Em Petrolina, Paulo Câmara inaugura EREM e anuncia boas novas sobre Compaz e pavimentação de rodovias

3
Foto: Blog do Carlos Britto

Após quatro anos, o governador Paulo Câmara (PSB) retornou a Petrolina nesta quarta-feira (21) para a 4ª edição do Programa ‘Todos por Pernambuco’. O evento ocorreu no Bairro João de Deus, zona oeste da cidade, onde o gestor inaugurou a Escola de Referência em Ensino Médio (EREM) Professora Maria Wilza Barros de Miranda. A unidade recebeu investimentos na ordem de R$ 4,6 milhões.

Antes de percorrer as dependências da escola com sua comitiva de secretários, Paulo assistiu a uma apresentação cultural de alunos. Em seguida, visitou a horta comunitária, organizada pelo Programa ‘Horta em Todo Canto’. Antes de presidir o evento no João de Deus, o governador visitou o Sistema Grande Rio de Comunicação, onde concedeu a única entrevista da sua agenda, para o Programa Nossa Voz.

Já no local do evento, o socialista destinou pouco mais de três minutos de uma coletiva de imprensa a jornalistas e radialistas que o esperavam. Mesmo assim, evitou comentar temas mais polêmicos.

Durante o seminário do Todos por Pernambuco, o governador recebeu vinhos e iguarias regionais. Também ouviu cobranças, como das assalariadas rurais, que reivindicaram o cadastramento no Programa Chapéu de Palha das colegas que trabalham nas fazendas de uva e manga em Petrolina, mas residem em Juazeiro (BA).

Após vários discursos, inclusive o do prefeito Miguel Coelho (sem partido) – que apesar de ser adversário de Paulo, foi convidado para o evento -, o governador destacou números positivos de sua gestão. Um deles está na educação pública, a exemplo da EREM entregue nesta quarta. Paulo citou também o combate à criminalidade, com a implantação do 2º Batalhão Integrado Especializado de Policiamento (BIEsp).

Ele reiterou que esse é um planejamento “que precisa ser feito” em conjunto com os pernambucanos, seja na educação, segurança pública, agricultura ou na geração de empregos. Em seu discurso, Paulo conclamou os petrolinenses a ajudá-lo nesse missão. “Estamos levando as propostas, mas nos colocando à disposição de trabalhar juntos. O momento é de unidade, é de buscar efetivamente tirar as coisas que são importantes para melhorar a vida do povo. Já tem muita confusão no Brasil. Não vamos deixar que essa confusão atinja Pernambuco. Pelo contrário, vamos trabalhar unidos por um Pernambuco melhor, e eu conto com vocês”, afirmou.

Ordens de serviço

Durante o evento, Paulo assinou algumas ordens de serviço que beneficiarão o povo sertanejo. Uma delas diz respeito ao Centro Comunitário da Paz (Compaz) em Petrolina, bandeira de luta do deputado estadual Lucas Ramos (PSB) – uma das autoridades presentes ao seminário. O documento autoriza a elaboração do projeto executivo do Compaz.

Outra ordem de serviço, também referentes à elaboração de projeto executivo, foi destinada à pavimentação de 148 km da PE-630 – que corta Petrolina, Afrânio, Dormentes, Santa Filomena, Ouricuri e Trindade. O valor estimado da obra é de mais de R$ 5 milhões. Além disso, Paulo autorizou a contratação dos serviços de restauração da PE-635, no trecho de 33 km entre Afrânio e Dormentes, com um investimento de R$ 30 milhões. Além de Miguel Coelho e Lucas Ramos, o seminário contou também com a presença de vereadores de Petrolina e prefeitos do Sertão do São Francisco – entre outras autoridades.

O Todos por Pernambuco prossegue até sexta (23), com eventos também em Araripina, no Sertão do Araripe, e em Salgueiro, no Sertão Central. Semana passada, o seminário passou por Floresta (Itaparica), Arcoverde (Moxotó) e Serra Talhada (Pajeú). Ao final, todas as seis regiões de desenvolvimento (RDs) localizadas no Sertão do Estado terão sido contempladas. Em paralelo aos seminários, na tarde de hoje o governador ainda participou de outros eventos nas cidades de Lagoa Grande e Santa Maria da Boa Vista.

3 COMENTÁRIOS

  1. Não entendi bem essa cobrança sobre o pessoal que mora em Juazeiro receber algo do Chapéu de Palha. Se moram em Juazeiro não contribuem com a arrecadação que gera recursos para que esse benefício seja pago(creio eu). Faria mais sentido cobrar o governo da Bahia, não?

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome