Miguel Coelho afirma que detalhes do projeto de incluir agentes de trânsito na Guarda Municipal ainda serão discutidos com categoria

por Carlos Britto // 22 de janeiro de 2019 às 11:00

Foto: Blog do Carlos Britto

Antecipando-se a possíveis polêmicas em torno do assunto, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, afirmou que o projeto de lei do Executivo, propondo ampliar a autonomia da Guarda Civil Municipal (GCM) dando ao órgão o poder de polícia, segue uma tendência nacional. Essa proposta, segundo o gestor, já tinha sido aprovada no Congresso Nacional.

Essa migração não vai acontecer só em Petrolina. Todas as cidades que contam com Guarda Municipal, a tendência é de que virem também polícias municipais”, argumentou.

O prefeito ressaltou ainda que o secretário-executivo de Segurança Pública, José Silvestre, está cuidando desses detalhes, já que o objetivo – segundo Miguel – é somar forças. “Queremos integrar a polícia municipal, que hoje é a Guarda, junto com a Polícia Militar e a Polícia Civil, para que todas juntas possam levar mais segurança aos bairros de Petrolina”, enfatizou.

Sobre a possibilidade de incorporar os agentes de trânsito à GCM, Miguel disse ser necessário ainda discutir esses pontos com a categoria. Uma hipótese mais provável é incluir os agentes num destacamento da Guarda, assegurando seus direitos e autonomia, como já acontece com a ROMU e será feito com as futuras Patrulha Escolar, Ambiental e da Mulher. O modelo segue o mesmo implementado pela Polícia Militar de Pernambuco (PMPE). “Pode até ser que os agentes fiquem de fora desse processo, mas vamos fazer o melhor para a segurança dos cidadãos”, declarou.

Projeto

Miguel frisou que o projeto vai contemplar também um certame para a contratação mínima de 40 novos guardas, o que representará um aumento de 30% ao efetivo atual da GCM. O prefeito adiantou que o edital deverá ser lançado ainda nesta semana. Miguel revelou ter enviado a proposta referente aos agentes de trânsito no final de 2018, mas pediu que fosse retirada de pauta com o objetivo de aperfeiçoá-la. “No momento em que todos esses pontos estiverem azeitados, a gente enviará novamente o projeto à Câmara, para que os vereadores possam apreciar e votar”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.