Fogo Amigo

por Carlos Britto // 24 de março de 2009 às 11:30

O vereador Dedé da Simpatia e o governo municipal de Petrolina definitivamente não estão falando a mesma língua.

O parlamentar cobrou mais água para o interior e uma chefia de transporte exclusivamente para a saúde com enfermeira da prefeitura à disposição da comunidade. Disse que o povo, principalmente, do interior só conta com o Samu.

O líder do governo na Câmara de Vereadres, Dr. Pérsio, parece não ter gostado e devolveu “lembrando” que Dedé tem cargos no governo e que ele deveria procurar primeiro seu filho que é diretor para tentar resolver o problema.

Fogo Amigo

  1. Pascal disse:

    Dedé da Simpatia: simpatia por tudo, menos pelo zelo com o dinheiro público…Seu argumento de mais água para o interior não resiste a meio segundo de argumentação diante das previsões dos técnicos da UNIVASF e muito menos aos índices pluviométricos , atuais, para a região de SIMPATIA…. MAIS ÁGUA = MAIS CARRO PIPAS = MAIS INDÚSTRIA DA SECA ! E QUEM É QUE VAI PAGAR POR ISSO ? SUGIRO QUE SEJAM AS DIÁRIAS DOS SEUS COLEGAS VEREADORES E MAIS CINCO TÉCNICOS DA CASA PLINIO AMORIM QUE ESTÃO FAZENDO UM “CURSO” EM RECIFE !!!!

  2. paz disse:

    quero dizer que esse vereador DEDE DA SIMPATIA E UM HOMEM DE RESPEITO E DE E DE LUTA PELO POVO PRINCIPALMENTE ACLASSE MAS NECESSITADA . Dr. Persio quem o sobrinho de Dede da Simpatia? Acho que vc realmente anda sem informação e melhor analisar e ter certeza do que vc fala pois um parlametar precisa ter seguraçã no que fala, E VERDADE falta de agua no interio e verdade VAI PRA O INTERIOR QUE VC VER A NECESSIDADE.

  3. Tabareo disse:

    Cargos,cargos,cargos e povo que se lasque.
    Vereador DEDE calado o senhor tem cargos consequentemente rabo preso
    Só no proximo mandato o senhor pode falar, agora não,ordem do Dr.Persio.
    Só para lembrar, quem lhe elegeu foi o povo.

  4. Atadurapois disse:

    É verdade,falta água antes, durante e depois das chuvas…

  5. J. Paulo disse:

    BRITO,

    VEJA A FARRA DO SENADO COM O DINHEIRO PUBLICO, ATE A VIUVA DO SAUDOSO MANSUETO DE LAVOR ESTAR NA FARRA.

    O Senado liberou R$ 1,19 milhão do total de R$ 1,6 milhão reservado no orçamento para ressarcir despesas médicas e odontológicas de 45 ex-senadores e outros dez dependentes de ex-parlamentares apenas em 2008. A lista divulgada com exclusividade pelo Congresso em Foco é baseada em informações do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi).

    Veja a relação dos ex-senadores ressarcidos em 2008

    Os ex-senadores ressarcidos
    Veja a relação de quem usou e quem obteve ressarcimento de gastos médicos, odontológicos e psicológicos em 2008

    Alfredo Campos (MG)
    Senador de 1983 a 1995
    Morreu em 12 de outubro de 2008, com disfunção múltipla dos órgãos.
    R$ 32.958,12

    Almir Gabriel (PA)
    Senador de 1987 a 1994.
    76 anos
    R$ 144.806,72

    Altevir Leal (AC)
    Beneficiária: Delcidia Souza Moraes Leal, viúva do ex-senador, que exerceu o mandato de 1975 a 1979 e de 1983 a 1987. Altevir morreu em 31 de janeiro de 2001.
    R$ 18.921,76

    Artur da Távola (RJ)
    Senador de 1995 a 2003.
    Morreu em 9 de maio de 2008, aos 72 anos, em decorrência de problemas cardíacos.
    R$ 22.821,88

    Áureo Mello (AM)
    Senador de 1987 a 1995
    84 anos
    R$ 1.300,00

    Benjamin Farah (RJ)
    Beneficiária: Elza França Farah, viúva do ex-senador, que exerceu o mandato em 1970.
    R$ 313,90

    Carlos De Carli (SP)
    Senador de 1993 a 1998.
    60 anos
    R$ 57.194,07

    Carlos Bezerra (MT)
    Senador de 1995 a 2003, recebeu ressarcimento do Senado (valor abaixo) e R$ 11.005 da Câmara. Atualmente é deputado federal.
    67 anos
    R$ 33.680,75 do Senado

    Carlos Chiarelli (RS)
    Senador de 1979 a 1982 e de 1983 a 1991.
    68 anos
    R$ 15.099,99

    Chico Sartori (RO)
    Suplente de Amir Lando, exerceu o mandato de 05 de março de 2002 a 31 de janeiro 2003 após renúncia do titular.
    R$ 31.461,20

    Dirceu Carneiro (SC)
    Senador de 1987 a 1995.
    64 anos
    R$ 8.924,58

    Esperidião Amin (SC)
    Senador de 1991 a 1998.
    61 anos
    R$ 1.220,00

    Fausto Castelo Branco (PI)
    84 anos
    Senador de 1971 a 1978.
    R$ 15.620

    Geraldo Althof (SC)
    61 anos
    Senador de 1998 a 2003.
    R$ 5.930,00

    Geraldo Gurgel de Mesquita (AC)
    Senador de 1971 a 1975. É pai do atual senador Geraldo Mesquita Jr (PMDB-AC).
    90 anos
    R$ 3.510,00

    Gilberto Mestrinho (AM)
    Senador de 1999 a 2007.
    81 anos
    R$ 16.339,42

    Hugo Napoleão (PI)
    Senador de 1987 a 2001.
    65 anos
    R$ 4.226,31

    Jaison Barreto (SC)
    Senador de 1979 a 1987.
    75 anos
    R$ 36.717,97

    Jamil Haddad (RJ)
    Senador de 1986 a 1991.
    82 anos
    R$ 45.069,04

    Jarbas Passarinho (PA)
    Senador de 1967 a 1974, de 1975 a 1983 e de 1987 a 1995.
    R$ 2.075,00

    João Rocha (TO)
    Senador de 1991 a 1999
    68 anos
    R$ 2.275,00

    Jonas Pinheiro (MT)
    Beneficiária: Celcita Rosa da Silva, viúva do ex-senador, que exerceu o mandato de 1995 a 19 de fevereiro de 2008, quando morreu aos 67 anos por falência múltipla de órgãos.
    R$ 136.341,66

    Jorge Kalume (AC)
    49 anos
    Senador de 1979 a 1987.
    R$ 5.693,00

    Jorge Bornhausen (SC)
    Senador de 1983 a 1991, e de 1999 a 2007.
    71 anos
    R$ 27.057,05

    Josaphat Marinho (BA)
    Beneficiária: Iracy Ramos Marinho, viúva do ex-senador, morto em março de 2002. Josaphat foi senador de 1963 a 1971, e de 1991 a 1999.
    R$ 2.908,24

    José Fogaça (RS)
    Senador de 1987 a 2002. É prefeito de Porto Alegre
    62 anos
    R$ 4.870,11

    José Ignácio Ferreira (ES)
    Senador de 1995 a 1998.
    69 anos
    R$ 32.958,12

    Júnia Marise (MG)
    Senadora de 1991 a 1999.
    63 anos
    R$ 9.291,37

    Leite Chaves (PR)
    Senador de 1975 a 1983 e de 1987 a 1995.
    79 anos
    R$ 5.605,00

    Leonel Paiva (DF)
    Suplente do ex-senador Valmir Campelo, exerceu mandato de 13 de novembro de 1997 a 31 de janeiro de 1999.
    64 anos
    R$ 21.316,37

    Lindberg Cury (DF)
    Suplente de José Roberto Arruda, exerceu o mandato de 29 de maio de 2001, quando o titular renunciou após ser acusado de violar o painel de votações do Senado, e 31 de janeiro de 2003.
    R$ 7.952,00

    Louremberg Nunes (MT)
    Senador de 1979 a 1983, e de 1987 a 1995.
    66 anos
    R$ 3.000,00

    Lourival Baptista (SE)
    Senador de 1970 a 1995
    93 anos
    R$ 1.180,00

    Luiz Fernando Freire (RJ)
    Senador de 1980 a 1983.
    70 anos
    R$ 15.016,00

    Mansueto de Lavor (PE)
    Beneficiária: Rosa Maria da Silva Lavor, viúva do ex-senador, que exerceu o mandato de 1987 a 1985. Mansueto morreu aos 67 anos, em 1998.
    R$ 2.547,50

    Mauricio Leite (PB)
    Senador de 1986 a 1987.
    69 anos
    R$ 21.300,00

    Mauro Benevides (CE)
    Senador de 1975 a 1983 e de 1987 a 1995. É deputado federal.
    79 anos
    R$ 490.

    Mauro Miranda (GO)
    Senador de 1995 a 2003
    R$ 13.037,29

    Milton Cabral (PB)
    Senador de 1971 a 1986.
    87 anos
    R$ 32.958,12

    Moisés Abraão Neto (TO)
    Senador de 1987 a 1995.
    63 anos
    R$ 109.268,13

    Murilo Badaró (MG)
    Senador de 1979 a 1987.
    77 anos.
    R$ 36.005,75

    Nabor Júnior (AC)
    Senador de 1987 a 2003.
    78 anos
    R$ 12.994,18

    Ney Maranhão (PE)
    Senador de 1988 a 1995.
    81 anos
    R$ 18.480,00

    Nivaldo Krüger (PR)
    Suplente de Roberto Requião, exerceu o mandato por 45 dias: de 18 de dezembro de 2002 a 31 de janeiro de 2003, após renúncia do titular.
    80 anos
    R$ 1.585,00

    Odacir Soares (RO)
    Senador de 1983 a 1999.
    70 anos
    R$ 18.900,00

    Otair Becker (SC)
    Senador de 1975 a 1979.
    74 anos
    R$ 32.697,00

    Ronaldo Cunha Lima (PB)
    Senador de 1995 a 2003.
    R$ 5.602,65

    Ruy Bacelar (BA)
    Senador de 1987 a 1995.
    73 anos
    R$ 7.155,18

    Wellington Roberto (PB)
    49 anos
    R$ 20.862,11
    Suplente do ex-presidente do Senado Humberto Lucena, exerceu o mandato de 23 de abril de 1998, após a morte do titular, a 31 de janeiro de 2003. Atualmente é deputado federal.

    Ressarcimento de dependentes de ex-senadores não identificados: R$ 56.809,96

    Total de ressarcimentos para ex-senadores e dependentes em 2008: R$ 1.195.847,96

    Fonte: Congresso em Foco com base em informações do Siafi

    O ressarcimento de despesas é apenas uma das modalidades de atendimento de que dispõem senadores no exercício do mandato e ex-senadores. A assistência médica e odontológica dos parlamentares e servidores do Senado custou R$ 61,35 milhões à Casa em 2008. O valor inclui repasse para instituições privadas conveniadas, ressarcimentos e cobertura de custos do serviço médico. Para este ano, a previsão de despesas nessa área é de R$ 61,66 milhões.

    Leia reportagem completa no Congresso em Foco

  6. Pedra Linda disse:

    E nepotismo não é crime? cadê o Ministério Público do Estado?

  7. Estrelinha disse:

    Seria bom que os eleitores vissem esta matéria, principalmente o povo do interior. Porque o Doutorzinho precisa tomar água barrenta das chuvas para deixar de falar o que não deve. Ele deve lembrar que o povo sertanejo também é gente e precisa ser lembrado sim, com água e ambulancia para atender a necessidade daquela gente.
    E isso mostra que o vereador Dedé não olha somente para cargos e sim para a voz de calamidade do povo petrolinense.

  8. daiana dos santos disse:

    Coleguinha aí de cima, só faltou colocar as legendas partidárias dos sacripantas!!
    Pedra linda, querido (a) a lei no nepotismo não passou pelo congresso não!!! esqueceu?! O negócio é baixaria de cima pra baixo! Do Senado Federal até as Associações de bairro! Se ligue colega!
    Estrelinha, não se surpreenda se a galera da zona urbana for mais alienada que do interior, não os subestime!

  9. Francisco disse:

    Para o Pascal: Amigo, os servidores da camara também precisam de reciclagem.
    Para o Pedra Linda: Nepotismo é contratação de parentes e não indicação para outro poder. Indicar Pode

  10. luiz . disse:

    presado carlos,
    bom dia!
    depois que li a materia no seu blog,confesso que fiquei curioso.
    olhe ,conheço o vereador dede da simpatia ,a muito tempo.
    ele e homem de contemporizar,mas com firmeza!.
    liguei para ele, para saber o que havia ocorrido ,e confesso que nao senti nenhum distanciamento dele em relaçao as posiçoes de sempre,isto e :lutar pelos interesses dos seus eleitores.
    so ele pode dizer …mas acredito que ele continua na base do gov e cobrara atençao da forma que julgar necessaria.a tribuna e apenas uma destas formas,e serve para dar visibilidade dos seus atos para a populaçao.atenciosamente,luiz eduardo coelho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *