“Fome é um problema social, não da educação”, dispara representante da APLB em Juazeiro

por Carlos Britto // 13 de julho de 2012 às 06:28

O representante da APLB Sindicato em Juazeiro, Antônio Carlos (à esq.) não poupou críticas à decisão da justiça, que decretou ilegal a greve dos professores no estado da Bahia. “Não reconhecemos como legítimo um dos principais argumentos da desembargadora, que julgou ilegal a greve, alegando que milhares de crianças estão passando fome por causa da ausência da merenda escolar. Ora, a fome é um problema social, e não da educação,” disparou.

Depois de mais de três meses de greve, Gilmar Nery (à dir.), também representante da categoria, acredita que a greve já se tornou um problema pessoal para o governador Jaques Wagner. “O governador já levou o problema para o lado pessoal. Ao falar do movimento paredista ele não esconde a raiva, mas não percebe que na verdade o professor só quer atenção, não podemos ceder ao movimento antes de garantirmos nossos direitos. E em resposta a isso, o que o governo faz: investe R$ 6 milhões em medidas paliativas, como o programa de aulões para o 3º ano do ensino fundamental, e não resolve o problema da sala de aula,” diz Gilmar.

“Fome é um problema social, não da educação”, dispara representante da APLB em Juazeiro

  1. Dreda disse:

    Vergonhosa a forma como o Jaques Wagner vem tratando os grevistas em seu governo, indo de encontro a história de seu partido. Aliás, o PT já esqueceu sua história há muito tempo.

  2. Maria disse:

    Vergonhoso são como os professores e o governo tratam os estudantes!
    Os professores também são responsáveis por esta situação, pois nada mais essa greve é política-partidária e guerra de egos. A questão salarial e qualificação é o que menos importa nesse momento.
    Aposto que nenhum filho de professor da rede pública da Bahia estão na escola pública, pois tenho vários conhecidos professores e familiares e nenhum mantém seus filhos na escola pública, porque? Será que é porque não confiam na capacidade de orientação educacional deles? Pouco importa se os filhos dos outros estão prejudicados.
    A questão é só salário? Deixem os cargos e procurem uma profissão que melhor ganhe e sejam felizes!

    1. Augusto disse:

      Eu sou professor e sei que receber o salário que eles dão hoje é uma vergonha. O governo da uma má estrutura para os alunos , paga um salário ruim para os professores e ainda assim a culpa é nossa? Descordo minha senhora. Esse Governador é um ditador. O FUNDEB já garantiu aumentou a verba para a educação, então por que ele não pode aumentar os salários??

  3. pedro hipolito disse:

    PARABENS PELA COLOCAÇAO DOS REPRESENTANTES DA APLB,COMUNGO COM ESTE PENSAMENTO E QUERO DISCORDAR DO COMENTARIO DE MARIA E DIZER PRA ELA QUE É EXATAMENTE POR ESSE TIPO DE ATITUDE QUE OS NOSSOS REPRESENTATANTES CONTINUAM SENDO INSENSIVEL E AUTORITARIO SAO PESSOAS ASSIM QUE GARANTE OS IMCOMPETENTES NO PODER.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *