Mesmo com estiagem, comunidade do interior de Abaré comemora um ano mantendo horta comunitária com água de chuva

0

horta abaréA possibilidade de consumir e comercializar produtos orgânicos irrigados com água de chuva ao tempo em que fortalece a união da comunidade é uma realidade na comunidade Fundo de Pasto de Varjota, no interior do município de Abaré, no norte da Bahia. Beterraba, quiabo, pimentão, cenoura, coentro, alface, cebolinha, couve e pepino são atualmente os alimentos cultivados na horta comunitária implantada na comunidade a partir do Projeto ‘Mais Água’, executado pelo Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA).

O trabalho coletivo teve início no dia 20 de setembro de 2014 e hoje, um ano depois, a comunidade contabiliza três safras colhidas, cujos produtos contribuem com a melhoria da alimentação das sete famílias horticultoras e da vizinhança e com a geração de renda paras as famílias que levam para a feira o excedente. Um barreiro-trincheira comunitário, construído para armazenar água da chuva, é a tecnologia que possibilita a irrigação dos canteiros, o que é feita por sistema de gotejamento, com vistas a economia de água.

O presidente da Associação da comunidade, José Francisco Dias dos Santos, conta que a ideia surgiu a partir de uma visita à Horta Comunitária Povo Unido, situada no bairro João Paulo II, em Juazeiro, durante Intercâmbio promovido pelo IRPAA. Ao retornarem, ele e mais um beneficiário do projeto apresentaram a proposta às demais famílias que, contando com assessoria técnica do IRPAA, implantaram a horta. Parte dos materiais para construção da horta já faz parte do projeto e os demais foram adquiridos com apoio da associação e das próprias famílias, conta o presidente.

Produtos sem agrotóxicos

A importância de ter na mesa produtos sem veneno é uma das principais vantagens destacadas pela agricultora Maria Auxiliadora Ribeiro, que afirma ser grande a procura pelos produtos. Atualmente, até mesmo as folhas de algumas hortaliças como beterraba e cenoura vêm sendo procuradas pelos consumidores para usar em pratos como farofas, servidas com acompanhamentos.

A associação vem buscando formas de acessar programas e projetos que viabilizem a ação produtiva na comunidade. No momento vão se inscrever nos editais do governo da Bahia voltados para a agricultura familiar e já deu entrada no pedido de certificação enquanto comunidade tradicional Fundo de Pasto, tendo recebido recentemente visita da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial – Sepromi.

O Projeto ‘Mais Água’ foi executado pelo IRPAA, através da Secretaria de Desenvolvimento Social da Bahia, no município de Abaré, entre os anos de 2013 e 2014, contemplando 9 comunidades indígenas, 5 quilombolas e 10 de Fundo de Pasto, beneficiando diretamente uma média de 150 famílias. (fonte/foto: IRPAA)