FBC crê que Estados do NE com crescimento acima da inflação podem absorver redução do ICMS

por Carlos Britto // 18 de junho de 2022 às 17:40

Foto: divulgação

Os Estados da região Nordeste tiveram aumento de R$ 11,6 bilhões na Receita Corrente Líquida (RCL), entre janeiro e abril de 2022, em comparação com o mesmo período do ano passado. Isso significa um crescimento de 20,9% – bem acima do IPCA de 12,13% registrado nos 12 meses anteriores. Assim, as receitas estaduais devem atingir R$ 37,6 bilhões no Nordeste em 2022. Os dados, extraídos do Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (Siconfi), foram apresentados na sexta-feira (17) ao senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) por técnicos da Casa.

Relator do PLP 18/2022, que limita as alíquotas do ICMS em 17%, o senador avalia que a expansão das receitas estaduais além da inflação vai absorver o impacto divulgado pelo Consórcio Nordeste na ‘Carta de Natal’. De acordo com o documento, a sanção do PLP 18 produzirá prejuízo imediato de R$ 17,2 bilhões para a região, sem, contudo, especificar o período. Já o Comitê Nacional de Secretários Estaduais de Fazenda (Comsefaz) prevê perda anual de R$ 20,8 bilhões para os estados e municípios do Nordeste.

Considerando a estimativa do Comsefaz de prejuízo de R$ 10,4 bilhões em 2022, o que equivale à metade da previsão para o ano inteiro, tudo indica que o impacto do projeto recairá sobre a parcela de crescimento das receitas que vai ocorrer além da inflação, de tal maneira que não se vislumbram prejuízos às políticas públicas”, explicou o senador. “A propósito, um dos aperfeiçoamentos que promovemos no texto garante aos estados e municípios a compensação da União por eventuais perdas de recursos que possam impactar os mínimos constitucionais da saúde e da educação e o Fundeb”, acrescentou.

Diferenças

FBC lembrou as diferentes estimativas apresentadas por governadores e secretários estaduais de Fazenda durante a apreciação do PLP 18 pelo Congresso Nacional. Enquanto o Comsefaz estimou o impacto anual em R$ 20,8 bilhões para os Estados e municípios do Nordeste, a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) calculou o prejuízo em R$ 13,7 bilhões. Já a Consultoria de Orçamentos do Senado Federal chegou à previsão de um valor entre R$ 8,1 bilhões e R$ 9,3 bilhões.

São estimativas anualizadas, mas, para 2022, o impacto será aproximadamente a metade já que o primeiro semestre do ano já está se encerrando”, destacou Fernando.

FBC crê que Estados do NE com crescimento acima da inflação podem absorver redução do ICMS

  1. O POVO TÁ DE ÔLHO disse:

    O que eu vejo é o seguinte: ICMS sobre a conta de luz. Eles dizem que é de 25% e quando você faz a conta não é menos de 33,5%, isso é um assalto, e mais esse percentual é em cima do valor da concessionária, somados com os outros impostos e até a iluminação pública. Tudo isso sem o Estado fazer nada sobre nada para você ter energia em casa. Não bastasse todos esses impostos sobre impostos, o dinheiro que era para comprar ventiladores no combate a COVID19, jogaram pelo ralo do Consórcio dos Governadores do Nordeste, sumiram com o dinheiro e não chegou um ventilador sequer em nenhum Estado do Nordeste. Nenhum desses Governadores do Nordeste merecem ser reeleitos ou qualquer seus comparsas indicados por eles.

  2. Marcos Macedo disse:

    O povo vai entender perfeitamente.

  3. Lula 2022 disse:

    Lula no primeiro turno. Estamos juntos FBC

  4. LULA LADRÃO, NUNCA MAIS! disse:

    FORA

  5. Marcos Macedo disse:

    Gasolina a R$ 8,50 o discurso feito ontem talvez hoje já perdeu eficácia e amanhã não terá efeito nenhum. O que vale é o lucro em dolar do mercado. O povo entende perfeitamente que o engana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.