Lula confirma retorno ao cenário político e avisa adversários: “Só matam um pássaro se ele fica parado”

4

lulaO ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está de volta à arena política. E para anunciá-lo, nada mais simbólico que se reunir neste sábado (29) em São Bernardo do Campo, seu berço político, com o ex-presidente do Uruguai José Mujica, um dos líderes mais populares da América Latina e do mundo hoje em dia, e falar para uma plateia formada por ministros, deputados, prefeitos, vereadores, lideranças sindicais e simpatizantes.

“Fiquei calado durante muito tempo porque tinha que cumprir meu papel de ex-presidente. (…) Mas não me deixam em paz. Só matam um pássaro se ele fica parado. E eu voltei a voar outra vez”.

O anúncio ocorreu um dia depois de sinalizar em uma entrevista que poderia voltar a se candidatar em 2018. Durante o discurso deste sábado, que encerrou o seminário ‘Participação Cidadã, Gestão Democrática e as Cidades no Século XXI’, Lula não chegou a mencionar uma possível candidatura.

No entanto, parece ao menos se posicionar como porta-voz de um Governo que tem dificuldades de comunicar e de um partido desgastado após 12 anos de poder. A presidente Dilma Rousseff tem menos de 8% de popularidade, segundo as pesquisas, e seu Governo está atolado em uma crise econômica que derrubou 1,9% do PIB no segundo trimestre. Além disso, enfrenta um escândalo de corrupção na Petrobras, investigado pela Operação Lava Jato, e a pressão das ruas e da oposição para sofrer um impeachment.

No entanto, as imagens recentes de um ex-presidente Lula abatido, pedindo para que o Partido dos Trabalhadores fizesse uma autocrítica, parecem ter ficado no passado. Esse papel ficou com “Pepe” Mujica, o carismático ex-presidente do Uruguai venerado em todo o mundo.

PT

Mujica fez uma enfática defesa da democracia —”é a melhor porcaria que encontramos“— e da necessidade de partidos políticos para que ela exista.

Eles são a vontade coletiva de grupos humanos de fazer as coisas melhores. Mas também ficam doentes. Temos que lutar por partidos republicanos, onde os dirigentes aprendam a viver como a maioria do país e não como a minoria“, discursou. “Não se deve confundir um presidente com um monarca. O cargo não é nada mais que um voto de confiança dos cidadãos. Não há homens imprescindíveis, há causas imprescindíveis”.

Sua fala foi toda uma introdução para o ex-presidente Lula. Se Mujica defendeu a necessidade de partidos políticos, Lula saiu em defesa do PT – do seu partido – como há muito tempo não fazia. “A cidadania é um tema que nosso partido tem que ensinar. (…) O PT passa por um momento de criminalização e esse é o momento de levantar a cabeça e voltar à rua como antes“, pediu aos presentes, sob fortes aplausos e gritos que pediam sua volta. (fonte: El País/foto: Sebastião Moreira)

4 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome