ronaldo Cunha Lima

  1. Paulo Robério Rafael Marques disse:

    Britto,
    Não acompanhei a trajetória política de Ronaldo Cunha Lima, mas me aprofundei na leitura e declamação dos seus poemas. Era um poeta extraordinário, inclusive, quando começou a carreira política discursa para o povo em forma de versos.
    Num dos Congressos de Violeiros realizados aqui, Ronaldo veio convidado por Dr. Osvaldo Coelho recitar alguns dos seus poemas. A plateia foi ao delírio com a apresentação dele.

    Certa feita na Paraíba, alguns elementos que faziam uma serena foram presos. Embora liberados no dia seguinte, o violão foi detido. Tomando conhecimento do acontecido, o poeta e senador a época enviou uma petição ao Juiz da Comarca, em versos, solicitando a liberação do instrumento musical. Vejamos a beleza de poema:

    Senhor Juiz.
    Roberto Pessoa de Sousa

    O instrumento do “crime”que se arrola
    Nesse processo de contravenção
    Não é faca, revolver ou pistola,
    Simplesmente, Doutor, é um violão.

    Um violão, doutor, que em verdade
    Não feriu nem matou um cidadão
    Feriu, sim, mas a sensibilidade
    De quem o ouviu vibrar na solidão.

    O violão é sempre uma ternura,
    Instrumento de amor e de saudade
    O crime a ele nunca se mistura
    Entre ambos inexiste afinidade.

    O violão é próprio dos cantores
    Dos menestréis de alma enternecida
    Que cantam mágoas que povoam a vida
    E sufocam as suas próprias dores.

    O violão é música e é canção
    É sentimento, é vida, é alegria
    É pureza e é néctar que extasia
    É adorno espiritual do coração.

    Seu viver, como o nosso, é transitório.
    Mas seu destino, não, se perpetua.
    Ele nasceu para cantar na rua
    E não para ser arquivo de Cartório.

    Ele, Doutor, que suave lenitivo
    Para a alma da noite em solidão,
    Não se adapta, jamais, em um arquivo
    Sem gemer sua prima e seu bordão

    Mande entregá-lo, pelo amor da noite
    Que se sente vazia em suas horas,
    Para que volte a sentir o terno acoite
    De suas cordas finas e sonoras.

    Liberte o violão, Doutor Juiz,
    Em nome da Justiça e do Direito.
    É crime, porventura, o infeliz
    Cantar as mágoas que lhe enchem o peito?

    Será crime, afinal, será pecado,
    Será delito de tão vis horrores,
    Perambular na rua um desgraçado
    Derramando nas praças suas dores?

    Mande, pois, libertá-lo da agonia
    (a consciência assim nos insinua)
    Não sufoque o cantar que vem da rua,
    Que vem da noite para saudar o dia.

    É o apelo que aqui lhe dirigimos,
    Na certeza do seu acolhimento
    Juntada desta aos autos nós pedimos
    E pedimos, enfim, deferimento.

  2. PETROLINA2012 disse:

    poema com o titulo de HABEAS PINHO!!!
    PARABENS PELA LEMBRANÇA!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *