Garota morre e 100 desaparecem após barragem romper no PI

por Carlos Britto // 28 de maio de 2009 às 18:12

piauiO Corpo de Bombeiros do Piauí divulgou na manhã desta quinta-feira que foi registrada a morte de uma menina de 11 anos no município de Cocal, após o rompimento da barragem Algodões I, que destruiu casas e isolou moradores da região. Mais de 3,3 mil pessoas ficaram desabrigadas na cidade e em Buriti dos Lopes, ambas no norte do Estado, e que foram afetadas pela enxurrada das águas.

Pelo levantamento dos Bombeiros, cerca de 100 pessoas são consideradas desaparecidas por todo o leito do rio Pirangi, que subiu 5 m com o rompimento da represa. O secretário de Segurança, Robert Rios Magalhães, foi à cidade acompanhar os resgates e afirmou que as chuvas dificultam a localização das pessoas. Magalhães disse que são três helicópteros, 16 equipes de Corpo de Bombeiros, agentes da Defesa Civil e policiais militares.

“Há muitos boatos de mortes. Mas, até agora só registramos um óbito. O trabalho é de resgate aos desaparecidos e de socorrer as famílias que estão ilhadas”, disse Robert Rios.

Na manhã de hoje, voltou a chover na cidade, o que causou pânico entre os moradores. O governo afirmou que não há risco de nova “avalanche de água” já que o reservatório está vazio.

Uma mulher grávida de nove meses foi encontrada pedindo socorro com dilatação do útero. Ela foi socorrida pelos Bombeiros e levada ao hospital da cidade.

Cerca de 100 pessoas estão desaparecidas desde ontem à noite. Helicóptero e lancha estão sendo usados para o resgate dos moradores. Segundo o secretário, cerca de 600 pessoas ficaram desabrigadas com as águas.

O Corpo de Bombeiros informou que há um rastro de destruição por onde a correnteza da água passou. Animais mortos são vistos por todo o percurso. Levantamento preliminar da Prefeitura apontou a destruição de 300 casas. A cidade continua sem energia elétrica, já que a Cepisa teve que interromper o fornecimento de luz com a queda de postes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *