Lóssio quer seu nome fortalecido no São Francisco

por Carlos Britto // 16 de janeiro de 2009 às 18:54

De olho na consolidação do seu nome na liderança do Vale do São Francisco o prefeito Júlio Lóssio arregaçou as mangas e vai com tudo para Lagoa Grande na intenção de garantir a vitória de Rose Garziera. Lóssio sabe que o Prefeito de Petrolina tem uma liderança natural e não quer perder esse timmig. Tomou gosto por negócio.

Lóssio quer seu nome fortalecido no São Francisco

  1. Francisco disse:

    Devagar, Seu Lóssio, que o santo é de barro.
    Pega leve, pra não se frustrar.
    Quanto maior o pulo maior a queda!

  2. jose de lima oliveira disse:

    isso mostre para esses politicos como trabalhar numa campanha sem agressão tudo na paz. e consolidar seu nome por todo sertão do vale do são francisco, é 15 no coração.

  3. jose de lima oliveira disse:

    o governo do psb, deixo petrolina uma verdadeira sucata e vai fazer o mesmo com lagoa grande.

  4. Pedro Lupion disse:

    É um direito que lhe cabe como político.
    Rose tá eleita.

  5. Paulo disse:

    Qdo esse prefeito vai trabalhar por Petrolina?
    Por enquanto, fica olhando o retrovisor querendo achar coisas erradas na gestão do grande prefeito Odacy.
    Agora, quer ir para L Grande se meter onde (o povo nem conhece) não lhe cabe.
    Sei que os puxa-saco vão responder esse comentário com revolta, mas, calma, me diz aí:
    O que esse homem fez nos últimos quinze dias?

  6. _________ disse:

    Lóssio ia bem até aqui, mas se misturar com Jorge Garziera é uma bela demonstração do quão político ele já está sendo, do mesmo modo que todos os outros – prefiro acreditar que seu apoio a Garziera se deva unicamente a questões políticas do que por uma opção de convicção pessoal.

    Cabe a ressalva de que isto aqui não é uma defesa ao outro candidato: são farinhas do mesmo saco!

    E Capitão Nascimento, do Tropa de Elite, diria ao prefeito Lóssio: Vai pro saco!

  7. Francisco Antonio Ramos disse:

    Cuidado! Muito cuidado… “Diga com quem andas e te direi quem tu és.”

  8. Lagoa Grande é Robson e Vilma do Sesp, é 40!!!!!!!! disse:

    Acho que Dr. Julio, eleito por vontade popular, diga-se de passagem, como um voto de revolta por tudo que aconteceu a Odacy, tá achando que é o Reis do baralho, vá com calma caro prefeito, Petrolina é uma coisa, Lagoa Grande outra totalmente diferente, não acredito que o homem que diz acreditar em Deus, que cita tantas passagens biblicas, vai na minha cidade defender o Grupo Garziera, que está aí provando que são sujos, afinal de contas venceram uma eleição e não puderam assumir, será que não assumiram porque estavam com todas as contas em dias, será que cumpriram com o dever de politico, olha é algo a se pensar.
    Dr. Julio, diga com quem andas e todos saberão quem és.!!!!

  9. FRANCISCO DA CRUZ disse:

    Pelo visto Lóssio não olha muito para o passado político de determinadas pessoas. Não é novidade para ninguém o descalabro administrativo ocorrido em Lagoa Grande, culminando, inclusive, com condenações na Justiça Federal. O povo de Lagoa Grande e Lóssio dão demonstração de cegueira, pois como diz o ditado: o pior cego é aquele que não quer ver. Lembro seu Dr. Júlio, que o senhor já começou a perder os cabelos da cabeça, não perca o juízo.

  10. riccardobanana disse:

    Dr. Julio quer se consolidar como uma nova força política na região, mais primeiro tem que mostrar um bom desempenho em Petrolina …….. Os numeros em Lagoa Grande vão ser bem diferente nesta eleição no próximo dia 08.02, não adienta quer o povo de Lagoa Grande vai dar uma esmagadora vitória a Robson Amorim. Esse é o novo sentimento da comunidade!

  11. Pe. Antonio disse:

    ARTIGO DO FREI BETO PARA ENTENDER A POLITICA NO BRASIL
    Como o título “A pasteurização da esquerda” Fr. Beto fez uma análise contundente da política brasileira para ajudar-nos compreender o que acontece entre nós e a situar-nos politicamente, tomando posição mais coerente com nossos princípios éticos . Diz ele enfaticamente que “o mercado venceu: aos poucos, a esquerda brasileira perdeu sua perspectiva estratégica e a militância feneceu”. A mobilização foi suplantada pela profissionalização. A única saída é mergulhar no mundo dos excluídos, para ajudá-los a dar consistência às suas demandas e a conquistar uma reforma política que depure a democracia. A seguir os principais pontos da análise de Fr. Beto:
    A esquerda entrou em crise desde a queda do Muro de Berlim, em 1989. Na América do Sul, optou-se pelo fortalecimento dos movimentos sociais representados por partidos políticos cujas raízes se inseriam nas comunidades cristãs de base, fomentadas pela Teologia da Libertação; no sindicalismo combativo; nas organizações populares de indígenas, camponeses, negros, migrantes, mulheres, e excluídos em geral.
    A alternativa a esse movimento social engajado na busca de um “outro mundo possível” era disputar, com os partidos de direita o espaço do poder. Embora desprovidas de recursos financeiros e apoio internacional, as forças políticas de oposição – a esquerda – detinham suficiente poder de mobilização popular adquirido, nas décadas anteriores, pelo “trabalho de formiga” para organizar setores populares situados entre a pobreza e a miséria, como, no Brasil, o fizeram as CEBs (Comunidades Eclesiais de Base) e o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), que tinham, no PT, no PCdoB e, de certo modo no PDT, as suas expressões políticas. Como, então, promover reformas de estruturas e reduzir a brutal desigualdade entre a população?
    O governo Lula optou por uma governabilidade baseada na política de conciliação com os setores dominantes e compensação aos dominados, dentro do receituário econômico neoliberal. Ao assumir a presidência, Lula poderia ter assegurado sua sustentabilidade política em duas pernas: o Congresso Nacional e os movimentos sociais. Escolheu o primeiro parceiro e descartou os movimentos sociais. Tornou-se refém de forças políticas tradicionais, oligárquicas, que ora integram o grande arco de alianças (14 partidos) de apoio ao governo.
    Ao chegar à presidência, o PT preencheu considerável parcela de funções administrativas graças à nomeação de líderes de movimentos sociais. Essas lideranças estão hoje perfeitamente adaptadas às benesses do poder, sem o menor interesse em retomar o “trabalho de base”. Quando se manifestam são a voz do governo junto às bases, e não o contrário. Por sua vez, o governo adotou uma política de relação direta com a parcela mais pobre da população, sem a mediação dos movimentos sociais, como é o caso do programa Bolsa Família, que ocupou o espaço do Fome Zero que se apoiava em Comitês Gestores integrados por lideranças da sociedade civil, que controlavam e fiscalizavam a iniciativa. Agora, o mesmo papel é exercido pelas prefeituras. E o propósito emancipatório, de manter as famílias castigadas pela miséria no programa por, no máximo, dois anos, foi abandonado em favor de uma dependência que traz ao governo bônus eleitoral. Essa prática enfraquece os movimentos e, ao mesmo tempo, põe o governo em risco de ceder ao neocaudilhismo: o núcleo governante, voltado unicamente ao seu projeto de perpetuação no poder, mantém, via políticas sociais, relação direta com a população beneficiária.
    O fenômeno do lulismo (76% de aprovação) se descolou do petismo. O PT, por sua vez, aceitou restringir- se ao jogo do poder. São cada vez mais raros, pelo país, os núcleos de base do PT. O que significam tais mudanças?
    Elas apontam para a perda do horizonte socialista que norteava o PT, o PCdoB e muitos militantes do PDT. Trata-se de sobreviver politicamente, combinando a economia neoliberal com uma política social-democrata de caráter compensatório, não emancipatório. As questões candentes da pauta histórica como a reforma agrária, são relegadas a um futuro incerto. Escolhe-se abster-se de um modelo alternativo de desenvolvimento sustentável e libertador. O projeto Brasil é descartado em benefício de um projeto de poder. Com esse objetivo não faltam escândalos de corrupção (mensalão) e alianças com partidos e forças sociais e econômicas que o PT, o PCdoB e o PDT, ao serem fundados, propunham enfrentar e derrotar.
    Esperava-se que o efeito Lula viesse a demonstrar que, por meio do fortalecimento progressivo dos movimentos populares, seria possível conquistar parcelas de poder. Se isso significasse a superação paulatina das políticas neoliberais e a melhoria da qualidade de vida da população, representaria um avanço. Não soube aproveitar o poder que teve nos primeiros meses de seu governo para promover a reforma agrária e a auditoria da dívida pública. Lula no Movimento Social comprovou ser possível inserir-se numa estrutura viciada – a sindical – sem se deixar cooptar por ela.
    Não conseguiu a mesma façanha no governo. A máquina do Estado, azeitada pelos interesses das elites, refreou-lhe idéias e aspirações. A política econômica neoliberal impôs-se como prioridade das prioridades, sem reflexos significativos na área social, em que pese a redução da miséria por meio do Bolsa Família. No Sindicalismo Lula não esperou que os trabalhadores freqüentassem a sede do sindicato. O Sindicato deixou a sede para ir ao encontro dos trabalhadores na porta e no interior das fábricas. Como presidente, não conseguiu repetir o gesto. Portanto, não implementou, como sonhava o PT, uma política de “empoderamento” popular, por meio da mobilização permanente dos setores organizados da sociedade civil.
    No atual regime democrático-burguês, há forças políticas de esquerda que, tendo abandonado o trabalho de organização popular, estão convencidas de que é preciso aceitar as regras do jogo: depender do dinheiro de quem o possui. Dinheiro em eleição significa investimento; ninguém investe para perder. Todo investimento supõe a possibilidade de ganhos, lucros. Há que contar com meios de comunicação, que não se reduzem a panfletos impressos em gráficas de fundo de quintal. O bom uso dos meios de comunicação depende, por sua vez, de marqueteiros, que detêm os segredos de sedução do eleitor. Aplicam aos candidatos a mesma receita do sucesso de venda de produtos que anunciam.
    Há uma diferença radical entre esquerda autêntica e direita: esta age motivada por interesses, sobretudo de aumento da riqueza concentrada em suas mãos; aquela age (ou deveria agir) por princípios, centrada no direito à vida da maioria da população. É muito raro um político de direita apoiar reformas direcionadas a diminuir a desigualdade social, reduzindo a renda dos mais ricos para permitir mais acesso dos pobres à riqueza nacional. Qual seria a solução?
    Primeiro, resgatar o “trabalho de base”, de educação política dos militantes de movimentos sociais, de fortalecimento de suas organizações e entidades. A isso seria preciso somar a reforma política, introduzindo o financiamento público das campanhas eleitorais. Evitar-se-ia que os mais endinheirados tivessem sempre maiores chances de ser eleitos. A reforma política, se mantido o financiamento de campanhas eleitorais pela iniciativa privada, deveria criminalizar o uso de caixa dois. Toda contribuição viria da contabilidade formal, sujeita à auditoria da Justiça Eleitoral e da Receita Federal.
    O político que se deixa maquiar para efeitos eleitorais periga preocupar-se mais em parecer eficiente do que em ser eficiente e honesto. Governa de olho nas pesquisas de opinião, abdica de seus compromissos de campanha para submeter-se à síndrome do eleitoralismo. Conservar-se no poder passa a ser objetivo, e não a preocupação de administrar para melhorar as condições de vida da maioria da população. Essa prática tende a reduzir a política à arte de acomodar interesses. Perdem-se a perspectiva estratégica e o horizonte histórico; já não se busca um “outro mundo possível”, agora tudo se reduz a cultivar uma boa imagem junto à opinião pública.
    Aos poucos a militância fenece, dando lugar aos que atuam por contrato de trabalho, gente desprovida daquele entusiasmo que imprimia idealismo às campanhas. A mobilização é suplantada pela profissionalização. A política, esvaziada de conteúdo ideológico, como consistência de idéias, transforma-se em mero negócio de acesso ao poder. Elege-se quem tem mais visibilidade pública, ainda que desprovido de ética, princípios e projetos. É a vitória do mercado sobre os valores humanitários. É eleito quem tem mais poder de sedução e amplos recursos financeiros de campanha.
    A conclusão a que chega Fr. Beto é sombria, mas aponta para uma esperança. Para ele o que resta da esquerda (movimentos sociais como o MST, o incipiente PSOL e alguns setores do PT e do PCdoB) têm um desafio: mergulhar no mundo dos excluídos para ajudá-los a dar consistência política às suas demandas e aspirações, e que conquiste uma reforma política capaz de depurar e aprimorar o nosso processo democrático.

  12. Juvina Almeida disse:

    Lagoa Grande só tem a ganhar!!!

    Rose Garziera e Júlio Lóssio serão governantes de respeito ás pessoas!!!

  13. J. Paulo disse:

    VAMOS TRABALHAR AQUI, POIS PETROLINA VOTOU NO DR. PARA TRABALHAR POR PETROLINA

  14. Pedro Lupion disse:

    Julio fez nos primeiros 15 dias o que Odacy não fez em dezembro, organizar as contas e pagar os servidores.

  15. Dr. Julio tem uma coisa que poucos homens têm na politica: LADO
    É preciso arcar com o onus das criticas para ser um politico coerente e respeitado. Sugiro ao dono deste blog que solicite uma foto nova do prefeito, pois esta é do tempo em que ele era pré-candidato, em 2007.

    Saudações de Afogados da Ingazeira à nova Petrolina, que renasce com esta força que vai surpreender o Estado.

    Parabéns pela excelente escolha, amigos petrolinenses!

  16. PAULO JOSÉ disse:

    15 neles!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  17. rafa disse:

    julio lossio agora sim vc vai ver o que é uma eleição sem coelho prepare se daqui 4 anos é vc vai tomar uma lapada e vai comecar por lagoa grande.

  18. marco antonio souza disse:

    meu deus coitado de Robson Amorim, Ricardo Banana acaba de dar a vitoria a Rose Garziera. pois declarou apoio a Robson, pois todos nós sabemos do pé frio que ele sempre foi. pois todos que ele apoia só consegue o vice isto e se só tiver dois.e qunto a Dr júlio Banana não tem boquinha não, pode falar e criticar o quanto quiser pois suas criticas e nada tem o mesmo valor.

  19. antonio carlos da silva disse:

    o primeiro blog da região a ter um correspondente internacional o nosso amigo pe.Antonio.pois teve de sair de Petrolina e da política para ver as nessecidades e soluções para os ploblemas do nosso povo. pois quando político aqui em petrolina suas atituldes,projetos e pensamento eran diferentes de hoje longe daqui.mais isto e normal e só sair da políticar para comessar a ter a visão real de tudo, ainda bem que o povo cada dia mais estar de olho aberto para estas pessoas.

  20. Hércules Batista disse:

    Vamos com calma Drrrrr. ! politico não se faz em um dia, muita calma! não queira colocar a mão em CASA DE ABELHAS, você pode sai picado, veja o exemplo de GONZAGA que já estava certo como Prefeito, foi dizer BESTEIRAS e pagou por ela. Muito cuidado nesta hora, vamos começar a trabalhar por Petrolina primeiro e depois partir para as outras FRONTEIRAS, um abraço.

  21. robson patricio disse:

    Conheço a Robson Amorim como também Jorge Garziera, e ninguém melhor do que o próprio povo de Lagoa Grande pra julgar o que querem para lhe representarem, pois Lagoa grande tem sido uma “ancora” no Desenvolvimento Econômico do Vale do São Francisco, a nós petrolinenses, cabe o apelo pra que as autoridades políticas da região de Lagoa grande não deixem este potencial cair; nossa região necessita a cada dia de pessoas com idéias e projetos que possam visar o futuro e que realmente se comprometam com o povo.

  22. Zelit disse:

    Veja o que poder faz com as pessoas.
    Deus dá uma vitória com essa a uma pessoa sem expressao politica nenhuma, e este se é de agradecer e se preocupar com a miseria de alfumas familias do Joao de Deus e outros bairros, ele vai é apoior uma corja de CORRUPTOS, BANDIDOS e MAFIOSOS que querem chegar o poder a qualqer custo.
    DR JULIO…. DEUS SONDA OS CORAÇÕES !!!! CUIDADO.

  23. Pe. Antonio disse:

    O, meu amigo Antonio Carlos da Silva,
    Até posso acreditar que você realmente pense ou ache que meus projetos eram diferentes dos de hoje, prefiro pensar assim a pensar que seja maldade sua em pensar assim, pois:
    1. Sempre pesnei assim e enquanto pude procurei fortalecer a democracia e a participação da sociedade civil na gestão pública. Preste atenção o que promovemos sem apoio dos ósrgãos publicos: Primeiro Forum sobre a Fome; seminário sobre Reforma Urbana com a presença da famosa Economista Tânia Bacelar, Cursos e Semnários sobre o Estatuto da Cidade todos no Centro de Convenções só para ficar nos mairoes. E tantas outras ações na mesma linha. Acontece, meu amigo, que não tinha a midia a meu favor, e TV embora fosse convidada, nunca apareceu para divulgar nenhum de nossos eventos e projetos. E creio que sabe a força que tem a TV. O que não aparece na TV é como se não existissse. Talvez seja por isso que não você diga meus projetos eram diferentes. E não or maldade. Depois não tinhamos o Blog, eu pelo menos não conhecia. Mas mesmo sem o blog, se você pegar os Jornais Gazzeta dos anos passados, você vai encontrar mnhas opiniões e idéias semelhantes. Sempre escrevia alguma coisa e contava com a boa vontade de Eudes em publicar minhas idéias. Não poderia abusar, o espaço era aberto também para outros. Em relação ao que enviei sobre a Politica no Brasil, baseado no Artigo do Frei Beto, todo mundo sabe minha postura quando fui do PT, porque muito se falou inclusive nas Rádios….
    Por isso, não é verdade que quando estava ai meus proejtos eram outros. Sempre procurei me qualificar e para exercer bem o meu mandato de Vereador fiz um curso de Pós graduação em Genrente de Cidade na Universidade de Pernambuco em Recife. Vamos unir forças para o construir o desenvolvimento local sustentável com justiça social. É outro assunto no qual estou me qualificando. Fiz recentemente um curso de Especialização em Gestão do Desenvolvimento Local promovido pela Organização Internacional do Trabalho. Minha tese tem o tema seguinte: “Educação profissional tecnológica (inclusiva) em uma estratégia de desenvolvimento local”. Como vê , meu amigo não estou pensando diferente do que pensava antes. Pois sempre amei muito Petrolina. Poderia fazer outra tese mais teórica, escolhi um tema que envolve muita prática diferente….E poderia estar aqui, esquecido do povo de Petrolina e de seus problemas. Como estou muito interessado em participar….
    um bom domingo para você, meu amigo e para todos os petrolinenses sem qualquer discriminação ideológica ou politica.

  24. Pe. Antonio disse:

    Não sei se o Antonio Carlos é o mesmo que é jornalista e que foi do Gazzeta….Se for, lamento profundamente sua colocação. É uma prática nociva querer desqualificar idéias, projetos e posturas, com colocações como essa: que basta sair da politica para ver os problemas e as suas soluções. Essa é uma colocação bem ao nível de entendimento do senso comum e protanto, fácil se ser assimilada. É um desserviço à democracia. E não sair da politica. Essa é outra coisa a ser esclarecida: o homem é um ser politico. Cidadão vem do termo cidade. Todo cidadão deve preocupar-se com os problemas e soluções de sua cidade. E por isso deve ser seu politico. Não podemos continuar que a política é para os detentores de mandatos sejam do legislativo e do executivo. Todos nós somos politicos…..

  25. Lagoa Grande disse:

    Eu particularmente admirava a pessoa de Júlio Lóssio, por ser alguém que sem expressão política em Petrolina tivesse conseguido vencer as eleiçoes com uma campanha limpa e bonita!!!!!!!! Mas agora acabo de perder totalmente a admiração pelo mesmo, pois apoiar um grupo que foi comprovado que era corrupto e que Há não muito tempo atras afundou Lagoa Grande!!!!! Consolidar seu nome defendendo a corrupção, o desvio de verbas e inúmeras irregularidades é no mínimo uma irresponsabilidade e uma traição aos princípios éticos e morais de um homem de bem…O povo de Lagoa Grande precisa refletir sobre tamanho absurdo: Permitir que venha alguém do Sul para governar nossa cidade, como se nós sertanejos e lagoagrandenses não tivessemos ninguém competente para isso… Precisamos continuar com um governo que cuida das pessoas, onde as escolas funcionam, a merenda é de qualidade, os indices na educação estão cada vez melhores, os salários estão em dia, os médicos estão no hospital para atender e os medicamentos na farmácia básica para aqueles que precisam e não um governo que só olha para a elite, que pensa somente em festas e em roubar e desviar o dinheiro… Vamos a luta, não á corrupçao e a roubalheira!!!!! Não podemos voltar a época dos hospitais sem médico, dos salário atrasados, das escolas sem merenda, sem carteira. Lagoa Grande precisa continuar com o progresso!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  26. Concordo em gênero, número e grau com TODAS as palavras do comentário anterior. A administração Garziera foi horrível. Deixou médicos sem receber entre outras coisas. Lastimável para a população e para o funcionalismo público municipal. Salários atrasados e hospitais sem médicos andam juntos!!!
    Também reforço a ideia de que Dr. Júlio não precisa e nem deveria se “unir” a Garziera e cia. Ele (Júlio Lóssio) pode construir uma história limpa nunca antes vista na política. Só depende dele.

  27. antonio carlos da silva disse:

    meu caro pe.Antonio quero dizer ao amigo que quem desqualifica idéias,projetos e posturas são pessoas como o sr que muda de acordo com a situação ou seja quando político tem uma e quando sai tem outra. agora realmente o sr me dizer que com o seu mandato seus projetos e ações foran seminários,cursos e forun e quanto a dizer que não tinha a imprensa ao seu lado para divulgar esses eventos não vejo mau algun, pois acho que o unico objetivo era se auto divulgar a si mesmo.pois gostaria de saber quais foran os beneficios para o povo de petrolina com esses eventos que o sr promoveu ou era somente para fazer midia para o sr. pois tenho certeza que o público que la estava eran bem selecionados, ate pelo local. o sr já fez algun seminário nos bairros,acredito que não pois ai não tem mídia e como obra se for no centro não presta pois ninguen percebe, pois o mais importante e a mídia. existen muitas pessoas que tem grandes projetos e ações que benefician o povo diretamente e que a divulgação surge de acordo com os resultados. pois o sr falar que as coisas que não aparece na televisão e como existissi não concordo. por um motivo pois um porço aberto no interior não aparece na tv,rádio e jornal e existe e pode ter certeza e muito importante, para algumas pessoas. pois talvés seguindo esse pensamento de quem não estar na midia não existe e que o sr estar usando o blog voltar a midía e divulgar seus cursos de especialização faltou o endereço de contato para se alguen quiser contratar o sr para alguma pasta.

  28. Pe. Antonio disse:

    Eu o tratei com respeito e exijo que me respeite, como o fiz com você. Não fiz nenhum comentário atigindo a imagem ou a honra de ninguém. Por isso, não peço, eu exijo o mesmo trratamento. Eu nem deveria ocupar meu tempo para responder às suas grosserias e seu ataques. Sabe por que! O simples fato de você usar o blo para desviar o foco, a atenção dos debates, das avaliações que estão sendo feitas dos fatos e das ações politicas adminstrativas. Imagine, são tantos assuntos veiculados ai no blog, muitos emitiram opinião sobre mjitos asssuntos….E você me escolheu como tema de seu comentário por que! É muito sintomático essa sua postura. Dá para perceber que é tendenciosa! ´Por que meu o resumo do artigo do Frei beto falando da politica brasileira em geral, o incomodou!! Pense bem, rapaz e veja que tem alguma coisa errada.

    Seu comentário provoa até riso em quem ver as coisas de forma objetiva. Todo mundo, por mais humilde que seja, sabe o poder da midia. E o artigo do Frei Beto cujo resumo está ai no blog está explicando muito bem isso em relação à fabricação de pessoas como se fossem produtos. Só quem quer confundir pode pensar que eu disse que o que não sai na TV não existe. Eu disse o obvio, o que os que entendem de comunicação, os sociólogos analisam. Todo mundo sabe que a obra feita, o evento realaizado foi realizado e a obra existe. Fala-se do conhecimento que a opinião publica. A sociedade só sabe o que é divulgado. Foi isso que eu disse.
    E o que eu disse comprova-se agora. Você vir me perguntar se eu fiz alguma reunião nos bairros! Sinceramente é uma pergunta descabida. Sinceramente suas colocações estão totalmente fora da realidade:
    1. Eu tenho quase 30 anos em Petrolina. E passei quse todos esses anos trabalhando nos bairros de Petrolina, fazendo reunião, e encontros, seminários etc com os moradores dos bairros. Como vereador cocntinuei fazendo a mesma ccoisa como serviço e não para me divulgar.
    2. Falei dos trabalhos feitos como vereador e como cidadão. Trabalho de formação popular e social porque acredito que a sociedade só muda quando realmente os cidadãos exercerem seu papel com conhecimento de causa. Não exerci cargo de executivo, que é quem administra os recursos publicos. Portanto, todos os trabalhos, encontros e seminarios realizados não só no mandato ajudaram muito, tenho certeza de que as pessoas que participaram no minimo têm uma compreensão melhor da realidade e do papel do cidadão.
    3. Veja como você faz afirmações taxativas como se fosse dono da verdade. Você diz ter certeza de que as pessas que participaram eram bem seleccionadas. Como podce ter certeza de uma coisa que você sequer viu acontecer!!! Como diz acreditar que não fiz reuniãos nos bairros se você não sabe. E se eu lhe mostrar inumeros eventos registrados nos bairros antes, durante e depois do mandato!
    4. Eu estou usando o blog de forma adequada com o objetivo que Carlos Brito divulgou, para exercitar a democracia, a transaparencia e não para atacar pessoas. Faça a mesma coisa. Com tantas questões, problemas, temas, posturas administrativas que são veiculadas ai no blog porque se desviar o foco e ocupar seu tempo para falar do que fiz ou deixei de fazer quando você não tem certeza e por isso usa a express”ao “Eu acho” que o único objetivo meu era me divulgar!!! Como se acha no direito de julgar uma coisa que você não conhece.
    5. Eu não tenho necessidade de divulgar meus cursos e endereço à procura de emprego ou de cargo. EU NÃO PRECISO DISSO. GRAÇAS A DEUS EU TENHO EMPREGO E NÃO DEVO FAVOR A NINGUÉM POR TER CONSEGUIDO. COCNSEGUI POR MEUS PROPSIRO MÉRITOS.
    Portanto, procure ler e comentar as noticias do blog, as noticias, as idéias, os projetos, as ações administrativas municipais,estaduais e nacionais. É um direito de todo cidadão fazer isso, seja detendor de cargo eletivo ou não. Com tanta coisa para se ocupar você escolheu a mim por que! Qual é a raiva que tem de mim. Que mal fiz a você ou ao povo de Petrolina!!
    6. E você até agora não me mostrou em que foi que eu mudei. Que expressão mais gosseira e agressiva: dizer que eu mudo de acordo com a situção. Mostre um fato concreto. Cuidado com ataques gratuitos. Não é boa pratica atacar pessoas e atingir a imagem das pessoas de forma tão banal assim. Cuidado com essas afirmações taxativas.

  29. vieira disse:

    Caro Antonio Carlos da Silva, você que fica de plantão avaliando todos os depoimentos e fazendo correções, não é? Não podia deixar de mandar esta pra você. Em seu comentário relativo ao Padre Antonio, pude observar vários erros ortográficos e que erros! Coloquei entre parênteses para que você possa observar seus erros, nem precisa agradecer, kkkkkkkkkkkkkk.

    meu (Meu) caro pe.Antonio (Pe. Antonio) quero dizer ao amigo que quem desqualifica idéias,projetos (idéias, projetos) e posturas são pessoas como o sr (Sr.) que muda de acordo com a situação ou seja, quando político tem uma e quando sai tem outra. agora (Agora) realmente o sr (Sr.) me dizer que com o seu mandato seus projetos e ações foran (foram) seminários,cursos (seminários,cursos) e forun (fórum) e quanto a dizer que não tinha a imprensa ao seu lado para divulgar esses eventos não vejo mau algun (algum), pois acho que o único (único) objetivo era se auto divulgar a si mesmo.pois gostaria de saber quais foran (foram) os beneficios (benefícios) para o povo de petrolina (Petrolina) com esses eventos que o sr (Sr.) promoveu ou era somente para fazer midia (mídia) para o sr. (Sr.) pois tenho certeza que o público que la estava eran bem selecionados, ate pelo local. o sr (Sr.) já fez algun (algum) seminário nos bairros,acredito que não pois ai não tem mídia e como obra se for no centro não presta pois ninguen (ninguém) percebe, pois o mais importante e a mídia. existen (existem) muitas pessoas que tem grandes projetos e ações que benefician (beneficiam) o povo diretamente e que a divulgação surge de acordo com os resultados. pois o sr (Sr.) falar que as coisas que não aparece na televisão e como existissi (existisse) não concordo. por um motivo pois um porco (?) aberto no interior não aparece na tv,rádio (TV, rádio) e jornal e existe e pode ter certeza e muito importante, para algumas pessoas. pois talvés (talvez) seguindo esse pensamento de quem não estar na midia (mídia) não existe e que o sr (Sr.) estar usando o blog voltar a midía (mídia) e divulgar seus cursos de especialização faltou o endereço de contato para se alguen (alguém) quiser contratar o sr (Sr.) para alguma pasta.

  30. antonio carlos disse:

    Vieira eu respeito a opção de cada pessoa, não tenho preconceito kikikikikikikikikikiaiaiaaiaiaiaaiuiuiuiuiuiuiuuii

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *