Familiares acusam hospital de Petrolina de trocar material genético enviado para biópsia

16

GEDC0297Além da dor de perder um ente querido, os familiares de Dona Joana Rosa, que faleceu ontem (29), no hospital Neurocárdio, em Petrolina, tem um problema a mais para se preocupar: a possível troca de material genético enviado para biópsia.

O drama da família começou há cerca de um mês, quando a senhora, de 69 anos, começou a sentir fortes dores abdominais e foi conduzida ao hospital. Segundo a família, Dona Joana teria sido levada várias vezes à unidade, mas após ser atendida e medicada era liberada e voltava para sua residência, mesmo reclamando de dores.

Já tinha mais ou menos um mês que a gente vinha levando ela para o hospital, ela reclamando de dor na barriga e nas costas e sempre era a mesma coisa, o médico examinava mandava ela tomar buscopan e voltar para casa. Este foi o primeiro absurdo. Ai depois de ir várias vezes, finalmente, decidiram internar ela. Mas nunca deram um diagnóstico, uma hora diziam que era vesícula, outra hora diziam que era úlcera e quando ela morreu disseram que ela tinha sofrido um infarto”, afirma Weckson Joseph.

Mas, as denúncias não param por ai. Além da negligência médica, os familiares também acusam o hospital de ter trocado o material genético da paciente que teria sido colhido para ser enviado para biópsia. Segundo a família, nenhuma requisição foi feita e os acompanhantes de Dona Joana só foram informados sobre o exame quando o médico solicitou o resultado.

Quatro dias antes dela morrer a gente perguntou ao médico sobre a situação dela, ai o médico disse que estava esperando o resultado da biópsia, e nós ficamos surpresos porque até onde sabíamos ela não tinha feito nenhuma. Ai fomos atrás da técnica de enfermagem que confirmou que tinha retirado o material dela, fomos no laboratório mas lá não tinha nada, ou seja, acreditamos que eles tiraram o material dela, trocaram e entregaram para outra pessoa”, conta o filho de Dona Rosa, José João.

Preocupação:

Segundo os familiares de Dona Rosa, a própria ouvidoria do hospital teria reconhecido o erro e inclusive teria convocado a técnica de enfermagem para uma reunião com a família da paciente, mas a profissional não apareceu.

Nós já procuramos a ouvidoria do hospital que reconheceu o erro e chamaram a técnica para uma reunião hoje (quinta), nós fomos lá, mas esta técnica nem apareceu. Sabemos que nada trará ela de volta, mas queremos chamar atenção porque pode ser que uma pessoa tenha tido o material trocado com o dela [Rosa] e tenha um diagnóstico que não é o seu. A nossa preocupação é só com isso”, explica a nora de Dona Rosa, Eliane Ribeiro.

O familiares dizem que levarão a denúncia a diante e se possível acionarão o Ministério Público. Nossa reportagem entrou em contato com o hospital, mas até o fechamento desta matéria não obtivemos resposta.

 

16 COMENTÁRIOS

  1. SOU AMIGO DA FAMÍLIA, E PUDE ACOMPANHAR ESTE DRAMA DE PERTO.
    ACHO UM ABSURDO ESTES PROFISSIONAIS MÉDICO QUE SE DEDICAM TANTO PARA ESTUDAR, E QUANDO UMA SENHORA DE 69 ANOS VAI NO HOSPITAL SENTINDO DORES, UMA PESSOA DESTA QUE SE DIZ PROFISSIONAL MÉDICO MEDICAR COM O BUSCOPAN E MANDAR PRA CASA, INFELIZMENTE NÃO TEMOS MAIS PROFISSIONAIS COMO ANTIGAMENTE, QUE REALMENTE DAVA VALOR A SUA PROFISSÃO MAIS QUE O DINHEIRO, LEMBREM-SE SENHORES MÉDICOS DA PROMESSA QUE FIZERAM, E LEMBREM-SE TAMBÉM QUE SOMOS MATÉRIAS E QUANDO MORREMOS NÃO LEVAMOS O QUE COMPRAMOS OU CONSTRUIMOS, COM COISAS QUE O DINHEIRO PODE COMPRAR.

  2. É um absurdo, como se encontra a situação da saude em Petrolina. A gente não consegue vaga para consultas e quando consegue os médicos atendem com uma rapidez impressionante,não passam exames e acabam receitando medicamentos paliativos.Gente a quem deveremos pedir ajuda, solução ?

  3. É possível sim. Vão ao Ministério Público sim, abram ocorrência numa delegacia para que seja apurado tudo. Chega, basta de tanto descasos desses médicos. É um erro atrás do outro e ninguém toma atitude. Ministério Público, socorro!!!!!!

  4. Mas é claro que a culpa será da tecnica de enfermagem,se não for dela será de um ASG. Faz tempo que o neurocardio vem cometendo erros. Passei tres dias internada ,o medico so apareceu apareceu depois de acionarmos a ouvidoria; o msm afirmou nao ter sido avisado,as enfermeiras,coitadas,nunca sabiam de nada. Como eu nao morri,nenhuma tecnica levou a culpa. Isso chama_se PESSIMA ADMINISTRAÇÃO.

  5. mulher corajosa ,guerreira ,lutadora ,simplesmente mãe . amorosa para com seus filhos ,de um carinho imenso .Joaninha nome carinhoso que todos chamava , já estamos sentindo saudade . que seja feito justiça .

  6. Essa é Petrolina, a terra dos impossíveis. Aliás aqui tudo é impossível, saúde então é melhor torcer para não cair nesses açougues que se tornaram os hospitais daqui, sejam particulares seja público.

  7. Infelizmente temos muitos médicos que não estão preparados para atender uma urgência, e simplesmente agem como se soubessem tudo. Eu tive uma experiência muito desagradável outro dia no neurocárdio, fui acompanhar minha sogra que tinha passado mal durante a noite numa cidade próximo de petrolina,ela chegou ao hospital com fortes dores no peito e vomitando, como ela é hipertensa e toma remédio controlado o médico internou ela ate o outro dia, lá não tinha como ser feito alguns exames e por ela ter plano de saúde, o médico que internou ela a noite achou melhor encaminha-la para cá, ele suspeitou que ela estivesse infartando. Fui com minha sogra com um laudo médico dizendo todo procedimento tomado na noite anterior e o que deveria ser feito a partir dali, o médico solicitou que fosse feito um eletrocardiograma e exames de sangue para saber se a minha sogra estava com princípio de infarto, ao chegar lá no neurocárdio, verificaram a pressão dela e tava normal, pois ela passou a noite internada tomando remédios, pois bem o médico chamou minha sogra e perguntou o que ela estava sentindo naquele momento, ela responde que só um desconforto no peito como se fosse gases, eu então falei para o médico o ocorrido na noite anterior e mostrei o encaminhamento do outro médico, foi quando para minha surpresa ele deu uma sorriso e disse que achava pouco provável que ela estivesse infartando com uma pressão normal do jeito que ela estava, e disse que não achava necessário fazer os exames que o médico tinha solicitado, isso era um sábado pela manhã, disse que esse exame poderia ser feito só na segunda feira, quando eu questionei ele pelos dias que iriamos esperar e se ela tivesse alguma coisa no fim de semana, já que o outro médico tinha pedido urgência nos exames e ele tava sugerindo para 2 dia depois, o médico não gostou começou a me tratar muito mal e ainda falou que o médico tinha sugerido mas ele acataria ou não, e ainda me pediu para sair da sala pq eu estava atrapalhando a consulta, detalhe: minha sogra tem 69 anos e está com princípio de alzheimer, e eu acompanho ela em todos o médicos pois ela esquece o que o médico falou, eu disse isso tudo para ele, e falei que não ia sair da sala, e que se ele não pedisse os exames e ela tivesse algum problema ele iria responder por isso, nesse momento minha sogra já estava bastante nervosa e ele continuava insistindo para que eu saísse da sala, e ainda perguntou para ela se eu poderia sair, ela falou que não e que eu sempre a acompanhava sem nenhum problema, ao invés de consultar ela, ele se virou para mim e disse que poderia me processar por agressão verbal, sendo que em nenhum momento eu o agredi só questionei o fato dele se recusar a fazer um exame pedido pelo médico anterior, nesse momento entrou na sala uma assistente social e ele se queixou a ela dizendo que eu estava atrapalhando a consulta e pedindo para que eu saísse da sala, eu virei para assistente, mostrei o encaminhamento do outro médico e repeti o que já tinha dito para ele, que só queria que fizesse os exames, a assistente também grosseiramente me repetiu o que o médico já tinha dito e que só seria feito ali o que fosse solicitado pelo médico do hospital, fiquei muito nervosa, mas como nada podemos fazer simplesmente saí da sala com minha sogra e fomos para uma sala de repouso, onde esperamos 1 hora e nada do médico e nem de ser feito exames, foi quando eu perguntei para um enfermeiro que estava dando a medicação a outro paciente que chegou depois da minha sogra, se seria feito algo ou agente podia ir embora, ele foi perguntar para o médico e respondeu que iria fazer os exames. Fizeram os exames e minha sogra foi liberada sem que o médico viesse falar mas nada nem mesmo dos exames feitos, e nem liberaram os exames para eu levar para o cardiologista que acompanha ela. Na segunda feira levei ela ao cardiologista e relatei tudo que tinha acontecido, ele ficou chocado e disse que o procedimento foi totalmente inadequado, e que meu único erro foi não der feito uma reclamação ao proprietário, eu já estava muito nervosa e minha sogra também eu só queria sair dali. Graças a Deus minha sogra não teve nada, mas poderia ter sido mais uma vítima do descaso de alguns médicos recém formados que não estão preparados para lidar com urgência.

  8. Já foi um hospital de referencia..Hoje só visa lucro com péssimo atendimento ,falta de profissionais e humilhação dos que não se encaixam em seu nepotismo..Isso mesmo,aqueles que não tem parentesco ou o chamado QI-quem indica la dentro..são humilhados,assediados,obrigados a se calarem diante das injustiças e negligencias de outros colegas mais favorecidos ou que tem -QI-,alem disso …as técnicas de enfermagem são quase escravizadas obrigando a dobrarem plantões de ate 36 a 48h no ar(basta perguntar as mesmas)..sem descansar,com sono,com fome,pois é vetado o lanche pela empresa,bem como jantar ou almoço,isso sem contar com agressões verbais e ameaças de enfermeiras chefes e coordenadoras da empresa que se utilizam do poder para tripudiar em cima de quem não pode se manifestar ou não conhece seus direitos ou ainda de quem precisa do emprego,pois a maioria dos profissionais trabalham ameaçados sob estigma de que vão ser demitidos e de que saindo de lá,não irão trabalhar em lugar nenhum(deixando-se bem claro que a empresa não demite,pois não paga direitos trabalhistas e nem faz acordo,prefere massacrar o profissional para que o mesmo peça demissao e saia perdendo seus direitos)..constituindo-se em uma violência psicológica para com quem trabalha com vidas e deve estar bem psicologicamente para tal.
    Em relação ao atendimento..pacientes as vezes passam horas sem troca de fraldas-horas esperando pelos medicos-os funcionarios novatos nao tem treinamento para os setores em que estao de plantao..dentre outras deficiencias assitenciais e existe um alto indice de pedido de demissoes em tal empresa pelos maus tratos e exploração para com seus profissionais.

  9. E FACIO CONDENAR O TEC,MAS A TODA HORA QUEM ESTA ALI AO SEU LADO SE NAO FOR ELA,NAO E MEDICO QUE VEM TODA HORA PERGUNTA O QUE ESTA SENTINDO SÃO ELAS,E FACIL JULGAR OS OUTROS,O INTERESANTE QUE QUANDO CHEGA EM UM URGENCIA QUEM TE ACOLHE SÃO ELAS QUEM TE MEDICA SAO ELAS ,E ELAS QUEM ESCUTA TODA INGNORANCIA DE MUITOS.

  10. PESSOAL SINTO MUITO MAS PORQUE AO CHEGA EM UMA URGENCIA,NIGUEM,FALA NA CRA DO MEDICO O QUE TA ACONTECENDO PORQUE SO SOBRA PRA ENFERMAGEM ,QUE MAS TE AJUDA A TODO MOMENTO,AO MEU VER SÃO AS QUE MAS TRABALHA DENTRO DA UNIDADE DE SAUDE GANHA MAS POUCO,E TUDO DE ERRADO FORAN ELAS ACHO Q NÃO E BEM ASSIM NÃO JA FUI PACIENTE E FUI BEM TRATADA POR ELAS,AFINAL NÃO E O MEDICO NEM O ENFERMEIRO QUE VEM COLOCAR EM MINHA O MEDICAMENTO QUE ESTOU PRECISANDO NAO,SÃO ELAS POR TANTO AS VEZES ERROS ACONTECE,E SAO PARA LAÇARAN PRA FRENTE,QUEMNUNCA ERROU QUE ATIRE A PRIMEIRA PEDRA.

  11. A FAMILIA TEM QUER IR A TRASCOM CERTEZA MAIS O NEUROCARDIO E UM HOSPITAL FALIDO QUE EXPLORAM SUAS TECNICAS ELAS FAZEM ATE O SERVIÇO DOS MEDICOS E AINDA A CULPA VAI SOBRAR PARA ATECNICA

  12. ADOREI A EQUIPE DE ENFERMAGEM DO NEUROCARDIO FIQUI VARIOS DIAS COM MINHA MAE LA NA CLINICA CIRUGICA E FUI MUITO BEM TRATADA HOSPITAL DE PRIMEIRA LINHA NAO FICA A DESEJAR NO HOSPITAL DE 1 MUNDO

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome