Garoto com autismo é primeiro imunizado no grupo de crianças em Petrolina

por Carlos Britto // 17 de janeiro de 2022 às 19:02

Foto: Jonas Santos/PMP

A emoção tomou conta de Patrícia Lemos, mãe do pequeno Luiz Felipe Lemos, nesta segunda-feira (17), em Petrolina. E não poderia ser diferente. Autista, ele é o primeiro garoto vacinado contra a Covid-19 entre crianças de 5 a 11 anos.

A prefeitura abriu hoje essa nova etapa na campanha contra a doença que abrange essa faixa de público. No início da etapa serão priorizadas meninas e meninos com síndrome de down, autismo e doenças neurológicas crônicas.

A cidade sertaneja recebeu cerca de 2 mil doses de imunizante voltados para o público infantil. “Eu passei 1 ano e 5 meses em casa, mesmo assim toda nossa família pegou a doença, meu marido chegou a ser hospitalizado, mas se recuperou e está bem. Depois, perdemos um grande amigo para essa doença. Hoje, contudo, é um dia de felicidade por ver meu filho vacinado. A gente não tem que ter medo do remédio, mas sim da doença. A Covid está tirando as vidas, enquanto a vacina está salvando”, alertou Patrícia Lemos, que tem mais uma filha de 9 anos.

O prefeito  Miguel Coelho também acompanhou o início da campanha de imunização infantil e pediu o apoio da população. “Como disse Patrícia, a vacina salva vidas. As primeiras 2 mil doses chegaram e nossa meta é vacinar as 47 mil crianças petrolinenses de 5 a 11 anos. A vacina é segura e, além de proteger a vida de nossas crianças, vai ajudar a conter a pandemia. Então é fundamental que pais, mães e responsáveis tragam as crianças para essa importante fase da luta contra o coronavírus”, reforçou.

Primeira etapa

Petrolina possui um público estimado em pouco mais de 47 mil crianças dentro da nova faixa etária preconizada. Desse total, pouco mais de 2 mil estão dentro dos critérios preestabelecidos para receber o imunizante contra o novo coronavírus. Para garantir a dose para crianças com síndrome down, autismo e doenças neurológicas crônicas, os responsáveis devem procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro, no período de vacina de rotina, e imunizar as crianças. À medida que novos lotes de imunizantes chegarem, a prefeitura irá liberando as doses para os demais grupos pertencentes ao público infantil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.