Jovem morre afogado em Juazeiro e amigo diz que funcionário de empresa locadora obrigou vítima a abandonar caiaque e nadar

7
Diogo Lira morreu afogado. (Foto: Reprodução WhatsApp)

Um jovem de 16 anos morreu afogado em Juazeiro (BA), após supostamente ter sido obrigado por um homem a abandonar o caiaque em que estava, no meio do Rio São Francisco, e a seguir viagem nadando. A denúncia foi feita por um amigo da vítima que estava na embarcação com o jovem e outras duas pessoas.

A vítima, Diogo Lira Ferreira, retornava da Ilha do Fogo para a Orla de Juazeiro com um primo e dois amigos no caiaque quando, no meio do trajeto, a embarcação, que tem capacidade somente para duas pessoas, teria virado duas vezes.

O amigo de Diogo contou que todos conseguiram retornar para o caiaque, mas, em seguida, o homem – que seria funcionário da empresa Caiaques do Vale – que alugou a embarcação para os jovens, ao ver que o caiaque tinha virado, teria utilizado outra embarcação para alcançar os jovens e, irritado com o excesso de passageiros, obrigado dois deles a descer – ele e Diogo.

Eu e ele estavamos com colete, e os outros dois não estavam [com colete]. Fomos atravessar o rio e o caiaque virou duas vezes. O cara mandou o funcionário dele. E o cara chegou lá com raiva e disse: ‘tira o colete, deixe o caiaque e vão nadando‘”, contou o amigo de Diogo, que conseguiu nadar até a costa.

O corpo de Diogo foi achado minutos depois por um salva-vidas. Jhone Bernardino, primo da vítima, contou que outras testemunhas também reforçaram a versão do amigo de Diogo de que ele foi obrigado a sair da embarcação sem colete.

“Muita gente viu, testemunhas viram: tiraram os coletes deles e colocaram eles para nadar. Então meu primo, infelizmente, no meio dos outros, não conseguiu chegar e faleceu. O que eu quero é justiça, muita justiça“, afirmou.

Família

Os familiares de Diogo ficara bastante abalados ao saber do ocorrido. “Ele tinha tantos sonhos, tantos sonhos ele ia realizar. Por que fizeram isso?“, lamentou a mãe. “O que eu quero falar é que a gente quer justiça, porque ele era um menino muito bom. Do estudo para a casa. E ele não merecia”, destacou Flávia Bernardino, tia de Diogo. O corpo do jovem foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Juazeiro. Não há informações sobre data e local de velório e sepultamento.

O caso será investigado pela Polícia Civil (PC) do município. Testemunhas do afogamento e representantes da empresa Caiaque do Vale foram ouvidas na delegacia.

Resposta

A empresa informou, por meio de nota, que diante do alerta do excesso de pessoas no caiaque, dois dos jovens resolveram terminar a viagem nadando, mas um não teve resistência e se afogou. A empresa ainda disse que lamenta o ocorrido e que se solidariza com a família da vítima.

Confiram nota da empresa na íntegra:

A Caiaques do Vale lamenta o ocorrido, ao tempo em que se solidariza com a família da vítima do acidente ocorrido na manhã desta sexta-feira (7) no Rio São Francisco. Lembramos ainda que todas as orientações sobre o uso correto dos caiaques alugados em nosso estabelecimento são passadas para todos os usuários, bem como os equipamentos de segurança obrigatórios.

O caiaque alugado tinha capacidade para duas pessoas, mas ao retornarem da Ilha do Fogo, os dois tripulantes ofereceram carona a mais duas pessoas, e diante do alerta sobre o excesso de pessoas na embarcação, dois deles resolveram terminar o trajeto nadando, sendo que não um não teve resistência e veio a se afogar. Mais uma vez lamentamos o ocorrido e nos colocamos à disposição para qualquer esclarecimento.

Caiaques do Vale

(Fonte: G1-BA)

7 COMENTÁRIOS

  1. A questão é, se ele não sabia nadar pq se arriscou atravessar o rio numa embarcação que só suporta uma pessoa? Eu mesmo não sei nadar, e eu nunca atravessaria o rio nem só e nem acompanhado nunca. E outra questão é, se eu estivesse no caiaque com outra pessoa e o dono me mandasse pular, jamais eu pularia, deixava chegar na margem depois a gente conversava.

  2. Minha nossa, que absurdo! Tanto a empresa quanto a pessoa que obrigou os garotos a descer do caiaque devem ser responsabilizados criminalmente. Uma vida que foi tirada a toa. Até concordo que o cara deveria tê-los multado por uso irregular do caiaque. Para preservar o caiaque, podia até ter tido o bom senso de mandar dois descerem com colete salva-vidas e irem segurando no caiaque até a borda, e ali ter aplicado alguma multa, sanção, ou algo do tipo, depois que todos estivessem em segurança. Aquele ponto do rio é muito perigoso, todos sabem disso, e toda hora alguém morre afogado ali. Acho que semana passada teve outra jovem na mesma localização. E as empresas de caiaque sabem desse risco melhor do que ninguém, para estar mandando as pessoas descerem e nadar por conta própria. Têm que ser responsabilizados criminalmente sim!

  3. QUANTA FALTA AMOR AO PRÓXIMO, CAIAQUE DO VALE!

    Se são treinados e orientados para informar sobre o excesso de passageiro, e por que não salvar a vida do adolescente ou das pessoas que utilizam os equipamentos? Quanto ódio falta de amor de sensibilidade e respeito pela vida do outro. Se realmente é o que foi mostrado a empresa negou socorro foram negligentes poderia ter evitado, e fora do rio resolveria isso. É revoltante vê isso, fica alerta para quem utiliza os caiaque. Você pode morrer no meio do rio sendo observado pelo funcionário orientados da empresa.

  4. Isso foi praticamente um assassinato.
    Falta de Deus e de amor ao próximo.
    Nada justifica.
    Eles não perderiam nada se tivesse deixado eles voltarem, mesmo que nadando, com os coletes.
    Talvez se livrem da justiça humana, mas a de Deus, jamais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome