Líder de movimento suprapartidário, jovem pernambucano prega “renovação e inovação política” para tentar vaga na Câmara Federal

2
Felipe Oriá, um dos fundadores do movimento 'Acredito' (Foto: Blog do Carlos Britto)

O pré-candidato a deputado federal Felipe Oriá (PPS-PE), um dos fundadores do movimento suprapartidário ‘Acredito’, que prega a renovação política, esteve em Petrolina e concedeu entrevista a este Blog. Felipe falou sobre as suas pretensões na política e destacou que o principal objetivo movimento é “construir um projeto de país onde você tenha confiança nas instituições”, inclusive nos políticos.

Com relação a Petrolina, Felipe disse que veio a cidade para um debate de idéias e conversar com muitas pessoas que estão engajadas nessa nova forma de fazer política. “Aqui tem muita gente engajada e muito projeto legal. A gente acredita que política se faz de baixo para cima, porque quem conhece o problema da cidade é quem mora nela”, comentou.

A intenção do Acredito também é “reinventar um movimento político criando núcleos locais e acompanhar problemas e soluções para cada lugar”, frisou ele, que é o único integrante do movimento em Pernambuco pré-candidato a deputado federal. Felipe ainda destacou que há muitos petrolinenses pensando em novos caminhos.

Carta compromisso

O Movimento Acredito assinou cartas de compromisso com quatro partidos, que são acordos de cooperação mútua para as eleições de outubro próximo com partidos que se abriram às propostas da organização. Segundo Felipe Oriá, essas legendas “garantiam a independência do movimento”.

Questionado sobre o atual Governo de Pernambuco, Felipe foi sucinto e afirmou que o mesmo está em “crise de legitimidade”. O líder do Acredito ainda comentou sobre o governo federal e explicou como ingressar no movimento.

Inovação

Felipe Oriá foi destaque nem uma reportagem da Folha de S. Paulo, no último domingo (15). Ele apelou para o Tinder, um aplicativo de paquera, para tentar despertar o interesse do eleitorado. Nessa rede social, pessoas curtem umas às outras e, quando a simpatia é mútua, dá-se o desejado match: os perfis se conectam.

O motivo foi uma brincadeira, mas para falar de um assunto muito sério. Temos que falar de política onde as pessoas já estão”, explicou. O líder do movimento disse ter recebido várias mensagens de pessoas apoiando o movimento e a proposta.

Ouçam a entrevista completa:

2 COMENTÁRIOS

  1. Novas caras, velhas idéias. Esse papo de “confiança nas instituições” não cola mais, queremos é a redução dessas instituições, queremos é que o estado pare de nos atrapalhar, e de tomar somas cavalares de nosso suado dinheirinho para manter essas aberrações que aí estão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome