Juazeiro mapeia famílias que poderão ser afetadas pela cheia do São Francisco

por Carlos Britto // 14 de janeiro de 2022 às 07:40

Foto: Marcel Cordeiro/PMJ

Em Juazeiro (BA), A Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade (SEDES) reuniu-se ontem (13) com membros da Polícia Militar, do 9° Grupamento de Bombeiros Militar (GB) e da Defesa Civil para discutir maneiras de minimizar possíveis impactos ocasionados com a elevação das águas do Rio São Francisco. Com o aumento da vazão da Barragem de Sobradinho (BA), que deve chegar a 4 mil metros cúbicos por segundo (m³/s) até o próximo dia 24 de janeiro, localidades como o bairro Angary e as ilhas do Rodeadouro, Nossa Senhora das Grotas e Culpe o Vento deverão ser atingidas.

Para reforçar a assistência e garantir a segurança dos ribeirinhos, a força-tarefa elaborou um planejamento para chegar a essas localidades e notificar as famílias que deverão sair de suas casas, proteger seus pertences e encaminhá-las às escolas da rede municipal que foram disponibilizadas pela Secretaria de Educação e Juventude (Seduc).

Além do secretário Teobaldo Pedro e sua equipe técnica, também participaram da reunião o major Soares Neto, comandante do 9° GB, e o capitão João Oliveira, subcomandante da 73ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM). A prefeitura vai garantir toda assistência necessária às famílias e reforça que não é necessário pânico. No entanto os moradores dessas áreas devem estar atentos e seguir as determinações das autoridades.

Esta é uma orientação da prefeita Suzana Ramos, que já reuniu toda sua equipe de gestão para cuidar dessa situação, considerada uma prioridade para a Prefeitura de Juazeiro. Assim que o município tomou conhecimento da elevação do nível do rio, a prefeita convocou uma reunião e definiu as principais estratégias e ações, dando total assistência às famílias que moram nessas áreas próximas ao leito do rio São Francisco. Estaremos atuando com uma força-tarefa para garantir abrigo e auxílio para as famílias ribeirinhas que precisarem ser deslocadas de suas casas“, enfatizou Teobaldo Pedro.

Famílias

A prefeitura, através de diversas secretarias e órgãos municipais, iniciou ontem as medidas com equipes de assistentes sociais para convencer os moradores a deixarem as zonas de risco e fazer o mapeamento de quantas famílias precisarão ser abrigadas nas escolas.

Juazeiro mapeia famílias que poderão ser afetadas pela cheia do São Francisco

  1. José Raimundo passos disse:

    E porque a partir daí não delimitar ate onde se vai construir etc. Porque não resolve o Angari?
    O rio foi invadido ,e não o rio invadiu.
    Essa e grande verdade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *