Em dobradinha com Rosalvo Antônio, Áureo Cisneiros alfineta acordo entre PT e PSB e fala em “sindicalismo de solidariedade” para chegar à Alepe

0

Percorrendo várias cidades do Sertão, onde cumpre agenda até este sábado (4), o pré-candidato a deputado estadual Áureo Cisneiros (PSOL) criticou duramente em Petrolina a articulação entre PT e PSB, o que pode anular a candidatura da vereadora do Recife, Marília Arraes, ao governo do Estado. Cisneiros considerou o acordo de cúpula uma “traição” à militância petista.

Essa jogatina que o PT faz com aquele considerado o pior governador da história de Pernambuco é trair a militância do PT, que quer ter candidatura própria. Quer uma opção para governador do Estado, já que não concorda nem com Paulo Câmara, nem com Armando Monteiro (PTB). Aí a cúpula do PT desrespeita, destrata, trata com a maior cretinice essa questão com o PSB”, alfinetou.

Cisneiros afirmou que a legenda petista já havia dado mostras desse posicionamento, uma vez que seus deputados ajudaram a sacramentar, na última quarta (1), a eleição do novo presidente da Assembleia Legislativa (Alepe), Eriberto Medeiros – o preferido do governador Paulo Câmara na disputa. “Por que o PT e o PSB não fizeram um acordo desse para melhorar a vida do povo, a questão da segurança pública, valorizar os professores, como o governador prometeu? enfim, para resolver os problemas de Pernambuco”, avaliou.

O pré-candidato do PSOL disse também que o PT quer fazer com Marília algo parecido que fez com o então prefeito do Recife, João da Costa, o qual foi impedido pelo partido de disputar a reeleição em 2012. “Eles perderam a eleição e entregaram a prefeitura de bandeja ao PSB”, cutucou.

Policiais civis

Dizendo-se até ele próprio “desiludido” com a classe política atual, Cisneiros acredita que para resolver a crise generalizada que se instaurou no país não há outra saída que não a política. Mas ele deixou claro ser necessária uma renovação. Nesse quesito, ele acredita num bom desempenho do PSOL, sobretudo pela bandeira coerente que defende em pouco tempo de história.

É um partido novo, mas que já tem uma grande história de combate à corrupção, de combate à retirada de direitos da classe trabalhadora, foi contra a reforma da Previdência. Temos seis deputados federais, e nenhum sob suspeita de ter recebido propina. É um partido limpo. Por tudo isso, acho que o PSOL vai crescer muito no Brasil e aqui em Pernambuco”, afirmou Cisneiros, acrescentando que a meta para essas eleições é fazer dois deputados na Alepe.

Ex-presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol), Cisneiros tem a estima dos seus colegas, de quem justifica a indicação do seu nome para concorrer à vaga na Alepe. Mas assegura que tem feito um “sindicalismo de solidariedade”, apoiando categorias como a dos professores, guardas municipais, vigilantes de carros-fortes, caminhoneiros – entre outras. “A gente está com uma bandeira praticamente focada no trabalhismo”, explico Cisneiros, sem deixar de destacar que seu principal mote continua sendo o da segurança pública, sobretudo por ser um dos críticos mais ferrenhos da atual gestão nessa área.

Dobradinha

Quem fará dobradinha do partido com Cisneiros no Sertão do São Francisco é o pré-candidato a deputado federal Rosalvo Antônio, que também vem de um histórico de lutas em movimentos sociais e sindicais. Atualmente uma de suas principais bandeiras é a pavimentação da PE-630, que corta seis municípios sertanejos e representante um importante vetor econômico para a região.

Rosalvo destacou nomes valorosos dentro do PSOL, ressaltando também o de Cisneiros. “O companheiro Áureo é um desses nomes que temos o prazer de fazer um trabalho em conjunto pelo Sertão do São Francisco, em função de sua história e de sua luta, assim como temos a nossa”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome