Em meio à pandemia, penitenciária de Petrolina se destaca com cursos profissionalizantes para detentos

0
Foto: Seres/divulgação

Mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), os detentos do sistema prisional de Pernambuco seguem com as profissionalizações nos cursos da Teleport Educacional na modalidade ensino a distância. No ano de 2019 foram registradas 888 capacitações em 36 cursos disponibilizados; já em 2020 esse número foi de 1.850 – quase mil a mais em comparação a 2019.

A ação é resultado da parceria da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, por meio da Executiva de Ressocialização (Seres), com a Teleport. O objetivo é ofertar aos reeducandos a oportunidade de aprendizado e de inserção no mercado de trabalho. “É uma forma de manter a capacidade cognitiva dos presos ativa e garantir a certificação e a redução de pena“, ressaltou o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico. A cada três dias (quatro horas de curso), um dia a menos na pena.

Os cursos são reconhecidos pelo Ministério da Educação e oferecidos em todas as unidades prisionais da Região Metropolitana e Interior de Pernambuco. Em 2019, os cursos de padeiro, noções de modelagem de moda praia e moda íntima foram os mais procurados pelos reeducandos, com destaque para a Penitenciária Dr.Edvaldo Gomes (PDEG), em Petrolina, que certificou 255 detentos. Já no ano seguinte, os cursos de venda, logística e marketing foram os mais solicitados e o Presídio Juiz Antônio Luiz Lins de Barros (Pjallb), no Complexo do Curado, registrou o maior número de profissionalizações, 590 ao todo.

As áreas ofertadas atualmente pela Teleport são segurança do trabalho, empreendedorismo, vendas, recursos humanos, logística, marketing, manutenção de micro e inglês básico. Todas têm 40 horas semanais, com exceção do curso de inglês, com 80.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

vinte + dois =