Mendigo Assassinado em Petrolina

por Carlos Britto // 24 de fevereiro de 2009 às 19:40

Foi assassinado na noite de ontem o mendigo Antonio Marques Pereira Silva. Ele dormia na rua, na avenida Nilo Coelho, e foi morto com golpes na cabeça desferidos por pedradas. Ele chegou a ser atendido pelo SAMU mas não resistiu aos ferimentos. A policia acredita que o crime pode ter sido praticado pela disputa de espaço por outros mendigos, mas até o momento não tem um suspeito.

Mendigo Assassinado em Petrolina

  1. isabel alice macedo disse:

    Caro Carlos Brtto,
    Lastimável notícia e trágica a morte do Sr. Antonio , ….disputa de local para dormir…. demonstrando a pura calamidade que vivemos , falta de moradia,um dos motivos de indignidade do ser humano em Petrolina.
    Fazer programas de moradia com responsabilidade, não contemplando pessoas que já receberam em governos anteriores e se desfizeram, poque não precisavam….venderam !(imoralidade)Fazer banco de dados…….

    Deixou meu coração triste, abatido, mas que esta notícia indecorosa, seja um grito de alerta para o executivo, servindo como bandeira de luta,tornando como mártir do silêncio este mendigo , e com isso vindo mudar a nossa Petrolina que tanto sofre com a morte dos seus filhos, os aqui nascidos e adotados. Abraço com sentimento de pesar

  2. Edinho disse:

    Olá Carlos Brito!
    Parabéns pelo Blog, está muito bom, bem atualizado e com uma variedade muito grande de noticias. Lamentável essa noticia do Mendigo. Mas, me veio uma duvida: Dias atrás não morreu também ou outro mendigo que havia sido queimado e estava internado? Olha, estranho esses dois casos, a policia poderia investigar melhor isso. De qualquer forma, é lastimável uma noticia dessas. Um grande abraço e mais uma vez Parabéns pelo trabalho.

  3. Justiça a quem merece. disse:

    Em Petrolina a única Instituição que se preocupa com os mendigos é o Exército, o Sargento Ribeiro distribui Sopa a noite as quintas feiras. Nínguém mais. Lamentável o acontecido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *