Em visita a Petrolina, vice-presidente regional da UNE defende estadualização das autarquias municipais

1

Ivson CarlosO vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE) em Pernambuco, Ivson Carlos, esteve em Petrolina ontem (11) para participar da Conferência Municipal de Educação. Entre várias reivindicações, a entidade luta por uma assistência estudantil de mais qualidade e a estadualização das autarquias municipais.

Segundo Ivson, os estudantes em Pernambuco necessitam de mais apoio para permanecer nas universidades. “A gente vem dialogando com o Governo do Estado sobre a regulamentação do plano estadual de assistência estudantil. A ideia é garantir uma verba para a permanência dos estudantes na faculdade, que compreende desde casas, restaurantes universitários, transporte até creches para mães universitárias. É preciso viabilizar tanto o acesso democrático ao ensino superior quanto a permanência do estudante no curso”, explicou.

Sobre a estadualização das autarquias municipais, o vice-presidente reforça que essa é a única saída para melhorar o ensino nas instituições. “Essas faculdades têm uma qualidade de ensino reduzida. Para solucionar o problema, o caminho que a gente encontra é a estadualização”, ressaltou.

A aprovação de 75% dos royalties para a educação (e 25% para a saúde), além da destinação de 10% do PIB para o setor são algumas das bandeiras levantadas pela UNE no país, segundo o vice-presidente. As reivindicações estiveram presentes nas últimas manifestações que contaram com a participação da entidade. Para Ivson, o Brasil vive um momento histórico em que é preciso estabelecer o diálogo com as entidades, organizações, partidos políticos e governos.

“A ideia das manifestações, e defendida pela UNE, é não admitir retrocessos, violência às constituições. As unidades representativas, partidos políticos, entidades e instituições são importantes para que a gente garanta as conquistas e mantenha o diálogo com os governos. Devemos colocar de maneira responsável as nossas propostas para que, após as ruas, a gente consiga garantir aquilo que foi proposto, para que a gente acorde no outro dia com conquistas concretas para a cidade, para o país”, destacou.

Por Monyk Arcanjo

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta para Daniel Capeta Cancelar resposta

Comentar
Seu nome