Gonzaga Patriota defende uso da vacina contra coronavírus, caso seja aprovada; Reino Unido é primeiro a liberar imunização

0
Foto: Reuters/arquivo reprodução

O deputado federal Gonzaga Patriota (PSB-PE) defendeu o uso da vacina contra o novo coronavírus (Covid-19), caso seja aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O parlamentar ainda destacou que as vacinas “são fundamentais e salvam vidas” e que a politização desse tema “é uma afronta” à ciência.

As vacinas salvam vidas e são fundamentais para o bem-estar coletivo, com enorme impacto para toda a sociedade. Elas devem ser consideradas bens públicos globais. No caso da Covid-19, uma emergência de saúde pública, por isso, defendemos que a população tome a vacina contra covid-19 quando estiver à disposição. A eficácia da vacina deve ser baseada em decisões técnicas e independentes por parte da Anvisa e não na origem da vacina ou em decisões e pressões políticas. A politização da vacina afronta a ciência e coloca vidas em risco“, comentou o socialista.

O parlamentar ainda defendeu o uso da máscara até que a vacina esteja disponível no Brasil. “Enquanto a vacina não chega, vamos continuar nos cuidando e seguindo todas as recomendações, principalmente usando a máscara”.

Reino Unido

O Reino Unido se tornou nesta quarta-feira (2) o primeiro país do mundo a aprovar a vacina contra a Covid-19 produzida pela americana Pfizer e a alemã BioNTech e prometeu começar a imunização de sua população já na semana que vem. As autoridades britânicas irão decidir quais grupos terão prioridade no acesso ao imunizante, incluindo idosos e profissionais da saúde. O presidente da Pfizer, Albert Bourla, comemorou o anúncio. “Antecipando novas autorizações e aprovações, nosso foco é avançar com o mesmo nível de urgência para fornecer de forma segura uma vacina de alta qualidade ao redor do mundo”.

Na terça, a Pfizer havia pedido às autoridades de regulação de medicamentos da Europa a autorização para uso emergencial de sua vacina. O mesmo processo já havia sido iniciado nos Estados Unidos. A Pfizer divulgou estudos que mostram que sua vacina é 95% eficaz contra o novo coronavírus. As informações são da Folha de S.Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome