Interior baiano deverá ganhar quase 4 mil empregos com investimentos em unidades industriais

por Carlos Britto // 25 de junho de 2021 às 09:49

Foto: Paula Fróes/GOVBA divulgação

Investimentos previstos em mais de R$ 3,7 bilhões serão aplicados nas implantações de seis unidades industriais em cinco municípios baianos. Juntas, as empresas devem gerar mais de 3,9 mil empregos indiretos durante a fase de construção. Os protocolos de intenções foram assinados na última quarta-feira (23) na Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Na fase de operação serão criados 520 novos postos de trabalho.

São diversos produtos de segmentos diferentes que serão ofertados quando as empresas estivem operando. Queremos fazer a economia crescer, melhorar o padrão de vida das pessoas, desenvolver a Bahia e reduzir as desigualdades regionais”, destaca o secretário de Desenvolvimento Econômico Nelson Leal.

Em Antônio Gonçalves, São Gabriel, Mirangaba, a Casa dos Ventos deve investir mais de R$ 3,7 bilhões para implantar centrais eólicas destinadas a geração de energia elétrica. Somando, as centrais terão capacidade instalada prevista em até 4.098 Gigawatt-hora (GWh) por ano. Durante a fase de construção serão promovidos 3,8 mil novos postos de trabalho. Já na fase de operação, 23 empregos diretos serão gerados.

No município de Feira de Santana, R$ 15 milhões de investimentos privados serão destinados para instalar a Indústria Ameko, que fabricará computador, monitor, processador, teclado e mouse. Já a indústria de Colchões e Ortosonho será destinada à produção de cama, colchões e estofados. As empresas devem gerar 400 empregos diretos e indiretos durante as instalações das unidades. Em Cruz das Almas, a Indústria Cruzalmense de Estofados e Colchões instalará uma unidade para fabricação de colchões de espuma, de madeira, de mola, box e estofados, com investimentos de até R$ 2 milhões. A capacidade de produção será de até 75,3 mil unidades por ano.

Interior baiano deverá ganhar quase 4 mil empregos com investimentos em unidades industriais

  1. Crítico disse:

    E paulo camira não traz nada.

  2. Maguim disse:

    E a força política, trouxe que indústria/ obras, pra nossa cidade?
    Esperar deitado… Só as manchetes nos jornais dos senhores feudais!

  3. Defensor da liberdade disse:

    Parem com essa cantiga mofada, Petrolina nunca teve vocação para a indústria, as poucas que tinham aqui viviam de subsídios, que faliram sem eles, em especial as da famíglia. Produzir manufaturas aqui para transportar de caminhão é idiotice, o preço não fica competitivo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *