Mendonça Filho desconversa sobre críticas a Temer, põe culpa no PT e diz não se preocupar com adversários em Pernambuco

2
Mendonça Filho. (Foto: Ivaldo Reges/Divulgação)

Pré-candidato ao Senado das oposições em Pernambuco, o deputado federal Mendonça Filho (DEM) evitou criticar o presidente Michel Temer, do qual participou de sua equipe como ministro da Educação. Cumprindo agenda em Petrolina deste ontem (14) ao lado do pré-candidato a governador, Armando Monteiro Neto (PTB), Mendonça justificou que não vai fazer uma reflexão “olhando para trás” quanto ao governo federal, e lembrou que Temer foi escolhido vice-presidente numa chapa encabeçada pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

“Não foi a oposição quem indicou Temer com vice-presidente da República. Ele foi escolhido uma vez, e numa segunda oportunidade foi ratificado. Portanto, se porventura querem estabelecer alguma crítica ao atual presidente, tem que estabelecer a quem participou desse processo de escolha”, frisou.

Mendonça destacou também que, independente de ter integrado o Governo Temer, preocupou-se em trabalhar pela educação do país e, em especial, de Pernambuco – seu estado-natal. Entre as ações, ele citou mudanças estruturais no setor, dando exemplo do Enem, do FIES com juros zero para 100 mil alunos de baixa renda, do Ensino Médio (ampliação de vagas nas escolas em tempo integral), além de investimentos em parceria com várias prefeituras para construção de creches e quadras poliesportivas. Além disso, lembrou de iniciativas também em parceria com o governo do Estado, a exemplo de escolas quadras e em ensino técnico, como o campus do IF Sertão-PE em Santa Maria da Boa Vista e Serra Talhada.

Mendonça também citou ações na Univasf, que teve o campus de Petrolina ampliado, além de estender sua atuação no Sertão com um campus em Salgueiro. “Acho que o nosso legado de investimentos é robusto, significativo. Eu diria que nunca na história de Pernambuco se investiu tanto na educação quanto no meu período como ministro”.

Pesquisas

Perguntado sobre os recentes números das pesquisas de opinião no Estado, em que aparece bem colocado, o pré-candidato disse não ser preciso “ficar preso” aos primeiros indicadores desses levantamentos, porque acima de tudo tem de ser observado “uma saturação” do atual governo, e que aponta um favoritismo das oposições.

Mendonça deixou claro ainda que a chapa majoritária não deve se preocupar com os adversários, mas de levar propostas ao povo pernambucano. Nesse quesito, ele disse estar confiante nas propostas de Armando para o Estado, as áreas de saúde, educação e infraestrutura. Nesse último, Mendonça lamentou a precariedade das rodovias de Pernambuco, por falta de investimentos do Governo Paulo Câmara.

2 COMENTÁRIOS

  1. Cada um que faça o seu não é? Agora é o momento de soltar frases políticas, de posicionamento neutro, para mais tarde tentar fechar parcerias, não é?

    Lamentavelmente estamos colhendo os frutos da nossa ignorância como nação. Emburrecida, desmentalizada…

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome