Ex-vereador Padre Antonio escreve sobre D. Hélder, o Profeta da Paz

por Carlos Britto // 30 de março de 2009 às 23:20

 

DOM HELDER CÂMARA: “O PROFETA DA PAZ” Às duas horas de 18 de outubro de 1971, uma segunda-feira, o arcebispo de Olinda e Recife, dom Helder Câmara, acorda ao som do despertador para mais uma madrugada de vigília – um ritual de reflexão e oração repetido quase diariamente há mais de 40 anos, desde sua ordenação em 15 de agosto de 1931, aos 22 anos e meio. Dom Helder dedica a vigília daquela madrugada a pensar em como deveria reagir caso se confirmassem as previsões das agências de notícias internacionais e de um jornalista. Sobre os rumos da ditadura militar. No Brasil. De suas madrugadas dedicadas a apresentar a realidade (do Brasil e do mundo) e suas angústias ao coração de Deus, brotava uma vida santa, humilde, e comprometida.

Uma vida de fidelidade a Deus e ao rebanho a ele confiado. Desse contato permanente e profundo com Deus, brotou uma vida fecunda, que continuará iluminando nossas vidas ainda hoje. Resgatemos sua memória para que as novas gerações (de jovens, sacerdotes, religiosos) possam usufruir da sabedoria de uma das mais belas figuras da Igreja do Brasil.

Este ano de 2009 marca o centenário de nascimento de dom Helder Câmara, talvez a figura mais brilhante e polêmica que a igreja brasileira já produziu, chamado pela imprensa ora de “bispo vermelho” ora de “santo rebelde”, Helder Câmara foi amado pelo povo e odiado pela alta cúpula dos governos militares. Por isso mesmo os julgamentos a seu respeito se polarizam.

É fácil transformá-lo em figura mítica com postura rebelde, acima do bem e do mal. em virtude de sua pregação libertadora em defesa dos mais pobres – que ultrapassou as fronteiras nacionais e continentais – e de sua atuação política e social, foi perseguido e caluniado.

É igualmente fácil dizer que ele era o típico padre de passeata, pregador de utopias, manipulador de massas com discurso que misturava Deus e Marx. Difícil é manter a isenção diante de figura tão poderosa. Daí a importância de resgatar e manter viva a história deste homem admirável.

Neste ano que marca seu centenário em várias partes do Brasil e do mundo seus admiradores tomam a iniciativa de reavivar a memória de Dom Helder Câmara. Ai no Brasil, na Arquidiocese de Olinda e Recife foi realizado o Ano de Dom Helder com várias atividades, culminando com a Celebração Eucarística presidida pelo Presidente da CNBB.

Soube que na França, seus admiradores também realizaram algumas atividades. Acabo de receber um folder sobre Exposição: DOM HELDER: MEMÓRIA E PROFECIA – 1909 – 2009, de 27 de março a 12 de abril, promovida pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Após a morte de Dom Helder, na Paróquia onde trabalhava em Petrolina, tentei manter viva a sua memória, combinando com a comunidade dedicar o dia 27 de cada mês a Dom Helder, com a celebração da Eucaristia como ponto de partida para outras atividades, experiência interrompida porque sai daquela paróquia, infelizmente.

Para manter viva a sua presença em nossas vidas e trabalho em Petrolina criamos, depois, o “CENTRO DE ESTUDOS E AÇÃO SOCIAL DOM HELDER CÂMARA”. Não podendo fazer algo neste ano, por estar distante, sugiro a quem quiser conhecer Dom Helder Câmara e sua importância para a Igreja e a sociedade brasileira, a leitura do livro que dá titulo ao este pequeno texto: DOM HELDER CÂMARA: “O PROFETA DA PAZ”.

Ele investiga a trajetória de Dom Helder, situa a sua figura na história do Brasil, estuda as relações entre militares e a Igreja brasileira e entre esta e o Vaticano. Aproveitem! “Que ele viva não só no seio do Pai no Paraíso, mas também em nossa vida e ação” hoje aqui e agora! Viva o Dom da Paz!

Ex-vereador Padre Antonio escreve sobre D. Hélder, o Profeta da Paz

  1. CASSIO LUCENA disse:

    PADRE ANTONIO; Bastante pertinente a sua reverencia a esse verdadeiro ANJO REBELDE .Dom Helder, conseguiu ser UM GRANDE lider espiritual e vivenciar a politica em seu estado mais puro.um espelho sem seguidores.Em tempos de pensamentos eclesiasticos tão medievais…ELE FAZ MUITA FALTA! Que Deus o guarde no manto da sua paz.

  2. Pe. Antonio disse:

    Meu Caro Cassio Lucena,
    Concordo com seu comentário plenamente. Antes de viajar para Portugal, vim olhar se a matéria já estava publicada. Fiquei feliz com o seu comentário, por constatar que existem muitas pessoas lúcidas para perceber a sabedoria de um homem santo, comprometido com Deus e com a humanidade. Realemente Dom Helder faz muita falta ao mundo e a Igreja……
    Feliz Páscoa.

  3. Ivan Câmara de Andrade disse:

    Uma das frase de Dom Helder Câmara que mais me chamou a atenção foi a seguinte: “Se dou de comer aos pobres, chamam-me santo. Se respondo porque os pobres passam fome, chamam-me comunista.” Parabéns Padre Antõnio pelo belo texto.

  4. Ivan Câmara de Andrade. disse:

    Digo: “Uma das frases……”

  5. pe. antonio disse:

    Fico extremamente contente quando vejo pessoas que se interessam por comentar e vsalorizar o exemplo de vida de pessoas como Dom Helder, Nós precisamos de pessoas que nos estimulem com gestos, com ações de altruismo, de nobreza de projetos de defeza da vida.
    Dom Helder dizia que a gente é jovem enquanto tem mil razões para viver……Qual será o sentido da existencia de muitos dos homens e mulheres de hoje!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *