Jarbas reafirma críticas e diz que não tem medo de sair do PMDB

por Carlos Britto // 16 de fevereiro de 2009 às 19:59

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) reafirmou hoje, em entrevista coletiva, que a corrupção está impregnada em todos os partidos e que boa parte do PMDB “quer mesmo corrupção”. Vasconcelos esquivou-se de citar nomes de integrantes do PMDB que estejam envolvidos em irregularidades. Ele justificou a denúncia “genérica”, que fez inicialmente à revista Veja, alegando dois motivos.

“Eu tinha que ser generalista mesmo porque primeiro o volume (de pessoas envolvidas em práticas irregulares) é muito volumoso. Depois eu não quero citar ninguém por enquanto, pois tenho de ter o mínimo de estratégia. O senador ressaltou que procurou dar o pontapé inicial, mas que um processo de investigação deve ser comandado por outras pessoas. Ele disse que espera, inclusive, uma pressão de fora para dentro do Congresso. Vasconcelos afirmou ainda não acreditar que será expulso do PMDB. Também disse que não pedirá para deixar o partido. “O que eu quero é uma reforma política. Eu só admito mudar de partido dentro de uma reforma.

Da Agência Estado

Jarbas reafirma críticas e diz que não tem medo de sair do PMDB

  1. Petrolina2010 disse:

    Jarbas Vasconcelos é ainda um dos poucos políticos que honram seu mandato, não tem papas na língua, doa a quem doer!! Temos que dar um basta na corrupção, esse câncer que assola a classe política do nosso país. Parabéns senador, é de pessoas como você que o Brasil precisa. O PMDB é o partido das benesses e da demagogia, caia fora logo!

  2. Muito estranha esta postura do Senador Jarbas. Quem não quer conviver com corruptos que não se alie a eles. É nítida a postura do PMDB, inclusive no governo Jarbas, o toma lá da cá, o jogo de interesses. O que não se pode é dar uma de santo morando no inferno.

  3. Wildes Jackson Lopes disse:

    Uma matéria desta, trazida à tona por um membro do Senado Federal, noutro país, deveria causar o maior rebuliço, e a consequência seria a reação, em série,dos poderes constituídos e das sociedades representativas.Seria o assunto da semana nas bancas escolares, o tema dos debates do próprio Senado e da Câmara de Deputados, o assunto predominante dos noticiários.Os estudantes já estariam levantando suas bandeiras e levantando palavras de órdem em passeatas.A imprensa em bloco estaria esmiuçando os partidos e os parlamentares, inclusive o autor das denúncias.
    Permanecemos, no entanto, na mesma inércia e imobilismos, como se nada de grave tivesse acontecido.E a gente comum parece que acha natural que as coisa sejam assim.Estaremos também corruptos como a maioria do PMDB a que aludiu o sendor Jarbas? De que vale economia, emprego, elevação de renda se perdemos o nosso bem maior, que é a capacidade de indignação?Nos satisfaz ser uma pátria de chuteira.Pobre amado país que se pretende justo e importante.

  4. O calculista disse:

    É bom jogar confete pra cima. Agora o PMDB diz, não vamos tirar esteanimal raivoso do partido pra que ele não saia vitimado e assim se promova. Outro grupo diz, o Jarbas já precisou de todos nós e agora todos nós precisamos dêle. Não dr. fique conosco e vamos levantar aquela coligação contra o príncipe prépotente Eduardo.
    Por mim ele tomaria um pé no trazeiro e deixaria imediatamente o Partido Mais Doido do Brasil-PMDB.

  5. filho da terra disse:

    WILDES, aqui no Brasil não causa nem um reboliço porque está impregnado de corrupto, e essa pratica é tão normal entre o meio que isso não vai passar de mais uma vez de palavras jogado ao vento, e o PMDB é um partido que enquanto tiver gente como JOSE SARNEY, RENAN CALHEIROS o partido vai viver sempre usando a pratica TOMA LÁ da ´CÁ parabêns ao Sen. Jarbas pela a coragem demais uma vez cutucar o enxame da corrupção do PMDB e do GOVERNO.

  6. David nomero De Macedo disse:

    JARBAS ESTA CORRETISSIMO AO AFIRMA QUE NO PMDB SÓ TEM CORRUPTO,COM ALGUNHAS EXCEÇÕES,TAMBEM COM UNS MALA COMO SARNEY,RENAN,MICHEL TEMER E OUTROS QUERIA O QUE???????????

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *