Lula: Prefeitos estão comendo pão que o diabo amassou

por Carlos Britto // 24 de março de 2009 às 17:45

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a prometer nesta terça-feira (24) que vai “olhar com muito carinho” a questão da queda dos valores do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). “Sei que vocês (prefeitos) estão comendo o pão que o diabo amassou por causa disso, mas quero deixar claro que para nós (governo federal) não adianta que os municípios estejam mal”, afirmou ele, durante a cerimônia de abertura da 1ª Mostra Nacional de Desenvolvimento Regional, em Salvador. “Não podemos permitir que as prefeituras sejam penalizadas.

Ou todos estamos bem ou não somos uma família. Não dá para uns comerem um banquete enquanto outros não têm o que comer.

De acordo com o presidente, hoje foi convocada uma reunião para tentar resolver o problema do repasse de verbas para as prefeituras. “Isso é culpa dessa crise, que não começou aqui, chegou por último aqui e vamos ver como sair dela”, disse. “Chegando a Brasília, vou ter uma reunião com meu ministro da Fazenda e com meu ministro do Planejamento para ver isso.

No evento, acompanhado por oito ministros – entre eles a da Casa Civil, Dilma Rousseff -, nove governadores, dois vice-governadores, além vários deputados e senadores, pela primeira vez o presidente resolveu tentar colocar panos quentes na complicada relação entre PT e PMDB na Bahia.

Os partidos, os dois principais de apoio tanto ao governo federal quanto ao governo estadual, estão com as relações estremecidas desde a eleição municipal à prefeitura soteropolitana do ano passado, que deu o segundo mandato ao peemedebista João Henrique Carneiro.

Lula: Prefeitos estão comendo pão que o diabo amassou

  1. J. Paulo disse:

    BRITO,

    VEJA A FARRA DO SENADO COM O DINHEIRO PUBLICO, ATE A VIUVA DO SAUDOSO MANSUETO DE LAVOR ESTAR NA FARRA.

    O Senado liberou R$ 1,19 milhão do total de R$ 1,6 milhão reservado no orçamento para ressarcir despesas médicas e odontológicas de 45 ex-senadores e outros dez dependentes de ex-parlamentares apenas em 2008. A lista divulgada com exclusividade pelo Congresso em Foco é baseada em informações do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi).

    Veja a relação dos ex-senadores ressarcidos em 2008

    Os ex-senadores ressarcidos
    Veja a relação de quem usou e quem obteve ressarcimento de gastos médicos, odontológicos e psicológicos em 2008

    Alfredo Campos (MG)
    Senador de 1983 a 1995
    Morreu em 12 de outubro de 2008, com disfunção múltipla dos órgãos.
    R$ 32.958,12

    Almir Gabriel (PA)
    Senador de 1987 a 1994.
    76 anos
    R$ 144.806,72

    Altevir Leal (AC)
    Beneficiária: Delcidia Souza Moraes Leal, viúva do ex-senador, que exerceu o mandato de 1975 a 1979 e de 1983 a 1987. Altevir morreu em 31 de janeiro de 2001.
    R$ 18.921,76

    Artur da Távola (RJ)
    Senador de 1995 a 2003.
    Morreu em 9 de maio de 2008, aos 72 anos, em decorrência de problemas cardíacos.
    R$ 22.821,88

    Áureo Mello (AM)
    Senador de 1987 a 1995
    84 anos
    R$ 1.300,00

    Benjamin Farah (RJ)
    Beneficiária: Elza França Farah, viúva do ex-senador, que exerceu o mandato em 1970.
    R$ 313,90

    Carlos De Carli (SP)
    Senador de 1993 a 1998.
    60 anos
    R$ 57.194,07

    Carlos Bezerra (MT)
    Senador de 1995 a 2003, recebeu ressarcimento do Senado (valor abaixo) e R$ 11.005 da Câmara. Atualmente é deputado federal.
    67 anos
    R$ 33.680,75 do Senado

    Carlos Chiarelli (RS)
    Senador de 1979 a 1982 e de 1983 a 1991.
    68 anos
    R$ 15.099,99

    Chico Sartori (RO)
    Suplente de Amir Lando, exerceu o mandato de 05 de março de 2002 a 31 de janeiro 2003 após renúncia do titular.
    R$ 31.461,20

    Dirceu Carneiro (SC)
    Senador de 1987 a 1995.
    64 anos
    R$ 8.924,58

    Esperidião Amin (SC)
    Senador de 1991 a 1998.
    61 anos
    R$ 1.220,00

    Fausto Castelo Branco (PI)
    84 anos
    Senador de 1971 a 1978.
    R$ 15.620

    Geraldo Althof (SC)
    61 anos
    Senador de 1998 a 2003.
    R$ 5.930,00

    Geraldo Gurgel de Mesquita (AC)
    Senador de 1971 a 1975. É pai do atual senador Geraldo Mesquita Jr (PMDB-AC).
    90 anos
    R$ 3.510,00

    Gilberto Mestrinho (AM)
    Senador de 1999 a 2007.
    81 anos
    R$ 16.339,42

    Hugo Napoleão (PI)
    Senador de 1987 a 2001.
    65 anos
    R$ 4.226,31

    Jaison Barreto (SC)
    Senador de 1979 a 1987.
    75 anos
    R$ 36.717,97

    Jamil Haddad (RJ)
    Senador de 1986 a 1991.
    82 anos
    R$ 45.069,04

    Jarbas Passarinho (PA)
    Senador de 1967 a 1974, de 1975 a 1983 e de 1987 a 1995.
    R$ 2.075,00

    João Rocha (TO)
    Senador de 1991 a 1999
    68 anos
    R$ 2.275,00

    Jonas Pinheiro (MT)
    Beneficiária: Celcita Rosa da Silva, viúva do ex-senador, que exerceu o mandato de 1995 a 19 de fevereiro de 2008, quando morreu aos 67 anos por falência múltipla de órgãos.
    R$ 136.341,66

    Jorge Kalume (AC)
    49 anos
    Senador de 1979 a 1987.
    R$ 5.693,00

    Jorge Bornhausen (SC)
    Senador de 1983 a 1991, e de 1999 a 2007.
    71 anos
    R$ 27.057,05

    Josaphat Marinho (BA)
    Beneficiária: Iracy Ramos Marinho, viúva do ex-senador, morto em março de 2002. Josaphat foi senador de 1963 a 1971, e de 1991 a 1999.
    R$ 2.908,24

    José Fogaça (RS)
    Senador de 1987 a 2002. É prefeito de Porto Alegre
    62 anos
    R$ 4.870,11

    José Ignácio Ferreira (ES)
    Senador de 1995 a 1998.
    69 anos
    R$ 32.958,12

    Júnia Marise (MG)
    Senadora de 1991 a 1999.
    63 anos
    R$ 9.291,37

    Leite Chaves (PR)
    Senador de 1975 a 1983 e de 1987 a 1995.
    79 anos
    R$ 5.605,00

    Leonel Paiva (DF)
    Suplente do ex-senador Valmir Campelo, exerceu mandato de 13 de novembro de 1997 a 31 de janeiro de 1999.
    64 anos
    R$ 21.316,37

    Lindberg Cury (DF)
    Suplente de José Roberto Arruda, exerceu o mandato de 29 de maio de 2001, quando o titular renunciou após ser acusado de violar o painel de votações do Senado, e 31 de janeiro de 2003.
    R$ 7.952,00

    Louremberg Nunes (MT)
    Senador de 1979 a 1983, e de 1987 a 1995.
    66 anos
    R$ 3.000,00

    Lourival Baptista (SE)
    Senador de 1970 a 1995
    93 anos
    R$ 1.180,00

    Luiz Fernando Freire (RJ)
    Senador de 1980 a 1983.
    70 anos
    R$ 15.016,00

    Mansueto de Lavor (PE)
    Beneficiária: Rosa Maria da Silva Lavor, viúva do ex-senador, que exerceu o mandato de 1987 a 1985. Mansueto morreu aos 67 anos, em 1998.
    R$ 2.547,50

    Mauricio Leite (PB)
    Senador de 1986 a 1987.
    69 anos
    R$ 21.300,00

    Mauro Benevides (CE)
    Senador de 1975 a 1983 e de 1987 a 1995. É deputado federal.
    79 anos
    R$ 490.

    Mauro Miranda (GO)
    Senador de 1995 a 2003
    R$ 13.037,29

    Milton Cabral (PB)
    Senador de 1971 a 1986.
    87 anos
    R$ 32.958,12

    Moisés Abraão Neto (TO)
    Senador de 1987 a 1995.
    63 anos
    R$ 109.268,13

    Murilo Badaró (MG)
    Senador de 1979 a 1987.
    77 anos.
    R$ 36.005,75

    Nabor Júnior (AC)
    Senador de 1987 a 2003.
    78 anos
    R$ 12.994,18

    Ney Maranhão (PE)
    Senador de 1988 a 1995.
    81 anos
    R$ 18.480,00

    Nivaldo Krüger (PR)
    Suplente de Roberto Requião, exerceu o mandato por 45 dias: de 18 de dezembro de 2002 a 31 de janeiro de 2003, após renúncia do titular.
    80 anos
    R$ 1.585,00

    Odacir Soares (RO)
    Senador de 1983 a 1999.
    70 anos
    R$ 18.900,00

    Otair Becker (SC)
    Senador de 1975 a 1979.
    74 anos
    R$ 32.697,00

    Ronaldo Cunha Lima (PB)
    Senador de 1995 a 2003.
    R$ 5.602,65

    Ruy Bacelar (BA)
    Senador de 1987 a 1995.
    73 anos
    R$ 7.155,18

    Wellington Roberto (PB)
    49 anos
    R$ 20.862,11
    Suplente do ex-presidente do Senado Humberto Lucena, exerceu o mandato de 23 de abril de 1998, após a morte do titular, a 31 de janeiro de 2003. Atualmente é deputado federal.

    Ressarcimento de dependentes de ex-senadores não identificados: R$ 56.809,96

    Total de ressarcimentos para ex-senadores e dependentes em 2008: R$ 1.195.847,96

    Fonte: Congresso em Foco com base em informações do Siafi

    O ressarcimento de despesas é apenas uma das modalidades de atendimento de que dispõem senadores no exercício do mandato e ex-senadores. A assistência médica e odontológica dos parlamentares e servidores do Senado custou R$ 61,35 milhões à Casa em 2008. O valor inclui repasse para instituições privadas conveniadas, ressarcimentos e cobertura de custos do serviço médico. Para este ano, a previsão de despesas nessa área é de R$ 61,66 milhões.

    Leia reportagem completa no Congresso em Foco

  2. Francisco disse:

    Ola,

    Acho interessante como a imprensa faz questão de destacar a presença da Dilma nos eventos do governo federal. Veja o que diz o jornalista: “No evento, acompanhado por oito ministros – entre eles a da Casa Civil, Dilma Rousseff”.
    Depois reclamam que o Lula tá fazendo propaganda antecipada.

  3. Opara disse:

    Ora.. mas se no caso o diabo é Lula… ele está falando dele próprio… auto crítica kkkk

  4. Pedra Linda disse:

    A queda da receita dos municípios se dá pela diminuição do repasse do FPM, ou seja, o governo federal está arrecadando menos impostos. A grande mídia sempre criticou o Governo Lula pela cobrança excessiva de impostos. Agora vem com este papo que o Presidente é que tem que resolver o problema.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *